4 previsões do mercado de tecnologia para 2022

Buscar
Publicidade

Opinião

4 previsões do mercado de tecnologia para 2022

Este ano, veremos as empresas de tecnologia se movimentarem para reconhecer sinais contextuais e sinais implícitos para personalizar as experiências online


27 de janeiro de 2022 - 15h00

(Créditos: Andrey Suslov/shutterstock)

Se 2020 foi o ano de incerteza e acerto de contas, 2021 significou o começo de algumas mudanças. Novas oportunidades de negócios nasceram de uma migração massiva para o online, a publicidade digital tornou-se mais importante do que nunca, e empresas em todos os lugares perceberam o valor da diversidade.
Aqui está o que eu acredito que virá dessas mudanças em 2022.

1. A realidade aumentada vencerá um metaverso de realidade virtual, porque ninguém quer um Jogador Nº1 da vida real

Vimos Mark andar em um mundo virtual, e todos nos lembramos de Jogador Nº1 – filme de Steven Spielberg, que retrata um futuro distópico cinematográfico e cheio de nostalgia que dominou as bilheterias com US$ 53,2 milhões em vendas de ingressos no fim de semana de abertura nos EUA em 2018, e mais US$ 128 milhões no exterior.
É um filme legal, mas nos fez parar e pensar sobre o que um metaverso poderia realmente fazer à nossa sociedade. Poderia criar um mundo onde estamos em casa cada vez mais, porém sozinhos, e menos sociáveis uns com os outros. Quem está animado com isso? Tenho certeza de que há espaço para realidade virtual, assim como há espaço para carros autônomos, mas acho que um metaverso de realidade aumentada será mais interessante aos “olhos de um público de massa”, em comparação a um metaverso de realidade virtual, assim como eu acho que drones pessoais que voam por aí, vencerão os carros autônomos. A realidade aumentada fornece muitos dos benefícios de um metaverso de realidade virtual sem exigir que abandonemos nosso mundo completamente.

Não importa se usarmos óculos em casa e nos conectarmos a um mundo virtual, ou a um mundo aumentado; ou se o Facebook (ou outro player) seja o único a “ganhar” com o Metaverso – o mais importante é não replicar os erros de nossos ambientes de SOCIAL. Se o Facebook tiver sucesso em sua empreitada, eles terão que resolver alguns problemas grandes para evitar os mesmos problemas que tiveram com seu Feed.

Sem mais problemas de privacidade, sem mais prejudicar publishers com iniciativas do tipo Artigos Instantâneos, sem mais problemas de discursos tendenciosos e moderação de conteúdo. Meta é uma máquina de execução, e eles têm uma chance real de fazer a coisa certa.

Os dados da Taboola mostram que todos já se importam com o metaverso, então vamos fazer do jeito certo. Nos últimos 90 dias, vimos um aumento de 6525% em Page views de conteúdo relacionado ao metaverso, em nossa rede.

2. Todos começarão a vender anúncios digitais

2021 foi um ano recorde para o crescimento da publicidade. Os gastos mundiais com anúncios atingiram US$ 780,59 bilhões, o que é US$ 32,92 bilhões a mais em gastos do que o previsto inicialmente.

Esse crescimento maciço aconteceu em parte porque os gastos com anúncios diminuíram em 2020, quando a COVID-19 espalhou a incerteza empresarial. Mas também aconteceu porque os anúncios digitais estimularam o empreendedorismo. Eles permitiram que as pequenas empresas combinassem seus produtos a consumidores ao redor do mundo e com custos interessantes. As redes sociais estão passando por uma transição, com mudanças de privacidade impactantes. O IDFA da Apple e outras iniciativas estão dificultando a segmentação das redes sociais da maneira como era feita, o que significa que os anunciantes procurarão outros canais que possam escalar.

Minha previsão é que, eventualmente, todas as empresas que alcançarem pessoas em escala, começarão a mostrar anúncios para um fluxo de receita adicional. Estou falando de todos — todos os streamers, todas as empresas automobilísticas, aplicativos de telemedicina, tecnologias farmacêuticas, plataformas imobiliárias e plataformas financeiras. Muitas indústrias estão prontas para a publicidade.

