Publicidade

Women to Watch

5 lideranças indicam livros para 2024

Djamila Ribeiro, Viola Davis, Conceição Evaristo, Alan Lightman e bell hooks estão entre as recomendações


12 de janeiro de 2024 - 14h45

Com o começo de um novo ano, vem a vontade de renovar a lista de próximas leituras para começar 2024 com novas ideias inspiradoras e reflexões sensíveis. Para ajudar nesta missão, pedimos para cinco lideranças femininas do mercado indicarem, cada uma, um livro que as tocou. Samantha Almeida, da Globo; Luciana Barreto, jornalista; Paula Marsili, da Natura; Adriana Barbosa, da Pretahub; e Chiara Martini, da Coca-Cola fizeram suas recomendações de leitura para as leitoras do Women to Watch. 

Os livros escolhidos provocam diferentes reações. Questionamentos sobre a própria identidade, sobre a vida e o tempo, sobre superação e coletividade. Embora cada um à sua maneira, todos despertarão curiosidade suficiente para subir na lista de prioridades. 

Adriana Barbosa, CEO da Pretahub e presidente do Instituto Feira Preta 

Adriana Barbosa, da Pretahub, indica o livro “Irmãs do Inhame”, de bell hooks

O livro nasce a partir das experiências e reflexões inspiradas por um grupo de apoio de mulheres negras, as “Irmãs do Inhame”, e o nome é carregado de significado. O inhame é símbolo da sustentação da vida, da nutrição e do cuidado, e também das conexões diaspóricas para a comunidade negra. 

A obra é assumidamente pensado como um livro de autoajuda direcionada para as mulheres negras — embora não apenas a elas — e suas relações com o corpo. Para hooks, o processo de cura passa necessariamente pelo olhar compreensivo entre as “irmãs”, sem jamais esquecer do universo mais amplo da luta coletiva. Além disso, o livro traz uma abordagem fluida sobre o poder de cura do autocuidado, frente ao racismo e machismo. É uma abordagem aprofundada sobre o feminino negro. 

Chiara Martini, creative strategy lead na The Coca-Cola Company

Chiara Martini, da Coca-Cola, recomenda a obra “Sonhos de Einstein”, de Alan Lightman

Sem dúvidas o livro que li mais vezes na vida foi “Sonhos de Einstein”. A primeira vez que li, estava na faculdade, e a história me levou para tantos lugares e estimulou tanto a minha imaginação que virou literalmente o livro que está ao lado da minha cama desde então. É a obra que dou de presente para pessoas queridas que acho que vão gostar da história. 

“Sonhos de Einstein” é um romance escrito por Alan Lightman, físico e escritor, que nos leva para a vida do jovem Albert Einstein, então com 26 anos e funcionário do Escritório Suíço de Patentes, logo antes de chegar na teoria da relatividade. Einstein tem sonhos curiosos nos quais a noção do tempo é totalmente subvertida. Em cada sonho (são 30 poemas em prosa) o tempo funciona de uma maneira diferente, brincando com a nossa lógica, com um tom bem-humorado que faz da leitura uma experiência que provoca a nossa imaginação. Recomendo até dormindo. 

Luciana Barreto, jornalista e apresentadora  

Luciana Barreto, jornalista e apresentadora, indica “Ponciá Vicêncio”, de Conceição Evaristo

Gostaria de indicar o primeiro livro da Conceição Evaristo, “Ponciá Vicencio”, que está completando 20 anos. É uma história muito emocionante. Quem não leu, precisa ler. Recentemente pude conversar com a autora sobre o livro e o processo de escrita. Ela foi ovacionada pela plateia.

A história de Ponciá Vicêncio descreve os caminhos, as andanças, as marcas, os sonhos e os desencantos da protagonista. A autora traça a trajetória da personagem da infância à idade adulta, analisando seus afetos e desafetos e seu envolvimento com a família e os amigos. Discute a questão da identidade de Ponciá, centrada na herança identitária do avô, e estabelece um diálogo entre o passado e o presente, entre a lembrança e a vivência, entre o real e o imaginado. 

Paula Marsili, diretora de mídia e audiências Latam na Natura 

Paula Marsili, da Natura, recomenda a obra “Finding Me”, de Viola Davis

Li 30 livros no ano passado, mas entre os que mais gostei e quero indicar foi “Finding Me”, da Viola Davis. Este livro é um exemplo de como uma pessoa, quando tem um sonho e um objetivo a ser conquistado, mesmo enfrentando todos os obstáculos que a vida nos coloca, consegue superar e chegar onde acredita merecer estar e ao lugar onde haverá amor e felicidade. 

Samantha Almeida, diretora de diversidade & inovação na Globo  

Samantha Almeida, da Globo, indica o livro “Cartas para minha vó”, de Djamila Ribeiro

 No último livro da filósofa Djamila Ribeiro, a partir de suas memórias infantis, ela transita entre temas complexos e duros como feminismo, raça e ancestralidade. Particularmente tenho pensado muito sobre o que nos constitui. Nossa jornada histórica no mundo, nessa passagem. Referências, sonhos, projeções de futuro, “da onde a gente vem?”. 

“O que eu mais gostava era ter você comigo, trançando meus cabelos. Todas as vezes que você ia embora, eu chorava. Até hoje, despedidas são difíceis pra mim.” 

Nos iludimos quando pensamos que nascemos no dia do nosso aniversário ou que viver é tempo apenas no hoje. Somos frutos do que veio antes do anteontem, e de tudo vivido em nosso DNA mesmo sem existirmos. E isso é o mais incrível sobre nós, humanos. 

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Executivas e autoras: conheça livros de lideranças femininas

    Executivas e autoras: conheça livros de lideranças femininas

    Ana Couto, Danielle Torres, Deborah Wright, Karla Felmanas e Rachel Maia são algumas das mulheres que escreveram obras autobiográficas e guias práticos

  • W2W Summit 2024: Precisamos ressignificar a velhice

    W2W Summit 2024: Precisamos ressignificar a velhice

    Assista ao painel com a antropóloga Mirian Goldenberg sobre a necessidade de passarmos a encarar a longevidade como um lugar de potência e oportunidade