Pilha no brinquedo #3: “Cultura líquida” & engajamento

Buscar

Pilha no brinquedo #3: “Cultura líquida” & engajamento

Buscar
Publicidade

Opinião

Pilha no brinquedo #3: “Cultura líquida” & engajamento

Conceito do sociólogo Zygmunt Bauman se contrapõe a um dos mantras atuais do marketing


19 de junho de 2024 - 8h00

Cultura líquida, engajamento superficial, falta de “liga” e sem vontade de gerar conexão real. Quem quer se misturar? Misturar o quê? Para quê?

Esses cartazes estavam colados aqui perto de casa, na caixa de força que abastece a rua. Ironia do destino. Mas como a cidade fala, clama a quem quiser ouvir, eu topei e fui entender mais sobre o conceito de “cultura líquida”.

Apesar de falarmos tanto de como gerar engajamento e conexão em marketing – o conceito de “cultura líquida” é um contraponto.

O termo apresentado pelo sociólogo Zygmunt Bauman, que descreve a sociedade contemporânea como fluida, sem estruturas sólidas e duradouras, disserta que as nossas identidades, os nossos relacionamentos tendem a ser transitórios, superficiais e flexíveis, o que pode levar a uma sensação de incerteza e instabilidade.

Na era dos “relacionamentos sociais em rede” somos versões idealizadas, com filtro, uma curadoria dos “melhores e romantizados” momentos das nossas vidas. De vez em quando até aparece um pouquinho de vulnerabilidade, mas em experiências longe de serem autênticas e genuínas.

Nas sociedades líquidas, os laços sociais tendem a ser mais frágeis e efêmeros, e a privacidade e a divisão entre as esferas pública e privada da vida humana se misturam. Segundo Bauman, há uma diferença entre comunidade e rede. Nas “redes” temos como “conectar” e a facilidade de “desconectar” – simples assim.

Criar laços, viver em comunidade, são “bençãos” humanas. Olho no olho, corpo no corpo, onde se “empenha” o futuro e a ambivalência da segurança e liberdade o tempo todo.

Como diz uma querida e sábia amiga “Somos mamíferos que aprendemos a sobreviver em bando. A consciência do bando, que gera conexão e vínculo. Isso é biológico”.

Então, como seria gerar engajamento em tempos como este? Ao que ser refere a INTEGR-AÇÃO (ação de integrar dois ou mais), INTER-AÇÃO (movimentar dois ou mais), perspectivas e experiências, temos que empenhar algo com um objetivo comum. Complexo assim.

Essa mistura pode ser vista como um antídoto para a fragmentação e a polarização que muitas vezes caracterizam as sociedades líquidas, mas fundamentalmente precisamos entendê-las para conseguir verdadeiramente engajar alguém.

Vale a pena conferir:

    1. https://www.fronteiras.com/leia/exibir/zygmunt-bauman-especial

 

Leia os outros textos da série: 

Pilha no brinquedo # 1: Now, New, Next

Pilha no brinquedo #2: Educated guess 

Pilha no brinquedo – #4: “Right to Win”: quais as habilidades-chave?

Pilha no brinquedo #5: Frame Mental > Diagramas e Formatos

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Sete dicas para sua marca se destacar com Reels

    Todos os dias, bilhões de pessoas são impactadas por esse formato, mas captar a atenção efetivamente já depende muito da criatividade

  • É das vira-latas que eles gostam mais

    Agências independentes, ao contrário dos “cães de pedigree” (grupos internacionais), se movimentam com inteligência de rua, enquanto estes são mais preocupados em sustentar complexidades