HSR lista 20 marcas mais transformadoras na pandemia

Buscar

Marketing

Publicidade

HSR lista 20 marcas mais transformadoras na pandemia

Magalu, Netflix, Natura, O Boticário e Ambev lideram a relação das empresas que têm melhor percepção dos consumidores durante a crise

Amanda Schnaider
28 de abril de 2020 - 6h00

(Crédito: reprodução)

Neste momento de pandemia do novo coronavírus, as companhias tiveram que criar estratégias para se adaptar à situação e  compreender as novas necessidades dos consumidores que se formaram por consequência dessa crise. Uma dessas necessidades é saber o que as empresas estão fazendo para transformar o mundo em que vivemos. Com isso, a HSR Specialist Researchers desenvolveu um indicador sobre o comportamento das marcas durante este período, segundo a percepção do consumidor. “Entendemos que o consumidor prestaria mais atenção em atitudes de marcas e empresas neste momento de pandemia, porque elas começariam a se mobilizar para combater a Covid-19 e preservar seu negócio”, afirma Valéria Rodrigues, sócia-diretora da HSR .

O indicador é calculado com base em três informações: lembrança espontânea da marca em ações voltadas para a crise da Covid-19, associação da marca aos seis atributos essenciais para construção de imagem de marca transformadora e power of voice, ou seja, o potencial de comunicação da marca considerando o número de seguidores dela nas redes sociais. A combinação dessas três propriedades gera uma pontuação que varia de 0 a 300 e quanto maior a pontuação, maior a associação da marca a uma postura transformadora.

Os seis atributos que a HSR considera como essenciais para a relevância de uma marca são: oferecer ações voltadas à sociedade, investir na segurança de seus consumidores, investir na segurança de seus funcionários, oferecer soluções aos seus consumidores em momentos de crise, inovar em momentos de crise, e ser justa e ética. “Os cinco primeiro estão diretamente relacionados a este momento de mudança, esse novo olhar das empresas para a sociedade, para os indivíduos. Já o último é considerado básico e imprescindível, sem ele não há como ter os outros cinco”, explica Valéria.

A diretora pontua que algumas empresas foram felizes neste momento, enquanto outras perderam a oportunidade de comunicar. “Para a construção do indicador levamos em conta aquelas marcas que apareceram de forma espontânea, como é o caso do Magazine Luiza, Netflix, Ambev e iFood. Essas são empresas que se valeram deste momento, expuseram suas ações na mídia e ganharam em termos de imagem com isso”, reforça.

O levantamento quantitativo e com abordagem online é feito com base nas respostas de mil entrevistados por semana de todo o Brasil, de diferentes gêneros, classes sociais e faixas etárias. Segundo Valéria, a ideia é que esse indicador seja permanente, porque é uma forma de as companhias acompanharem as tendências de longo prazo. “Muitas mudanças que estão acontecendo agora podem permanecer como novos hábitos para os consumidores e essa questão de olharmos para as marcas e entender que elas têm um papel transformador na sociedade vai continuar muito forte depois da pandemia”, pontua.

Veja o ranking completo abaixo:

Top 20 marcas transformadoras (Fonte: HSR Specialist Researchers)

**Crédito da imagem no topo: hh5800/iStock

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Valéria Rodrigues

  • Nestlé

  • vivo

  • unilever

  • Apple

  • Samsung

  • Ambev

  • Netflix

  • Natura

  • Uber

  • Coca-Cola

  • Cacau Show

  • Boticário

  • Casas Bahia

  • Magazine Luiza

  • mercado livre

  • iFood

  • Mc Donalds

  • Unimed

  • Ypê

  • Americanas

  • HSR

  • Consumo

  • ações

  • marcas

  • sociedade

  • consumidores

  • Hábitos

  • coronavírus

  • covid-19

  • pandemia

  • comportamento de consumo