Nano influenciadores lideram em taxas de engajamento no Instagram

Buscar

Nano influenciadores lideram em taxas de engajamento no Instagram

Buscar
Publicidade

Mídia

Nano influenciadores lideram em taxas de engajamento no Instagram

Relatório da HypeAuditor indica que quase 80% dos influenciadores do Brasil se encaixam na categoria; estudo analisa marketing de influência em diversas plataformas


21 de fevereiro de 2024 - 6h00

Uma pesquisa apontou que nano influenciadores, aqueles com mil a 10 mil seguidores, dominam o mercado de influencers no Brasil. Eles representam 79,1% de todos os criadores no Instagram. Além disso, detém a maior taxa de engajamento do mercado na plataforma, com 3,2%.

influenciadores

De acordo com a HypeAuditor, gastos globais em marketing de influência no Instagram chegarão a US$ 22 bilhões até 2025 (Crédito: Delcio/AdobeStock)

As informações são da quarta edição do relatório anual Estado do Marketing de Influenciadores no Brasil, realizado pela HypeAuditor. A metodologia utilizada levou em conta a análise de 47,9 milhões de contas do Instagram, 6,8 milhões de contas do YouTube e 12,6 milhões de contas de influenciadores do TikTok presentes em banco de dados internos. Há também a análise de dados abertos de plataformas sociais, catálogos, sites, crowdsourcing etc.

De acordo com o levantamento, a maior parte dos influenciadores do Instagram produz conteúdo relacionado a Música (11,38%), Estilo de Vida (10%) e Beleza (8,27%).

Ainda no que diz respeito à rede social da Meta, o Instagram é a principal plataforma de marketing para 89% dos especialistas. O estudo indica que 87% dos usuários tomam medidas concretas ao se deparar com informações sobre produtos em postagens do Instagram. Isso inclui seguir uma marca, visitar uma loja física e até mesmo realizar uma compra. Assim, é vista como uma oportunidade valiosa para leads em 2024.

Plataformas: onde encontrar os influenciadores

Apesar disso, outras plataformas ganham destaque. É o caso do TikTok, que se caracteriza como a plataforma de mídia social com maior crescimento. Atualmente, são 1,6 bilhão de usuários ativos a nível global. A maior parte deles no Brasil (63%) é composta por mulheres, das quais 47% têm 24 anos ou menos.

Os nano influenciadores dominam a rede social da ByteDance, uma vez que 53,1% dos criadores de conteúdo pertencem a essa categoria. É importante ressaltar que os influenceres do TikTok têm uma taxa de engajamento mais alta do que a do Instagram. Mais uma vez, o destaque vai para os nano, com uma taxa média de 10,59%.

De acordo com a HypeAuditor, a diferença é creditada ao fato de que comportamento do usuário no TikTok difere de como as pessoas interagem com outras plataformas, uma vez que incentivam a fácil criação e interação com conteúdo, endossando a postagem e interação com os vídeos e criadores.

Já o YouTube, plataforma do Google, é o local que concentra mais da metade de conteúdos relacionados a videogames, pessoas e blogs e entretenimento. Mais popular entre o público masculino, 64% dos usuários no Brasil têm entre 18 e 34 anos. A plataforma de vídeos tem notoriedade importante entre profissionais de marketing: 56% deles acreditam que conteúdos da rede são o tipo mais importante para o marketing de influência.

Outros resultados

Entre as marcas mais citadas pelos influencers, o destaque vai para a Shein, com 29 mil menções feitas por 9.600 influenciadores. Na sequência, aparece O Boticário. 7 mil influencers citaram a marca 13 mil vezes. A Netflix entra em terceiro lugar, mencionada por 6.800 criadores. Ao todo, a gigante do streaming recebeu 12.20 menções.

Aparecem no ranking, na sequência numérica: Flamengo, São Paulo Fc, Beauty Fair Profissional e Impala, bem como Fluminense Fc, Spotify Brasil e Natura Brasil.

A HypeAuditor também mapeou informações sobre fraudes. Anteriormente, no ano passado, as fraudes impactaram 43% dos influenciadores digitais. Aqueles com mais de 1 milhão de seguidores e os macro, que tem entre 500 mil e um milhão de seguidores, foram os mais impactados.

Ainda que o número seja significativo, representa uma diminuição de 2,15% em relação a 2022. Esse é o terceiro ano seguido que o decréscimo pode ser visto. Segundo o relatório, isso indica que o Instagram está melhorando os mecanismos de lut contra fraudes. Ademais, há maior conscientização entre os próprios criadores de conteúdo.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Flávia Alessandra e Otaviano Costa: artistas são mídia

    Flávia Alessandra e Otaviano Costa: artistas são mídia

    No Mídia Master 2024, casal de artistas divide carreira de empreendimento no cenário da mídia e relação com marcas

  • Como o público enxerga os anúncios em sites de notícias?

    Como o público enxerga os anúncios em sites de notícias?

    Pesquisa realizada pela Teads ao lado da CNN Brasil revela critérios para a escolha de site de notícias, bem como sentimentos em relação a anúncios em veículos