É fácil, informativo, relaxante, divertido

Buscar

Opinião

Publicidade

É fácil, informativo, relaxante, divertido

Perguntamos a 1,5 mil pessoas porque elas assistem a tantos vídeos e essa foi a resposta


18 de abril de 2019 - 15h40

(Crédito: Rawpixel.com/Pexels)

Passa-se mais de 86 minutos por dia assistindo a vídeos só nos Estados Unidos. Isso é quatro vezes mais do que o tempo que deveríamos gastar em coisas realmente importantes — como cuidar dos nossos filhos.

Para profissionais do marketing, o fato de tantas pessoas amarem vídeos é ótimo porque agora eles podem alavancar exatamente a mídia que os consumidores preferem.

Mas, se as pessoas amam vídeos, por que tantos usuários pulam anúncios e, pior ainda, por que eles irritam os consumidores? Onde os programas de TV estão acertando e os comerciantes não?

Consumidores amam vídeos porque é entretenimento e divertido
Para responder a essa questão, fizemos uma pesquisa. Uma coisa de particular interesse para mim desde o começo do processo foi a diferença entre o tempo que os consumidores passam assistindo a vídeos digitais (incluindo plataformas como a Netflix) e a conclusão de anúncios em vídeo.

O que é que os consumidores estão procurando em vídeos que encontram em shows populares, mas não em anúncios (ainda)?

Para responder isso, nós demos um passo para trás decidimos perguntar às pessoas: O que você ama nos vídeos? Fizemos essa pesquisa com 1,5 mil pessoas espalhadas pelos Estados Unidos e foi isso que descobrimos:

1. É fácil, ou como alguém disse, “é melhor do que ler ou pensar”
2. É informativo ou para “obter respostas”
3. É relaxante e “me mantém calmo”
4. É entretenimento e “mata o tempo”
5. É divertido, e no geral, “os vídeos são agradáveis”

Apesar de existir uma pequena diferença entre entretenimento e diversão, para o propósito dessa análise nós decidimos combinar os dois. Os resultados mostraram que 71% das pessoas gostam de assistir vídeos porque é uma forma de entretenimento e diversão.

Quando coletamos nossas respostas uma coisa estava clara — não importa em qual idade, gênero, ou área nos Estados Unidos: as pessoas assistem a vídeos simplesmente porque é divertido.

Diversão do ponto de vista psicológico
Em 2009, a Volkswagen fez uma série de experimentos como parte da sua “teoria da campanha divertida”. Em um dos experimentos, tentaram fazer com que mais pessoas usassem as escadas ao invés das escadas rolantes e, para isso, transformaram escadas em um teclado de piano gigante. Dessa forma, ao pisar em um degrau, o som de uma nota musical era produzido. 66% mais pessoas usaram as escadas naquele dia.

Não foi porque a escada rolante quebrou ou porque receberam uma compensação em dinheiro. Essas pessoas usaram as escadas porque foi divertido e ofereceu uma recompensa intrínseca.

Mars dominou a arte dos vídeos divertidos
Essa marca de comida inventou um anúncio incrível de 15 segundos que foi ao ar na Austrália. Veja como divulgou sua marca (estou morrendo de vontade de comer chocolate agora) de uma forma divertida e que entretém.

Como profissionais do marketing, precisamos entender que a mesma recompensa intrínseca que se aplicou às pessoas que usaram a escada de piano se aplica hoje quando os consumidores assistem aos nossos vídeos.

Se quisermos que as pessoas se envolvam com os nossos vídeos e que eles tenham um impacto verdadeiro, precisamos criar alinhados ao que os consumidores desejam: vídeos divertidos e de entretenimento.

*Crédito da imagem no topo: Reprodução/MARS Bar Australia

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”