Biometria por voz: jornada de segurança e experiência simples

Buscar
Publicidade

Notícias

Biometria por voz: jornada de segurança e experiência simples

Marcelo Peixoto, da Minds Digital, aponta segurança da ferramenta e facilitadores de sua aplicabilidade em canais digitais

Preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem:


23 de novembro de 2022 - 6h03

Inteligência artifical de biometria por voz

(Crédito: LuckyStep/shutterstock)

Com a expansão de fraudes registradas com pessoas físicas e jurídicas, o alerta é ainda maior para o período de Black Friday, tanto que o evento ficou popularmente conhecido no Brasil como Black Fraude. Se os usuários devem se proteger a partir de medidas de atenção, as companhias buscam formas de autenticação para aumentar a proteção dos consumidores e, assim, evitar golpes fraudulentos.

A Minds Digital, empresa que se consolida como voice IDtech, é especialista na tecnologia de biometria por voz a partir da inteligência artificial (IA) para autenticar usuários em canais digitais para reforçar a segurança de outras autenticações que não preenchem gaps existentes em call centers, por exemplo. Marcelo Peixoto, CEO da Minds, explica a funcionalidade e suas aplicações.

Meio & Mensagem – O que é a biometria por voz?
Marcelo Peixoto – Nossa inteligência artificial conseguiu fazer algoritmos próprios para criar um que consiga entender a sua voz. Através de vários estudos científicos, vimos que a voz é única de cada ser humano e pode ser, sim, utilizada para validar uma identidade. Ou seja, é uma identidade digital. Esse algoritmo consegue entender todos os elementos de segurança que cada ser humano no planeta hoje possui de único em sua voz e criar uma identidade a partir de quatro segundos de fala com o durante quatro ou cinco segundos e conseguimos saber quem está falando. É uma nova forma de autenticação por voz, criando uma experiência e levando para o mercado uma ferramenta de autenticação e de prevenção a fraude.

M&M – Em quais canais a biometria por voz pode ser aplicada? Como isso é feito?
Peixoto – Sempre pensamos em como poderíamos proteger todo o ecossistema, então sempre focamos nesse propósito de proteger pessoas e empresas e como fechamos todo o ecossistema, e a voz permite isso. Gosto muito de falar que a voz é muito democrática, ela está no nosso dia a dia o tempo todo. Conseguimos autenticar em qualquer tipo de canal. Seja no aplicativo, por exemplo, conseguimos colocar uma jornada de autenticação por voz, desde a abertura de uma conta digital, uma autorização de uma transação Pix até o transbordo para um canal digital, como WhatsApp ou chatbot. Mais de 70% dos bancos hoje em dia estão no WhatsApp com a contratação de serviços e produtos. […] Caso o usuário seja transbordado para um canal de atendimento humano, via call center, isso pode ser feito por autenticação no momento em que ele está conversando com o atendente: ouvimos poucos segundos da voz e conseguimos autenticar em tempo real. O mais interessante é que não é preciso ter nenhum dispositivo muito caro ou algum outro tipo de device para fazer isso, até mesmo sem celular é possível se autenticar de forma bem simples trazendo uma experiência nova.

M&M – Além da prevenção de fraudes, quais são as demais aplicações disponíveis para a biometria por voz?
Peixoto – Estamos implementando a nossa solução no atendimento humano, depois expandimos para outros canais. Percebemos que o mercado está muito preocupado em não proteger somente um canal. Geralmente começamos com o atendimento humano, que é onde tem uma porta muito aberta para os fraudadores fazerem os ataques de engenharia social, ou seja, todos esses mega vazamentos de dados que vem ocorrendo no mercado, eles infelizmente já conhecem muito mais sobre nós do que nós mesmos, então tentam a todo momento no call center tentando se passar por você. Na plataforma temos não só o algoritmo de autenticação por voz, mas todo um motor de antifraude para perceber comportamentos suspeitos — entender, por exemplo, por quê a voz de uma pessoa está tentando se passar por vários CPFs. Entendemos comportamentos desse tipo e alertamos a empresa em tempo real. Percebemos também que o fraudador tenta atacar todos os canais e todas as empresas.

M&M – O mercado tem recebido bem essa tecnologia?
Peixoto – Por incrível que pareça, sim. Todos os clientes e prospects que a gente vem conversando ficam bastante interessadas. Como é tecnologia ainda nova no Brasil, estamos em formação de autoridade sobre o assunto. A voz traz muito a experiência de falar apenas. Não é preciso enviar documentos, tirar foto ou selfie, ou fazer qualquer outro tipo de procedimento. Entregamos uma experiência nova, com uma fricção mínima. O mercado procura soluções para deixar uma jornada muito segura, mas com uma experiência e fricção interessantes. Não adianta colocar um tipo de autenticação que exige um esforço muito grande, acaba-se tendo uma perda no funil dos processos de venda e conversão.

M&M – A Minds Digital se posiciona como voice IDtech. O que caracteriza uma empresa do tipo?
Peixoto – Existem muitas tecnologias de autenticação e elas foram categorizadas ou segmentadas como IDtechs, de identification. E essas empresas estão relacionadas a algum tipo de autenticação, seja por fingerprint, reconhecimento facial ou comportamental.

Publicidade

Compartilhe

Veja também