Quanto vale a sua carteira de dados?

Buscar

Opinião

Publicidade

Quanto vale a sua carteira de dados?

As pessoas comuns, as verdadeiros proprietárias dessas informações, ainda estão alijadas deste processo


13 de setembro de 2019 - 8h30

(Crédito: Rawpixel/iStock)

A palavra “dados” nunca esteve tão em evidência como hoje. Para muitos especialistas, vivemos a data economy. No mercado de publicidade digital, não há dúvidas de que os dados são a moeda mais valiosa. É justamente a partir da reunião de vários dados e cruzamento entre eles que é possível tornar a comunicação mais eficiente, personalizada e precisa, de acordo com o comportamento da audiência.

É curioso que falamos muito em data economy, mas, até o momento, ao menos no mundo da publicidade, apenas as empresas têm tirado proveito economicamente dos dados. As pessoas comuns, as verdadeiros proprietárias dessas informações, ainda estão alijadas deste processo.

Apesar desse cenário, nos últimos anos, no entanto, é possível observar um forte avanço, ao menos no âmbito regulatório, na direção de proteger os dados dos usuários e reconhecê-los com um elo fundamental da economia digital. Os principais exemplos, são as novas legislações, como a GDPR na Europa, e, mais recentemente a LGPD, no Brasil.

É nítido o movimento em prol dos usuários e este é um caminho sem volta que, apesar de ainda estar no início, tende a se tornar cada vez mais profundo. Diante desse contexto, acredito que a consciência das pessoas em assumirem a propriedade de seus dados seja o próximo passo para a transformação da indústria, especialmente a de publicidade digital.

De forma simplista, se de alguma forma, os meus próprios dados contribuem para uma melhor entrega de determinado anúncio, ampliando a precisão e, consequentemente, a otimização de recursos, e isso resulta em benefício financeiro para o anunciante, empresas e agências envolvidas na transação, seria justo que eu também recebesse uma fração desse montante.

É nessa direção que o mundo da publicidade digital deve seguir. Ao se tornarem mais conscientes do valor e importância dos dados pessoais para o mercado, os usuários começarão a exigir receber algo em troca para aceitar o uso dessas informações, podendo ser um retorno financeiro ou outros benefícios equivalentes.

O avanço da tecnologia blockchain, com sua capacidade única de rastreabilidade, sem dúvida será fundamental para viabilizar esse conceito na prática ao permitir identificar a precisa relação entre a contribuição efetiva dos dados de cada indivíduo para a exibição de cada anúncio no ambiente digital.

A tarefa é árdua e exige uma quebra de paradigma no ecossistema da publicidade digital. Afinal, nunca é simples tirar o pedaço do bolo de alguém. Por outro lado, talvez não houvesse bolo, não fossem os ingredientes (dados).

E você, já parou para pensar quanto vale sua carteira de dados?

*Crédito da foto no topo: Reprodução 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Audiência

  • comportamento

  • dados

  • publicidade digital

  • BLOCKCHAIN

  • GDPR

  • LGPD

  • data economy

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”