A transformação é de todos nós

Buscar

Opinião

Publicidade

A transformação é de todos nós

E só ocorre se todos estiverem envolvidos e se sentirem parte dos processos de evolução


3 de fevereiro de 2021 - 13h32

(Crédito: Reprodução)

Aí 2021 chegou, já estamos entrando no segundo mês, e aquela mudança de contexto que se esperava — ou que se desejava — não aconteceu e, ao que tudo indica, o ano não será muito diferente do que vivenciamos até aqui. Ou seja, mais mudanças estão por vir — e muitas delas sem spoiler nem prévio aviso. Significa que não podemos perder o foco que demos à digitalização e às novas tecnologias ao longo do ano passado para fazer frente a um contexto completamente diferente do previsto nos planejamentos de áreas. Com as pessoas no centro de tudo!

Já comentei neste espaço sobre a importância da cultura para acelerar as transformações internas. o que se torna ainda mais importante se observarmos a velocidade com a qual as mudanças têm ocorrido. Mas o lado positivo desse verdadeiro intensivo que as empresas fizeram no universo digital, e em um tempo muito mais curto do se esperava, é que os colaboradores querem fazer parte dessa transformação. Uma transformação que já é percebida como essencial para a perenidade dos negócios.

Pesquisa divulgada em dezembro de 2020 (Four Insights on the Culture of Digital Transformation), da Futurum Research, apontou que 94% dos entrevistados gostariam de estar mais envolvidos em ajudar suas empresas a implementar novas tecnologias ou iniciativas de transformação digital. Fiquei muito feliz com esse dado porque acredito realmente que a transformação só ocorre se todos estiverem envolvidos e se sentirem parte dos processos de evolução.

Pode ser que a experiência que vivenciamos no ano passado, de ter de acelerar em meses o que levaríamos alguns anos para realizar, tenha, naturalmente, derrubado a resistência às mudanças. Se antes de a pandemia surpreender o mundo tínhamos de dedicar horas a convencimentos internos para aprovar projetos, durante 2020 isso mudou. Percebemos que muitos daqueles projetos e as mudanças decorrentes deles seriam fundamentais para a sobrevivência dos negócios e, também, para proporcionar um pouco mais de qualidade de vida em nossas rotinas alteradas compulsoriamente.

Agora, olhando para a frente, estamos tentando entender o que fica de todos esses aprendizados que tivemos e o que mais deve ser incorporado. Uma questão importante sobre a qual teremos de evoluir é esse engajamento que se vê como uma aspiração dos colaboradores das empresas. A mesma pesquisa da Futurum Research mostra que os funcionários acreditam que podem ajudar no processo de transformação digital de algumas formas: ajudando colegas a utilizar novas tecnologias (50%); abrindo a mente para o uso das ferramentas (40%); mostrando positividade sobre as iniciativas de mudanças (35%); recrutando talentos com forte experiência digital (33%); promovendo discussões e colaboração entre as equipes (27%).

Acredito que cabe a nós potencializar essa vontade exposta por funcionários das empresas para provocar realmente a mentalidade da transformação digital. Comunicação, treinamento, colaboração entre áreas, estratégias definidas e cascateadas vão fortalecer a cultura da organização.

Como temos visto, a transformação digital é uma jornada contínua e que precisa envolver todo mundo, independentemente da posição que se ocupa ou da área de atuação. As mudanças continuarão ocorrendo e, por isso, a cultura que permeia a organização é que nos vai dar a confiança de que estaremos preparados para lidar com elas, todos juntos. E nossa pauta principal continuará sendo, sempre, as pessoas.

*Crédito da foto no topo: Reprodução

Publicidade

Compartilhe