ESG, reputação e gestão de crises

Buscar
Publicidade

Opinião

ESG, reputação e gestão de crises

Num cenário em constante evolução, os investidores, os consumidores e a sociedade em geral estão cada vez mais atentos às práticas empresariais responsáveis


6 de outubro de 2023 - 14h00

Em um mundo empresarial cada vez mais interconectado e consciente, a gestão de riscos e a comunicação de crises são cruciais para preservar a reputação e a credibilidade das organizações. No entanto, um jornalista que esteja atento aos movimentos que acontecem no mundo precisa perceber que sua visão e missão precisam ir muito além. Compreendi que entender e estudar os princípios ESG –Ambientais, Sociais e de Governança se tornou um dever inquestionável para quem atua na linha de frente da proteção da imagem das empresas, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Em um cenário em constante evolução, os investidores, os consumidores e a sociedade em geral estão cada vez mais atentos às práticas empresariais responsáveis. As considerações ESG não são mais apenas bônus para as empresas; elas são elementos essenciais na construção e na manutenção da reputação corporativa. O compromisso com práticas ambientais sustentáveis, a promoção da diversidade e inclusão, e a transparência na governança são fatores que moldam a percepção pública de uma empresa. Uma gestão inadequada em qualquer um desses aspectos pode levar a crises de reputação que podem abalar os alicerces de uma organização. Entender que antecipar, prevenir e mitigar crises requer conhecer e avaliar o cenário ESG de uma empresa. Ao adicionar essa camada de expertise ao currículo, me tornei uma defensora da integração de ESG nas estratégias de gestão de riscos e comunicação de crises. Reconheci que a capacidade de identificar e abordar vulnerabilidades relacionadas a ESG antes que elas se transformem em crises é um ativo valioso para qualquer organização.

A sinergia entre ESG, reputação e gestão de crises é inegável. Quando as empresas adotam práticas ESG transparentes, elas estão, por si só, construindo uma reputação positiva e prevenindo crises, porque, hoje, os stakeholders envolvidos com o seu negócio querem estar inseridos em um ambiente preocupado com práticas sustentáveis. Por outro lado, podemos fornecer orientações estratégicas valiosas para alinhar as práticas ESG com as estratégias de comunicação de crises. Reconhecer essa sinergia e abraçá-la como uma parte fundamental do compromisso em proteger e elevar a reputação das empresas é fundamental. A expertise em ESG não apenas enriquece a profissão de gestão de crises, mas também aprimora a capacidade de garantir que as organizações enfrentem desafios com integridade e responsabilidade.

Esta é a evolução da gestão de crises e comunicação corporativa em um mundo onde ESG é uma força motriz incontestável. Minha decisão de investir em uma compreensão profunda dos princípios ESG demonstra um compromisso inabalável com a integridade, responsabilidade e sustentabilidade das organizações com as quais trabalho. E o mercado jornalístico precisa pensar em aprofundar o tema. Profissionais que atuam frente a crises de comunicação e reputação desempenham um papel crucial na defesa e na promoção de práticas empresariais responsáveis. Não apenas na ajuda para evitar crises, mas também contribuir para a construção de um mundo empresarial mais ético, inclusivo e orientado para a sustentabilidade. Impactar positivamente o futuro dos negócios e da sociedade como um todo precisa ser a nossa marca.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • A estratégia por trás dos naming rights no Brasil

    O mercado brasileiro de naming rights ainda está em estágio inicial, mas com grande potencial de crescimento

  • Branding e influência: valores e conexão

    Os consumidores, informados como nunca, colocam grande importância na autenticidade e na integridade das marcas que escolhem apoiar ou consumir