Por que a Accenture comprou a Droga5

Buscar

Opinião

Publicidade

Por que a Accenture comprou a Droga5

Pyr Marcondes: "Os heads das holdings de propaganda não vão dormir hoje à noite"


3 de abril de 2019 - 16h56

Brian Whipple, CEO global da Accenture Interactive e David Droga, chairman criativo da Droga5 (Crédito: Divulgação)

Bom, eu não sei o que passou pela cabeça de quem tomou a decisão lá na empresa quando imaginou comprar uma das marcas mais emblemáticas e respeitadas do universo de agências de propaganda do mundo no momento. Mas, convenhamos, é um belo movimento, né?

Tenho uma tese sobre aquisições: nem sempre o que você compra é o que você leva.

Explico: incorporar uma empresa dentro de outra é complicado. Uma parte do que foi comprado tende a ficar pelo caminho. No entanto, a soma final pode ser ainda melhor do que as partes quando ainda em separado.

Quando uma consultoria como a Accenture compra uma agência com viés criativo high class como o da Droga5, o que eu imagino que esteja buscando é:

1. Incorporar aos seus genes algo que não consta do seu DNA original, a criatividade brilhante da publicidade;
2. Sinalizar ao mercado de marketing e as empresas anunciantes em geral que está nessa briga de publicidade e comunicação pra valer, cada vez com maiores assets worldclass;
3. Tirar o sono das grandes holdings de publicidade globais, suas virtuais concorrentes diretas;
4. Reforçar a tese de que tem um modelo algo híbrido e novo, que não é nem bem uma consultoria clássica, nem bem uma agência clássica, mas algo novo que fica, digamos, no meio, mas que antes de tudo não é nada que se conheça, tratando-se assim de um bicho novo, e potencialmente melhor;
5. Aumentar seu valor de mercado na Bolsa.

Tudo perfeito.

Vou adivinhar aqui agora três dificuldades que vai enfrentar:

1. Como disse acima, cultura não se compra; ou se cria ou se adapta, e esse é um desafio considerável;
2. Tô louco para ver o David Droga numa reunião de board da Accenture;
3. Tô louco para ver o board da Accenture em Cannes, onde David Droga sempre está.

Agora vou adivinhar o que vai funcionar legal:

1. Os clientes de ambas as empresas vão adorar;
2. Wall Street vai amar;
3. Os heads das holdings de propaganda não vão, de fato, dormir hoje à noite.

Fantástico este mundo em transformação em que vivemos. Eu jamais imaginei que estaria vivo para ver um movimento desses, mas olha ele aí, gente!

A Accenture tem um valor de mercado que é mais ou menos o dobro do valor de mercado de todos os grandes grupos de agências globais. Muita gente desconhece esse fato.

Então, por que anda ciscando para as bandas de um mercado que engole inteiro, se quiser, numa bocada, do ponto de vista de negócios e finanças? Bem, o consumidor gosta de ser seduzido pela imaginação, pelo sonho, pelo envolvimento de grandes histórias, pela beleza e pela emoção de uma marca. Consultorias não nasceram sabendo fazer isso.

A Droga5 sabe.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”