Apple e Paramount podem unir streamings, de acordo com jornal

Buscar

Apple e Paramount podem unir streamings, de acordo com jornal

Buscar
Publicidade

Mídia

Apple e Paramount podem unir streamings, de acordo com jornal

Informação dada pelo The Wall Street Journal indica que agrupamento visa tornar ofertas mais acessíveis e atraentes a partir de oferecimento de desconto aos assinantes


4 de dezembro de 2023 - 11h03

A Apple e a Paramount Global estudam movimento de parceria, conforme noticiado pelo The Wall Street Journal. Segundo o jornal norte-americano, as companhias estariam discutindo a possibilidade de agrupar seus serviços de streaming por meio de uma oferta combinada, o Paramount+ e a Apple TV+.

apple e paramount

(Créditos: AdobeStock)

O objetivo da união seria tornar os serviços mais acessíveis ao público por meio de uma oferta com desconto conjunto para acesso a ambas as plataformas – o que tornaria o plano mais barato do que assinar as plataformas de maneira separada.

De acordo com o Wall Street Journal, as negociações ainda estão em fases iniciais. Portanto, ainda não é possível saber maisd detalhes sobre planos, pacotes e valores de assinatura. Ademais, ainda não há informações sobre os países que poderiam ser beneficiados pelo agrupamento.

Crise do streaming

Uma movimentação parecida teria sido abordada por outras plataformas. O veículo indica que, em novembro, a Netflix e a Max (ainda HBO Max, no Brasil), teriam fechado acordos com a Verizon para oferecer seus serviços por US$ 10 nos Estados Unidos. Atualmente, os espectadores norte-americanos desembolsam US$ 17 pelas plataformas de forma separada.

Em 2023, diversos streamings tiveram um reajuste de preço repassado ao consumidor final. Grandes nomes como Netflix, Hulu, Disney Plus, Max, Apple TV Plus, Paramount Plus e Peacock aumentaram o valor das assinaturas. Assim, vem sendo cada vez mais difícil manter diversos planos, como ocorria em 2019, por exemplo.

Outro fator importante para o modelo de negócios dos streamigs é a suspensão do compartilhamento de senhas. No início do ano, a Netflix sinalizou que passaria a cobrar por acessos  compartilhados. A política era direcionada a essoas que residissem em casas diferentes e utilizassem a mesma conta do streaming.

À época, o Prime Video do Reino Unido provocou a decisão da concorrente. Em um tweet, a plataforma disse ao público que o acesso ao conteúdo é liberado para todo mundo com que o usuário quiser compartilhar sua senha.

Publicidade

Compartilhe

Veja também