Realidade virtual: por que as marcas precisam prestar atenção

Buscar

Opinião

Publicidade

Realidade virtual: por que as marcas precisam prestar atenção

E-commerce e varejo devem ser os primeiros canais onde os profissionais de marketing começarão a adotar a tecnologia nos planos digitais


13 de novembro de 2019 - 13h34

(Crédito: John D. Williams/iStock)

A realidade virtual (VR, na sigla em inglês) tem sido associada ao mundo dos jogos ou a filmes de Hollywood de alto orçamento. Poucas marcas começaram a considerar o VR como algo mais do que um truque. Acredito que o VR representa uma grande oportunidade para os profissionais de marketing nos próximos anos.

Mas primeiro, o que é VR? A realidade virtual é uma experiência simulada que coloca o usuário em outro mundo ou dimensão. A experiência de outro mundo oferecida pela VR é a razão pela qual tem sido tão bem-sucedida nos jogos. Mas como os profissionais de marketing podem usar a realidade virtual para envolver e excitar seu público de maneira tangível?

É provável que o mundo do e-commerce e do varejo seja onde os profissionais de marketing começarão a adotar a realidade virtual em seus planos digitais e onde os clientes verão o primeiro impacto. A VR oferece uma enorme oportunidade para as marcas na área de reconhecimento e descoberta de produtos.

Para oferecer aos clientes uma maneira nova e interessante de aprender mais sobre a oferta da marca ou navegar nas prateleiras, os profissionais de marketing podem criar showrooms virtuais. Em um showroom virtual, os clientes podem se envolver de uma maneira muito mais realista com o produto antes de descerem o funil para comprar. Outra opção poderia ser apenas colocar um produto no mundo virtual e permitir que o usuário descubra e se envolva com ele antes de levá-lo a uma compra. Como cada vez mais consumidores compram online, as tecnologias de realidade virtual prometem ser uma arma poderosa no arsenal dos profissionais de marketing de varejo.

Os profissionais de marketing sabem que os millennials e a geração Z têm mais a ver com a experiência em marketing, por isso as marcas de moda e beleza estão frequentemente entre os primeiros adotantes de novas tecnologias e técnicas de marketing. Vimos algumas marcas de moda já experimentando VR.

Em 2017, a Coach, marca de designer norte-americana, começou a experimentar fones de ouvido VR em várias de suas lojas nos Estados Unidos. A experiência imersiva em vídeo deu aos compradores uma visão da primeira fila do desfile da NY Fashion Week e ofereceram uma promoção de presente com compra exclusiva para aumentar as vendas.

A Gap, outra marca conhecida de roupas, também experimentou a tecnologia na forma de um aplicativo virtual do DressingRoom. O aplicativo permitia que os compradores experimentassem roupas praticamente antes de comprar. Os esforços da Gap para ajudar os compradores a escolher a roupa certa para seu formato e tamanho foram um bom passo na direção de reduzir a insatisfação do cliente e o retorno do produto, o que traz consigo um grande ônus financeiro para o varejista.

O turismo é outra área importante em que a realidade virtual pode e está sendo usada hoje, mas apenas em pequena escala. Para profissionais de marketing de viagens que trabalham com hotéis ou companhias aéreas e procuram vender destinos, a tecnologia oferece uma maneira única e envolvente de levar os clientes a uma jornada de compra. As marcas de viagens que usam ao VR podem oferecer aos viajantes a oportunidade de fazer caminhadas virtuais em torno de um hotel ou resort antes de reservar sua viagem, evitando possíveis dores de cabeça em acomodações. Quem não gostaria de conhecer rapidamente as instalações de um hotel antes de reservar uma semana de férias lá? Um ótimo exemplo de uma marca de viagem utilizando a realidade virtual é o Igloo Village em Zermatt, Suíça. Eles estão usando uma experiência simples para dar vida às suas acomodações aconchegantes em iglu e à vila coberta de neve.

Embora ainda seja cedo para a tecnologia, a VR tem o potencial de oferecer aos profissionais de marketing uma maneira nova e empolgante de levar os clientes à jornada do conhecimento do produto, por meio da localização e interação do produto no mundo virtual, até a compra.

Com o tempo, as mídias sociais substituirão o comércio eletrônico como o conhecemos. Se você observar os novos recursos de comércio eletrônico no Instagram, que se tornou a plataforma social mais envolvente para as marcas, muito em breve será possível executar todo o funil de marketing, da descoberta à publicação. E como um formato de conteúdo empolgante e empolgante, prevemos que a VR vai desempenhar um papel fundamental nos planos de marketing digital das marcas nos próximos anos.

*Crédito da foto no topo: Reprodução

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Instagram

  • Coach

  • gap

  • e-commerce

  • marketing

  • games

  • realidade aumentada

  • realidade virtual

  • Millenials

  • público

  • Geração Z

  • e-sports

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”