B3 retira Braskem do Índice de Sustentabilidade Empresarial

Buscar

B3 retira Braskem do Índice de Sustentabilidade Empresarial

Buscar
Publicidade

Marketing

B3 retira Braskem do Índice de Sustentabilidade Empresarial

Com desastre em Maceió, a Braskem deixa de integrar o índice da B3 na próxima sexta-feira, 8, cancela participação na COP28 e vê ações caírem


5 de dezembro de 2023 - 11h52

A B3 excluiu a Braskem da carteira de seu Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3). O índice funciona como uma ferramenta de análise de sustentabilidade das empresas de capital aberto listadas na bolsa. Ele visa avaliar a sustentabilidade das companhias com base em indicadores de ESG.

braskem

Caso Braskem teve início em 2018 e voltou a ter desdobramentos nesta semana (Crédito: Caio/Adobe Stock)

A decisão, que passa a valer a partir de sexta-feira, 8, ocorre em meio à situação de emergência decretada pela Prefeitura de Maceió decorrente de tremores de terra registrados em bairros da cidade na última quarta-feira, 29. O fenômeno indica um possível colapso de mina de extração de sal-gema, um tipo de cloreto de sódio utilizado na fabricação de soda cáustica e PVC, da Braskem, na capital alagoana.

Devido à ocorrência, a B3 deu início a um Plano de Resposta a Eventos ESG no sábado, 2. Segundo a Bolsa, a decisão considerou os quatro pilares divulgados no Plano. O primeiro deles, o impacto ESG da crise, seguido pela gestão da crise feita pela companhia e o impacto de imagem da crise na empresa. Por fim, considera a resposta da petroquímica à crise.

Diante do acontecimento, a Braskem cancelou presença na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28). O evento está sendo realizado em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Em comunicado, a empresa alegou que a decisão visa “evitar que o assunto sobrepujasse quaisquer outras discussões técnicas, dificultando eventuais contribuições que a empresa pudesse oferecer”, conforme indica a CNN. Afirmou também que segue acompanhando o evento e as discussões sobre as mudanças climáticas, uma vez que tem metas de redução de emissões de gases de efeito estufa e de crescimento com produtos mais sustentáveis.

Além disso, as ações da companhia na bolsa registraram queda.

Caso Braskem

O caso Braskem não é de hoje. Em março de 2018, os bairros Mutange, Bebedouro, Bom Parto, Farol e Pinheiro, localizados em Maceió, sofreram tremores de terra. O fenômeno provocou rachaduras em residências e estabelecimentos comerciais, bem como o afundamento do solo. A ocorrência foi uma consequência das atividades de mineração feitas pela Braskem na região para a exploração do sal-gema.

Ao todo, 14 mil imóveis foram afetados e mais de 55 mil pessoas sofreram remoções emergenciais. Ainda, a área em que se encontra a mina da Braskem tornou-se um bairro fantasma.

As extrações eram realizadas em mais de 30 poços presentes nos bairros desde a década de 1970. Na época do primeiro desastre, a Braskem anunciou a paralisação dos trabalhos e até mesmo o fechamento de minas. Apesar disso, um relatório do Serviço Geológico do Brasil já apontava para a o afundamento do solo em décadas seguintes.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Hot Wheels ganha evento no Parque do Ibirapuera, em São Paulo

    Hot Wheels ganha evento no Parque do Ibirapuera, em São Paulo

    Exposição será realizada no Parque Ibirapuera e conta com atividades, interações e pista de Kart

  • Kwai patrocina o futebol masculino do Flamengo

    Kwai patrocina o futebol masculino do Flamengo

    Acordo é válido até o fim deste ano e contará com conteúdo especial e entregas no uniforme, entrevista e outros ativos