Com Starbucks, Nestlé esquenta disputa por coffee lovers

Buscar

Com Starbucks, Nestlé esquenta disputa por coffee lovers

Buscar
Publicidade

Marketing

Com Starbucks, Nestlé esquenta disputa por coffee lovers

Empresa suíça detalha a parceria no Brasil que envolve portfólio de 15 produtos incluindo café moído e cápsulas


23 de abril de 2019 - 12h00

 

Cápsulas da Nespresso são alguns dos quinze produtos que serão fruto da parceria (Crédito: Divulgação Nestlé)

A Nestlé Brasil oficializa nesta terça-feira, 23, os desdobramentos da parceria global com a Starbucks iniciada em maio do ano passado, quando investiu US$ 7,15 bilhões pelo direito definitivo de comercialização exclusiva dos cafés Starbucks. O portfólio para o Brasil inclui 15 produtos divididos em café torrado e moído, e cápsulas para os sistemas Nespresso e Dolce Gusto sob o conceito Starbucks At Home. No mundo, o portfólio possui 24 produtos, conforme anunciado em fevereiro deste ano.

Inicialmente, os produtos serão comercializados com exclusividade nas lojas da rede Pão de Açúcar e, a partir da segunda quinzena de maio, o produto estará disponível também em empórios de São Paulo. De acordo com Erika Junqueira, head de marketing de Starbucks Nestlé, o segmento de cafés premium vem conquistando maior espaço, fruto do amadurecimento do consumidor, que está exposto a mais opções. “Observamos uma transformação de hábitos de consumo, o que permite ainda a oportunidade de conquista de um mercado importante ao ampliar a oferta de bebidas variadas”, afirma.

Um dos objetivos da Nestlé com a aquisição foi o foco em experiência. “Optamos por oferecer a conveniência de uma cafeteria Starbucks em casa, considerando que o café premium já está em 3 milhões de lares brasileiros.  Nosso objetivo é o de elevar o padrão do café que o brasileiro consome e oferecer opções de qualidade superior para todos os momentos do dia. A parceria está alinhada com nossa estratégia de investir nas categorias de alimentos e bebidas de alto crescimento”, explica.

Em relação aos desdobramentos de comunicação e marketing, Erika afirma que o objetivo é trabalhar todo o portfólio com o conceito de Starbucks At Home, que reforça a proposta de oferecer a opção para que os consumidores continuaem desfrutando da experiência Starbucks em casa.  “A comunicação terá grande visibilidade nos pontos de vendas, com material de trade premium. Além disso, a campanha de Starbucks At Home poderá ser vista pela internet e mídia externa e o site com informações sobre os produtos, https://www.starbucksathome.com/br/.

 

A Starbucks lidera o mercado de distribuição de cafés com uma fatia de US$ 13,8 bilhões (Crédito: Reprodução)

Para reforçar o conceito “At Home”, durante os meses de abril, maio e junho a Nestlé também promoverá as Casas Starbucks: espaços icônicos do estado de São Paulo que serão transformados em locais de debates de temas diversos e atuais, com a participação de importantes nomes, sempre acompanhados da nova linha de cafés. A iniciativa é assinada pela agência Samba.

Antes do negócio com a Starbucks, a Nestlé liderava o mercado de distribuição de cafés com uma fatia de US$ 13,8 bilhões. No ano passado, a Nestlé já havia adquirido as marcas Blue Bottle Coffee e Chameleon Cold-Brew para expandir seu portfólio. O negócio envolvendo as duas empresas está ligado à venda por parte da Nestlé, em janeiro do ano passado, de sua divisão de chocolates para a italiana Ferrero por US$ 2,8 bilhões. Na ocasião, a empresa se desfez de marcas como BabyRuth, Butterfinger e Crunch e passou a ter um caixa alavancado, ou seja, dinheiro disponível para aquisições.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Masp vai hastear bandeira LGBT+ durante a Parada de São Paulo

    Masp vai hastear bandeira LGBT+ durante a Parada de São Paulo

    Iniciativa inédita foi idealizada pelo Castro Festival e viabilizada pela marca Amstel

  • Para líderes, investimento em ESG está conectado à reputação

    Para líderes, investimento em ESG está conectado à reputação

    Pesquisa indica motivações de CEOs e C-level para adoção de práticas de ESG; alta gestão aponta, ainda, imagem da marca e melhora na gestão da empresa