Os desafios das marcas ao entrarem em novas categorias

Buscar

Os desafios das marcas ao entrarem em novas categorias

Buscar
Publicidade

Marketing

Os desafios das marcas ao entrarem em novas categorias

Empresas dizem que pesquisar profundamente o mercado e criar um plano de comunicação transparente influenciam a inserção em novos segmentos


28 de outubro de 2022 - 6h00

Criar produtos de outras categorias e, assim, ampliar a diversificação do portfólio representa um passo importante e arriscado para as marcas no mercado atual tão competitivo. Nos tempos em que a palavra inovação faz parte do cotidiano da indústria, os desafios para investir em um novo segmento vão da concepção à comunicação de um novo item.

Marcas e novas categorias

Marcas comentam os desafios para lançarem produtos em novas categorias (Crédito: George Rudy/Shutterstock)

Recentemente, a Xandô, marca de leites tipo A e sucos integrais, incluiu novos produtos no catálogo. Na categoria de lácteos, a empresa lançou dois tipos de queijo e duas manteigas. Já nas bebidas, o portfólio passou a contar com suco verde.

Alexandre Wolff, presidente da empresa, explica que o processo de entrada em um novo segmento requer estudos minuciosos de todo o mercado. Em outras palavras, a marca precisa entender sobre o estágio de desenvolvimento da categoria, a concorrência, bem como as formas de chegar aos consumidores.

Wolff complementa que também é necessário aprofundar questões como oportunidade de crescimento da demanda, complexidade e estrutura para a produção e distribuição. “O maior investimento está ligado a todo o processo de pesquisa e desenvolvimento, inovação, treinamento e comunicação dentro e fora de casa. Acima de tudo, o lançamento precisa ter ligação com a visão da marca”, complementa.

Cosméticos e saúde

A Dailus também se lançou em uma nova categoria neste ano. A marca de cosméticos criou uma coleção hipoalergênica de esmaltes de alta performance. Por ser um ramo específico, ligado à saúde, Carolina Bertelli, diretora de marketing e novos negócios, conta que o processo teve outra camada de desafios.

“Investimos em pesquisas e testes clínicos para que a coleção fosse o mais livre possível de substâncias com potencial alergênico. Os esmaltes também precisavam ter cores alinhadas com as tendências do universo da beleza. Após o desenvolvimento do produto, focamos na comunicação, nos treinamentos e no ponto de venda”, acrescenta.

Comunicação das marcas

Com o item pronto, o jogo muda de campo e passa a ocorrer na ponta, no contato direto com os consumidores. Por isso, os executivos ressaltam a importância de uma comunicação transparente, estratégica e direcionada. Carolina comenta que, diante de uma novidade nas prateleiras, a marca tem o esforço para conquistar mais uma vez a clientela.

“Estar estabelecido no mercado não significa estabilidade. O consumidor está cada dia mais disposto a vivenciar novas experiências e produtos, além de consumir marcas com as quais já possui vínculo. Em lançamentos, nossas estratégias são para potencializar como o nosso público nos enxerga e destacar aquilo que ele já admira na marca”, fala.

Wolff concorda com a diretora de marketing da Dailus e acrescenta que o olhar para os pontos de venda também tem papel indispensável. “O plano de comunicação da Xandô é construído para fortalecer a imagem de marca premium. Nesse sentido, nós pulverizamos as informações on e off-line, principalmente, no PDV, onde nos posicionamos de forma estratégica”, finaliza.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Cade aprova a compra do Playcenter pela Cacau Show

    Cade aprova a compra do Playcenter pela Cacau Show

    Rede de chocolates adquiriu a empresa de entretenimento com o foco de ingressar no setor de experiências

  • Vult entra no segmento de produtos para cabelos

    Vult entra no segmento de produtos para cabelos

    Marca de beleza amplia atuação, colocando no mercado mais de 50 diferentes produtos para contemplar a diversidade brasileira