Já está acontecendo. Bumble (app de relacionamento) agora vende roupas para você usar no seu primeiro encontro.

O DoorDash (app de delivery de comida) acaba de lançar anúncios de busca em sua plataforma, o que atraiu interesse dos leitores de notícias, seguindo outros como Uber Eats e GrubHub.

Suspeito que com o tempo a Netflix mostrará anúncios em alguns mercados, a Tesla mostrará anúncios no carro, os consumidores terão o “trazido até você por” em qualquer serviço que usarem que tenha escala significativa. Nesse cenário, é muito importante que os anúncios sejam relevantes e úteis, em vez de interromper e prejudicar a experiência do usuário.

3. O trabalho remoto ampliará o pool de talentos e aumentará a diversidade no mercado de tecnologia

O debate sobre porque uma força de trabalho diversa é melhor, deveria ter acabado há muito tempo. Não é apenas a coisa certa a se fazer – é fundamental para o sucesso. Construir uma empresa com liderança e base de funcionários diversa se tornará tão importante quanto ter uma grande margem de lucro. Ambos serão representativas para mensurar o sucesso de uma empresa.

2021 foi o ano da indústria de tecnologia, esta ainda bastante aquém quando se trata de construir uma força de trabalho diversificada, mas 2022 será um ano de execução e mensuração de metas reais e concretas. 60% das empresas já medem sua diversidade, enquanto 28% dizem que estão trabalhando para implementar métricas de mensuração.

A diversidade veio para ficar. O trabalho híbrido está se tornando permanente, e espera-se que esse movimento continue. As empresas precisam utilizar mais fontes de talentos e continuar a aumentar a diversidade de sua força de trabalho.

O que vem a seguir para iniciativas de diversidade é o foco em Equity&Inclusion. O que as empresas precisam fazer a seguir é apoiar a diversidade de seus talentos em um modelo de trabalho híbrido, e encontrar novas maneiras de engajamento para melhorar a colaboração, a inovação e tornar o trabalho prazeroso e gratificante.

Penso que veremos que o trabalho remoto e os modelos híbridos de trabalho permitem nos aproximarmos das metas de diversidade que estabelecemos para nós mesmos. Se a proximidade com hubs tecnológicos como o Vale do Silício, Tel Aviv e Nova York não são uma exigência, o mundo inteiro é sua casa. Isso expande muito seu pool de candidatos, e torna muito mais fácil encontrar candidatos de diferentes etnias, idades, gêneros e origens. À medida que expandimos nosso pool de candidatos para outras regiões, é importante praticarmos a empatia pelas situações individuais de trabalho de todos, para que todos sempre se sintam igualmente incluídos no trabalho.

4. O contexto será essencial

Os consumidores têm falado em alto e bom som – eles querem uma experiência online personalizada sem ter que fornecer informações pessoais para empresas de tecnologia. As pessoas não querem que as empresas de tecnologia saibam quem são ou para onde vão. Privacidade não é mais um tema que é discutido entre os conselhos de empresas — é um tema que preocupa a todos. E as pessoas vão conseguir o que querem.

Nos últimos anos, vimos muitas mudanças dos líderes da internet e dos órgãos governamentais, em um grande movimento para proteger a identidade dos usuários. GDPR, CCPA, IDFA, LGPD e o iminente mundo sem cookies apenas arranham a superfície.

Este ano, veremos as empresas de tecnologia se movimentarem para reconhecer sinais contextuais e sinais implícitos para personalizar as experiências online. A Amazon diz que “as pessoas que compram esse produto também compraram isso”, e não tem nada a ver comigo, tem tudo a ver com as pessoas da minha situação ou o contexto do produto que estou considerando. Veremos muito mais disso, contra o “diga-me quem você é, e eu te digo o que você precisa.”

Estou otimista com a oportunidade do nosso setor de crescer e mudar para melhor em 2022. Seja uma batalha entre realidade aumentada e o metaverso, diversificando o espaço publicitário para anunciantes, construindo equipes mais diversas ou uma internet com mais privacidade, 2022 será um ano de mudanças positivas.

Publicidade

Compartilhe