Magalu cria fundo de combate à violência contra a mulher

Buscar

Marketing

Publicidade

Magalu cria fundo de combate à violência contra a mulher

Iniciativa destinará R$ 2,5 milhões em doações da companhia às instituições de todo o Brasil dedicadas à causa


27 de agosto de 2020 - 15h20

Expectativa é que o fundo ajude cerca de 15 instituições que trabalham para garantir a geração de empregos e a independência financeira das vítimas (Crédito: Holaillustrations/iStock)

Com o objetivo de ajudar as mulheres que sofrem violência doméstica, o Magazine Luiza lançou nesta quinta-feira, 27, seu fundo de combate à violência contra à mulher, que conta com R$ 2,5 milhões em doações para apoiar organizações da sociedade civil (osc) dedicadas à causa. Além dos benefícios financeiros, as osc receberão uma mentoria para obter melhores resultados e gerir os recursos com transparência. Instituições que desejem pleitear recursos do fundo do Magalu devem se inscrever no site do projeto.

Os aportes podem ser de até R$ 50 mil para iniciativas locais e municipais, de até R$ 100 mil para iniciativas estaduais, e de até R$ 200 mil para ações nacionais. De acordo com a companhia, a ação será financiada com parte dos recursos doados pela companhia, neste mês, para a continuidade do combate às consequências da crise da Covid-19.

A expectativa é que o fundo ajude cerca de 15 instituições que trabalham para garantir a geração de empregos e a independência financeira das vítimas, que vêm sofrendo com escassez de recursos por conta da pandemia. Outros dois focos da iniciativa são a saúde psicológica e física e o fortalecimento e criação de políticas públicas para o gênero.

Para escolher as instituições beneficiadas, o Magalu usará como principal critério de seleção a adoção de boas práticas por parte das instituições que precisam de verbas para fortalecer ou ampliar sua atuação, independentemente de seu tamanho: pequeno, médio ou grande porte.

Para ajudar tanto na elaboração do fundo quanto na escolha das entidades beneficiadas, a companhia teve como parceiros a Editora Mol e o Prosas. A seleção das organizações será acompanhada pelo comitê dedicado à atuação filantrópica do Magalu, capitaneado por Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração.

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, durante o isolamento social ocasionado pela pandemia do novo coronavírus, o número de casos de feminicídio cresceu 22% no Brasil. Esse problema, no entanto, vem de muito tempo antes da quarentena. O Mapa da Violência de 2016, desenvolvido pelo mesmo fórum, revela que a cada 17 minutos uma mulher é agredida fisicamente no Brasil, País que ocupa o quinto lugar no ranking mundial de feminicídio.

Essa iniciativa de criação do fundo não é a primeira ação do Magalu para ajudar o combate à violência contra a mulher. Há quatro anos, a empresa vem realizando diversas ações neste sentido. Em junho deste ano, a companhia atualizou seu botão de denúncia contra a violência doméstica disponível dentro de seu app, criado no Dia Internacional da Mulher de 2019. Além de ter acesso direto ao Ligue 180, Central de Atendimento à Mulher, agora o botão permite acesso direto, via chat, ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, para se realizar uma denúncia online.

**Crédito da imagem no topo: Reprodução

Publicidade

Compartilhe