Para engajar público, Coca-Cola leva letras às embalagens

Buscar

Marketing

Publicidade

Para engajar público, Coca-Cola leva letras às embalagens

Criada pela Wunderman Thompson Brasil, campanha aposta em mensagem positiva e quer recriar sucesso de Share a Coke, que colocava nomes nas latas

Taís Farias
29 de janeiro de 2021 - 8h00

Mais uma vez, as embalagens serão protagonistas de uma campanha da Coca-Cola. Nesta sexta-feira, 29, a companhia lança a campanha Alfabeto, criada pela Wunderman Thompson Brasil, que vai colocar letras nas latas e garrafas PET da marca para que os consumidores criem palavras e frases positivas.

 

Ação estreia nesta sexta-feira, 29 (Crédito: Divulgação)

A ação é voltada para a América Latina e vai envolver uma série de conteúdos digitais, com a participação dos influenciadores da marca. A campanha também contará com um filme, produzido e adaptado para cada região, mídia OOH e ações nas redes sociais. A iniciativa é uma continuação do movimento Abertos Pro Melhor, lançado pela marca do final do ano passado, que aposta em mensagens de positividade e esperança.

Além disso, a campanha tem a intenção de repetir o sucesso conquistado com a ação Share a Coke, que estampou nomes próprios nas latas de Coca-Cola sem açúcar. “É uma nova edição de Share a Coke que, desta vez, nós conectamos com a mensagem de Abertos pro Melhor. Nós esperamos o mesmo nível de interação com o consumidor, não só nas transações de compras, mas também nas redes sociais”, conta Javier Meza, vice-presidente de marketing da The Coca-Cola Company na América Latina.

Estratégia 2021

Com todas as mudanças causadas pela pandemia da Covid-19, Javier aponta que a adaptação da companhia passou por três etapas. Primeiro, uma adequação na oferta de embalagens, preços e canais, já que os consumidores viviam o isolamento social. Depois, foi o momento de a companhia entender as mudanças no comportamento do cliente e responder a isso. “O que temos visto agora é um consumidor que está muito mais preocupado com segurança, conveniência e que quer comprar as marcas que conhece e sabe da qualidade”, afirma o executivo.

“Então, nós ajustamos nossas mensagens para conectar com esse mindset. Nós mudamos um pouco o tom para dar segurança ao consumidor e lembrar que nossas marcas são as que ele conhece há muito tempo e pode confiar na qualidade”, conclui o VP de marketing. Segundo ele, em um nível mais profundo está o posicionamento de otimismo e solidariedade da marca, que só foram reforçados pelo momento.

A América Latina é a primeira região no mundo em vendas para a Coca-Cola. Entre seus planos para 2021, estão a aposta nas refeições em família e nos “breaks”, agora em casa, como principais ocasiões de consumo. A marca também está ajustando sua oferta com a realidade econômica da região.

“Certamente, os preços acessíveis serão uma prioridade, porque nós entendemos que a crise econômica vai durar mais que a própria crise sanitária”, afirma Javier.

Para isso, nos últimos doze meses, a companhia reforçou a aposta nas embalagens retornáveis. Além de diminuir o resíduo plástico, o formato é uma opção mais acessível para o cliente. “Ela permite ao consumidor ter a Coca-Cola que ele gosta por um preço menor”, explica o executivo.

*Crédito da foto no topo: Reprodução

Publicidade

Compartilhe