Mais uma onda de disrupção

Buscar

Opinião

Publicidade

Mais uma onda de disrupção

Lançamentos da E3 2019 prometem elevar a experiência dos gamers a um novo patamar: mais imersivo, interativo e coletivo, integrando e valorizando a experiência da comunidade


18 de junho de 2019 - 12h32

24ª edição do evento reuniu mais de 200 expositores e 66 mil participantes em Los Angeles (crédito: divulgação)

Entre anúncios e lançamentos da 24ª edição do E3 (Eletronic Enterteniment Expo), a sensação foi de estarmos aguardando mais uma onda de disrupção nos próximos dois anos. Muito do que se viu lá, só jogaremos em 2020. O Stadia, do Google, e a nova geração do XBox, o Project Scarlett, da Microsoft, prometem elevar a experiência dos gamers a um novo patamar: mais imersivo, interativo e coletivo, integrando e valorizando a experiência da comunidade. Em conversa com algumas publishers, todas já estão desenvolvendo para as novas plataformas. Nas conferências, me chamou atenção a Netflix transformando séries famosas em videogames e investindo pesado em parcerias com algumas das principais publishers do mundo. A gigante enxerga os games como uma extensão da ficção, que complementa o entretenimento e o engajamento com o conteúdo, alcançando diferentes públicos.

O ambiente de negócios da conferência – que aconteceu de 11 a 13 deste mês, em Los Angeles, reunindo mais de 200 expositores, 66 mil participantes e alguns milhões de pessoas assistindo online – segue aquecido com a presença dos principais players e executivos da indústria. Inevitável não comentar a ausência da Sony que, pelo primeiro ano, ficou de fora do Convention Center. Há rumores de que estaria migrando para um formato proprietário independente, como já acontece com Blizzard, com BlizzCon, e Twitch, com TwitchCon, por exemplo.

Merchandise oficial de Fortnite se esgotou no primeiro dia de evento (crédito: divulgação)

O Brasil segue em destaque na indústria, com taxas de crescimento acima da média dos mercados mais maduros e emergentes também. O tempo dedicado à paixão pelos games é o maior do mundo, o que nos coloca nas cabeças em um dos KPIs mais relevantes para toda a cadeia produtiva, o engajamento do fã. A posição de keymarket não só impulsiona o Brasil no cenário global, como também está representada em posições de liderança de negócios de grandes players. No quesito influenciadores, nos destacamos com alguns dos mais relevantes e requisitados do mundo, como é o caso do Bruno PlayHard, o maior youtuber de mobile games do planeta, que esteve ao lado do fenômeno Ninja, streamer americano, em agendas oficiais do YouTube.

A edição 2019 do maior evento de games do mundo ofereceu aos fãs inúmeros artigos de merchandise oficial. Alguns players criaram itens exclusivos para o evento, que fizeram com que o público corresse para as filas e esperasse o tempo que fosse para levar o seu mimo para casa. Tudo vira objeto de desejo. O estande dos famosos Funko Pops deixou os fãs eufóricos, assim como artigos da febre Fortnite, que se esgotaram no primeiro dia de evento.

Fernanda Lobão (crédito: divulgação)

Dos mega lançamentos, destaco o Cyber Punk 2077, com a presença do super astro de Hollywood Keanu Reeves, e o novo Watch Dogs (Ubisoft). Impossível não comentar a presença ostensiva da Nintendo, que ocupou o West Hall inteiro com novas versões de Pokemon, Zelda e o novo Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020, além da imponência do estande do Fortnite.

Há quem se empolgue mais ou menos a cada edição do E3. A minha opinião é de que continua sendo um dos mais relevantes e completos do calendário.

 

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”