Amazon, Netflix, Disney+: quais streamings já exibem publicidade?

Buscar

Amazon, Netflix, Disney+: quais streamings já exibem publicidade?

Buscar
Publicidade

Mídia

Amazon, Netflix, Disney+: quais streamings já exibem publicidade?

Com a entrada do Prime Video nos modelos de assinatura com inserções comerciais, maiores empresas do segmento passam a ter no mercado publicitário a expectativa de incremento de receitas

Preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem:


30 de janeiro de 2024 - 15h54

Nesta segunda-feira, 29 a Amazon ingressou na esfera da publicidade no ambiente do streaming ao estrear a versão de anúncios no Prime Video. Por enquanto, a nova modalidade estará disponível apenas para assinantes dos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Canadá.

Diferentemente de outras gigantes do streaming, como a Netflix, que inseriram a modalidade de assinatura com exibição de publicidade e, outras, sem a veiculações comerciais (porém, mais caras), o Prime Video adotou estratégia diferente. As veiculações de anúncios publicitários foram inseridas em toda a base de assinantes nesses quatro mercados.

Dessa forma, quem quiser continuar pagando o valor atual da assinatura começará, junto do conteúdo, a ver inserções de publicidade. Quem não quiser ver anúncio terá de pagar um valor adicional de US$ 2,99 por mês.

Inserir publicidade em meio ao conteúdo de filmes, séries e documentários é uma forma de as gigantes do streaming tentarem encontrar novas fontes de receitas em um cenário cada vez mais competitivo. Até então, a única forma dessas plataformas conseguirem faturamento era por meio de assinatura, modelo que não tem mais se mostrado tão rentável como na fase inicial das operações.

A inserção de conteúdo publicitário, ainda, pode representar também uma maneira de atrair assinantes, uma vez que os planos com tais inserções costumam ter um valor mais barato do que os demais. A Netflix, por exemplo, reportou nos últimos dias que teve, no último trimestre de 2023, seu melhor desempenho após a pandemia, com a inclusão de 13,1 milhões de novos assinantes.

Veja, abaixo, como cada uma das maiores plataformas de streaming do mundo está se abrindo ao mercado publicitário – e como estão esses planos no mercado brasileiro.

Netflix

Entre as gigantes do streaming, a Netflix foi a primeira a inserir anúncios de publicidade em meio ao seu conteúdo, criando uma modalidade de assinatura específica para isso.

A empresa deu início ao modelo em novembro de 2022, lançando o serviço em mercados como Brasil, Alemanha, Austrália, Canadá, Coreia, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão, México e Reino Unido. No Brasil, atualmente, o plano com anúncios sai pelo valor mensal de R$ 18,90.

Assim que o modelo de assinatura completou um ano, a Netflix relatou, em seu blog oficial, que já tinha mais de 15 milhões de clientes, no mundo, que faziam uso do plano.

Para as agências e anunciantes, a Netflix firmou parceria com a Microsoft Advertising, responsável pela elaboração do modelo de anúncios e formatos oferecidos pela plataforma.

Disney+

A Disney também correu atrás para buscar uma fonte de receitas junto ao mercado publicitário e lançou seu plano com anúncios para o Disney+ em dezembro de 2022, nos Estados Unidos.

O serviço substitui o então plano básico da companhia e chegou ao mercado pelo preço de US$ 7,99 ao mês. Quem não desejasse visualizar os anúncios tinha de assinar a versão premium, pelo valor de US$ 10,99 ao mês.

A companhia fez o lançamento da versão no mercado dos Estados Unidos. Quase um ano depois, a Disney também levou a modalidade ao Canadá e ao mercado europeu. A companhia ainda não detalhou planos de trazer o serviço a América Latina e Brasil.

MAX (HBO Max e Discovery+)

O Max, nova plataforma de streaming da Warner Bros. Discovery que une os catálogos das gigantes HBO Max e Discovery+ já chegou ao mercado dos Estados Unidos, em maio de 2023, com uma versão suportada por anúncios publicitários.

Na semana passada, a companhia anunciou que o novo streaming já tem data para chegar ao Brasil: dia 27 de fevereiro, em substituição ao HBO Max.

E o serviço já chegará à América Latina oferecendo aos assinantes a versão com publicidade. Segundo informações divulgadas pela Warner Bros. Discovery, o plano básico do Max, com a inserção de publicidade, terá o valor mensal de R$ 29,90. No plano No plano anual, a assinatura fica em R$ 225,90.

Os usuários do Max que não desejarem ver publicidade terão a opção do Plano Standard modalidade de assinatura com valor mensal de R$ 39,90 (sendo R$ 357,90 no plano anual).

Prime Video

Mais recente plataforma a abrir as portas à publicidade, o Prime Video terá como teste o mercado dos Estados Unidos, além de Reino Unido, Alemanha e Canadá, para avaliar a receptividade do público à versão com anúncios.

Os quatro mercados começaram a visualizar anúncios nesta semana, em meio ao conteúdo oferecido pela plataforma da Amazon. A companhia já avisou que, nos próximos meses, o modelo será estendido à França, Itália, Espanha, México e Austrália.

No caso da Amazon, todos os clientes do plano básico passam, automaticamente, a receber as inserções de publicidade. Quem não desejar ver os anúncios terá de pagar uma taxa adicional de US$ 2,99 ao mês.

Por enquanto, a companhia não revelou planos e pretensões de estender o modelo para a América Latina.

Paramount+

A Paramount também já aderiu à publicidade em seus negócios. No ano passado, em novembro, a companhia apresentou o que classificou como plano Premium, com conteúdos adicionais, e sem anúncios de publicidade. No Brasil, esse plano tem o valor de R$ 34,90 (mensal) ou R$ 309,90 (anual).

Junto ao anúncio, a empresa disse que o Paramount+ terá uma versão com anúncios, em alguns mercados internacionais (como Brasil, Austrália, Canadá e outros), ao longo de 2024.  Por enquanto, o Brasil, continua com o plano Básico do Paramount+, pelo valor de R$ 14.90.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Google assina acordo para criar centro de pesquisa em São Paulo

    Google assina acordo para criar centro de pesquisa em São Paulo

    As obras de construção do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) IPT começam em setembro de 2024; Google já começa a compor a equipe de engenheiros e desenvolvedores

  • Plataforma de streaming processa Fox, Disney e Warner nos EUA

    Plataforma de streaming processa Fox, Disney e Warner nos EUA

    Fubo.TV alega que o novo streaming esportivo, que unirá as três companhias, tende a prejudicar a concorrência