Mais agitado que siri na lata

Buscar
Publicidade

Opinião

Mais agitado que siri na lata

Publicitário é como siri na lata, não consegue permanecer parado e está sempre procurando uma saída


14 de fevereiro de 2022 - 6h00

(Crédito: Blue Planet Studio – shutterstock)

Quem pesca siri sabe bem o que acontece quando ele é colocado em uma lata. O bicho fica agitado e se revira para tudo que é lado. “Estar mais agitado que siri na lata” é uma expressão muito usada no Nordeste para quem não consegue ficar quieto com alguma situação ou alguns lugares-comuns.

O nosso setor age da mesma maneira. Publicitário é como siri na lata, não consegue permanecer parado e está sempre procurando uma saída. Ainda mais quando o mundo – e a forma com que se faz publicidade – muda tanto. Vale ficar parado, esperando o que pode acontecer? Temos mesmo que agitar o meio?

Fazemos parte de um segmento com dinâmica ímpar. Inquieto por natureza. “Tudo muda, o tempo todo…”, como bem canta Lulu Santos em “Como uma onda no mar”. Os cenários, muitas vezes, não nos permitem afirmar que a tendência de hoje será realidade no futuro (e um futuro não tão longe assim). Mas uma coisa é certa: devemos considerar sempre o consumidor como nosso principal protagonista, pois é a ele que queremos alcançar e envolver. Esse é o nosso grande e eterno desafio. Criar conexão entre marcas e pessoas. E, mais do que nunca, entender que agora esse público não é só “alvo”. Ele é fala.

Se no passado as marcas falavam e os consumidores só ouviam, hoje, principalmente em razão das redes sociais, a conversa é outra. A conversa é conversar. E, claro, transformar essa conversa em conversão. Afinal, não adianta nadar, nadar e morrer na praia. Então, para garantir o peixe de cada dia, os profissionais que estão vivendo esse movimento devem estar atentos a tudo, procurando e criando novos caminhos. Devem se provocar e se mexer mais que siris, dentro e fora da lata.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Marcas fofoqueiras

    O consumidor deixa rastros de seus gostos (ou não) o tempo todo, resta às empresas saberem como lidar com isso

  • Liderar (e ser liderado) em tempos ambíguos

    Planilha de empresas tóxicas, inspirada na congênere de agências, reflete o desafio atual dos ambientes corporativos em meio à pressão por resultados e busca de significado