Sete tendências que afetarão o futuro do marketing

Buscar

Opinião

Publicidade

Sete tendências que afetarão o futuro do marketing

Há alguns anos, havia um time digital de um lado e o time de marketing do outro; mas já não pode ser assim


26 de julho de 2019 - 10h07

(Crédito: Vojtech Okenka/Pexels)

O crescente uso de big-data e as mudanças no perfil de consumo apontam para novos caminhos dentro das atribuições que um profissional de marketing deve dominar. Confira a seguir sete grandes movimentações do setor:

Haverá um aumento na complexidade da decisão de compra
Consumidores usam diversos tipos de mídia para tomar decisões de compra – do YouTube ao Facebook – e está se tornando cada vez mais difícil colocar pessoas que compram um mesmo produto nas caixinhas tradicionais. Categorias de consumidores como mainstream, luxo e econômico estão começando a desaparecer. A segmentação está se tornando cada vez mais complexa. O mesmo consumidor pode comprar um produto de alta qualidade e um de baixa ao mesmo tempo. Hoje em dia, você consegue achar facilmente alguém que pegaria um voo de baixo custo de Londres para Milão e, uma vez lá, comprar uma bolsa da Gucci. Pessoas selecionam quais produtos eles querem comprar em um mix balanceado de emoções e razão. Essa pessoa pode não ter uma conexão emocional com aviação, então qualquer passagem funciona. Mas, quando se trata de uma bolsa de luxo, ela valoriza tradição e acabamento.

Personalização de design de produtos e comunicações será mais prevalecente
Graças ao big data, mídias sociais e manufaturas flexíveis, mais companhias estão aprendendo a oferecer produtos e designs customizados. Essa tendência está alcançando um número crescente de indústrias, incluindo as ligadas à área de saúde. Enquanto farmacêuticas continuam a tratar todos os pacientes de forma similar, elas, em breve, farão uma medicação personalizada baseada em diferenças como idade, sexo, peso e histórico médico. Fique atento para as outras indústrias que seguirão essa tendência.

Comunicações mobile estão se tornando o centro do marketing
Houve grande rumor na imprensa recentemente sobre o WhatsApp entregando o número de seus usuários ao Facebook com o objetivo de entregar anúncios direcionados. Apesar de que receber uma mensagem sobre um de seus produtos favoritos possa parecer intrusivo, também o é quando você recebe uma ligação de telemarketing. E essa indústria não irá acabar. Procure companhias que comuniquem com os consumidores cada vez mais em seus celulares.

Transparência ditará as relações entre marcas e consumidores
Da Wells Fargo até a Volkswagen, a lista de companhias que caíram na desgraça fica cada vez maior. Empresas estão percebendo que não podem escapar da transparência oferecida pelas redes sociais. Mais companhias estão aprendendo que, se não forem sinceras, pagarão o preço: não apenas multas de autoridades, mas também perderão a lealdade e oportunidades de negócios com seus consumidores.

Marketing personalizado data-driven se tornará mais amigável
Graças ao big data, companhias estão coletando uma quantidade imensa de informações sobre o que você gosta. Elas continuarão a ficar melhor em direcionar anúncios para você e em comunicar de forma mais efetiva dependendo de quem você é e sobre o que seus hábitos dizem sobre você. Não diga adeus ao spam ainda, mas as empresas que descobrirem como parar de fazer mensagens únicas que busquem todas as pessoas, e começarem a buscar consumidores de forma mais significativa, vencerão.

Métricas mais acuradas continuarão a surgir
Até recentemente, justificar e mensurar o impacto de decisões foi um desafio enorme para profissionais de marketing. Hoje, há diversas formas de mensurar a atividade online – likes no Facebook, cliques em um artigo, e assim por diante -, mas muitas dessas métricas não são completamente significativas. Recentemente, o Facebook foi pego ampliando as taxas de visualização de vídeos. Pense sobre os reflexos disso para anunciantes que acharam que estavam recebendo o melhor retorno sobre seu investimento. Mas isso mudará em breve. Lembre-se de quando pessoas falavam sobre não saber qual a metade de seu orçamento de marketing era desperdiçado. Então, agora isso já deve estar próximo de 20%. Mensuramento provavelmente nunca será perfeito, mas a tecnologia digital está melhorando o quão acertadas são as taxas. Seremos capazes de algum dia saber exatamente a trajetória de alguém que viu um anúncio e abriu sua carteira para comprar algo? Não tenho certeza. Mas isso é o sonho dos profissionais de marketing.

A organização de marketing se moverá de silos digitais para times integrados
Alguns anos atrás você teria um time digital de um lado e o time de marketing do outro. Já não pode ser assim. O digital precisa ser parte de tudo agora, então os dois times precisam estar integrados. Como um profissional de marketing recentemente sugeriu: companhias não necessariamente precisam de uma estratégia digital, o que elas precisam saber é como colocar o componente digital dentro do processo complexo de como consumidores tomam decisões de compra!

*Crédito da imagem no topo: Stevanovicigor/iStock

 

Publicidade

Compartilhe