Marcas de afroempreendedores entram no marketplace da C&A

Buscar

Marketing

Publicidade

Marcas de afroempreendedores entram no marketplace da C&A

Ação é fruto de um parceria entre o Instituto C&A, braço social da C&A Brasil, e a PretaHub, aceleradora do empreendedorismo negro no Brasil

Amanda Schnaider
19 de outubro de 2021 - 8h00

A partir desta quarta-feira, 20, 530 peças da Santa Resistência, Kioo Moda, Wmayden_brand, Mapa Lingerie, Vista Nove e Jazzngz, marcas que fazem parte do programa Afrolab Moda by Instituto C&A, estarão disponíveis no marketplace da C&A. A ação é fruto de um parceria entre o Instituto C&A, braço social da C&A Brasil, e a PretaHub, aceleradora do empreendedorismo negro no Brasil.

 

Seis marcas de afroempreendedores entraram para o catálogo da C&A (crédito: divulgação)

Segundo Adriana Barbosa, CEO da PretaHub e fundadora da Feira Preta, o objetivo da iniciativa é fomentar o empreendedorismo liderado pela população negra na cadeia produtiva da moda, com visibilidade e inclusão digital. “É fundamental ter uma grande marca como a C&A trazendo para o centro o processo criativo e inventivo de criadores negros na moda e elucidando a pauta da moda inclusiva, que leva em consideração a pluralidade de corpos e de gêneros, com um olhar para a especificidade racial”, reforça.

Dentro da plataforma de marketplace da C&A, os produtos das seis marcas estarão em um espaço chamado de “Nosso Encontro”. Em suas redes sociais, a C&A vai realizar campanhas para divulgar a Feira Preta, plataforma que se dedica a impulsionar o empreendedorismo e a cultura negra e que completa 20 anos neste ano, além de contar as histórias das seis marcas selecionadas e seus criadores.

Gustavo Narciso, gerente executivo do Instituto C&A, explica que o modelo “Nosso Encontro” é o início de uma plataforma em que empreendedores de moda desenvolvidos por projetos em parceria com o Instituto C&A serão expostos aos clientes da C&A. “Maximizamos assim o impacto do investimento social privado que realizamos na ponta e, ao mesmo tempo, enriquecemos o marketplace do negócio oferecendo a possibilidade de consumir moda feita sobre outras narrativas e, o melhor, tudo isso envelopado em forma de campanha”, complementa.

Ao todo, 21 empreendedores negros, indígenas e afro-indígenas foram selecionados entre 379 inscritos para o programa Afrolab Moda by Instituto C&A, que proporcionou aos selecionados uma imersão de sete dias em conteúdos exclusivos relacionados a autoconhecimento, criatividade, negócios, prototipagem e planificação, além de um módulo sobre marketing digital para aprimorar os conhecimentos em ferramentas como Google Classroom, Zoom, LinkedIn, WhatsApp Business, Market Up, Facebook e Instagram Ads.

Os selecionados ainda conquistaram o incentivo financeiro de R$ 4 mil, a inclusão das marcas nos canais de venda da Feira Preta e a divulgação nas redes sociais da Feira Preta e do Instituto C&A. Após a etapa imersiva, as marcas trabalham na criação do Catálogo Afrolab Moda by Instituto C&A, além de participar de atividades com associados voluntários da C&A Brasil.

**Crédito da imagem no topo: Divulgação

Publicidade

Compartilhe