Visa: marketing tech determinará o futuro do patrocínio

Buscar

Marketing

Publicidade

Visa: marketing tech determinará o futuro do patrocínio

Muito além da construção de marca, grandes eventos demandam soluções, como explica Luciana Resende, VP de marketing da Visa, parceira do Super Bowl há 20 anos


1 de fevereiro de 2020 - 6h00

Luiz Gustavo Pacete, de Miami*

 

Luciana Resende: “somente uma marketing tech será capaz de atender as demandas atuais do marketing” (Crédito: Luiz Gustavo Pacete)

Parceira recorrente de grandes eventos esportivos como Copa do Mundo e Olimpíadas, a Visa renovou seu contrato de patrocínio com a NFL até 2025. Especificamente no caso do Super Bowl, como fornecedora de soluções voltadas a pagamentos, a marca investiu em um espaço de experiências localizado no Miami Beach Convention Center e desenvolveu uma estratégia de multi-formatos para a edição deste ano. Na última quinta-feira, 30, a marca levou Saquon Barkley, jogador do Giants, para utilizar seu sistema de pagamento em uma hamburgueria e no metrô de Miami.

Ao Meio & Mensagem, Luciana Resende, VP de marketing Latam da Visa, explica que, diante das transformações no consumo de conteúdo e na maneira de os grandes eventos se organizarem, o patrocínio vai muito além do que uma plataforma de construção de marca ou diálogo com determinado público. “A Visa é uma empresa de tecnologia. Não é patrocínio. É uma parceria que envolve oferta de tecnologias, paixão, experiência. No caso específico de Super Bowl, gosto de chamar de stress test, porque é o momento de validar e entender o comportamento do consumidor em relação a uma tecnologia desenvolvida”, diz Luciana.

 

Saquon Barkley, jogador do Giants, em ativação para a Visa, em Miami (Crédito: Divulgação)

Em relação ao papel do marketing em eventos de patrocínios cada vez mais complexos, Luciana reforça que cada vez mais o conceito de marketing tech faz sentido. Ou seja, não é apenas sobre exposição de marca, mas sobre oferta de soluções. “Existem aspectos de ressaltar em relação ao que o consumidor espera de uma marca que apoia um evento. O primeiro está relacionado à experiência do consumidor que é cada vez mais exigente. Neste contexto, a marca ganha mais responsabilidade no tipo de solução ou resolução que ela oferece aos seus consumidores.”

“Quando comparado com grandes eventos como Copa do Mundo e Olimpiadas, onde também temos investimentos, o Super Bowl é importante porque ele anual, essa característica é importante porque faz com que você tenha com frequência algo intenso e direcionado a milhões de pessoas, afirma. Questionado sobre o fato de os eventos estarem mudando na medida que essas transformações demandam, Luciana afirma que existe um processo importante de adequação. “O próprio perfil de serem menos broadcasting e mais digital já mostra essa mudançã. Além disso, os atletas passaram a dar uma visibilidade que funciona como uma verdadeira extensão dos eventos”, destaca.

*O jornalista viajou a convite da Budweiser

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • luciana resende

  • Visa

  • Inovação

  • marketing

  • Publicidade

  • patrocínio

  • Super Bowl 2020

  • Super Bowl Miami

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”