Web Summit: Tendências e avanços no marketing e comunicação

Buscar

Web Summit: Tendências e avanços no marketing e comunicação

Buscar
Publicidade

Opinião

Web Summit: Tendências e avanços no marketing e comunicação

As palestras inspiradoras, debates calorosos e demonstrações de tecnologias disruptivas ofereceram um relance das tendências futuras e desafios a serem enfrentados


23 de novembro de 2023 - 15h00

O Web Summit Lisboa deste ano superou as expectativas, mergulhando o mundo da tecnologia, inovação e comunicação em um turbilhão de descobertas, debates e avanços inigualáveis. Mesmo com os desafios e controvérsias anteriores ao evento, o ambiente agitado e dinâmico foi palco de uma experiência única para os entusiastas e profissionais de diversos setores, incluindo marketing e comunicação.

Em meio a discussões acaloradas e expectativas renovadas, uma constatação se destacou: a ausência de manifestações significativas relacionadas à polêmica envolvendo Paddy Cosgrave, fundador do evento. Surpreendentemente, o público se voltou para os verdadeiros protagonistas: as ideias inovadoras, as tecnologias emergentes e as discussões fervilhantes sobre o futuro.

A representatividade do público feminino no evento, apesar de atingir 43% dos participantes, registrou uma queda em relação ao ano anterior, levantando reflexões sobre a inclusão e representatividade feminina em encontros de grande porte. Além disso, a presença de minorias étnicas e raciais ainda enfrenta desafios consideráveis, sendo ela condição sine-qua-non para ambientes mais produtivos, criativos e inovadores – este ano tivemos uma diversidade expressiva nos palcos, mas ainda há muito espaço para melhorias quando olhamos os participantes e as startups
expositoras.

A crise política em Portugal também deixou sua marca, com a ausência do Presidente no encerramento, sinalizando as turbulências políticas no país e gerando reflexões sobre a interseção entre política, economia e eventos globais como o Web Summit.

No entanto, apesar das observações, o evento pulsou com entusiasmo, abrindo um vasto leque de oportunidades, insights e aprendizados para os profissionais de marketing e comunicação presentes. As palestras inspiradoras, debates calorosos e demonstrações de tecnologias disruptivas ofereceram um relance das tendências futuras e desafios a serem enfrentados.

O alinhamento entre tecnologia, marketing e comunicação foi o cerne das discussões do palco Panda. O crescimento exponencial da Inteligência Artificial (IA), evidenciado pela presença marcante no evento, é uma prova concreta da revolução que está moldando o mundo do marketing e da comunicação.

Aqui estão os insights da IA discutidos no evento:

> Desenvolvimento inegável: a IA está se integrando rapidamente em nossas vidas, sendo uma parte essencial e inevitável do nosso cotidiano, então é preciso acompanhar.
> IA como parceira: é crucial focar nos problemas reais do negócio e usar a IA para alavancar soluções e aprimoramentos, sem considerá-la como a solução definitiva.
> Sem oposicionismo: em vez de competir, devemos abraçar a IA como uma colaboradora para expandir nossas habilidades tanto no âmbito empresarial quanto pessoal.
> Educação transformada pela IA: é tempo de repensar a educação, integrando a IA para tornar o aprendizado mais personalizado e alinhado com as necessidades individuais de cada um.
> Regulação equilibrada: a regulação da IA é inevitável, mas deve ser equilibrada e envolver diversos setores da sociedade para estabelecer diretrizes que protejam seu uso e minimizem potenciais malefícios.

Além disso, destaca-se a conquista da startup brasileira INSPIRA, que levou o primeiro lugar no concurso de pitches, superando mais de 100 concorrentes. A INSPIRA, com sede no Brasil, atua no mercado de software jurídico e tem como missão democratizar o acesso à informação jurídica por meio da tecnologia.

A crescente participação do Brasil no Web Summit é um reflexo claro do potencial e da inovação que o país possui. Com 35 palestrantes brasileiros apresentando suas perspectivas e expertise, somados a 170 startups representando o Brasil, o país demonstra uma presença notável e influente no cenário tecnológico global.

Além disso, o número expressivo e ainda não oficial de participantes brasileiros ativos no evento destaca o crescente interesse e engajamento da comunidade brasileira nesse tipo de encontro. Essa participação robusta e consistente do Brasil no Web Summit não apenas fortalece a imagem do país como um polo de inovação, mas também evidencia seu papel cada vez mais ativo e relevante no contexto tecnológico internacional.

Por fim, outro aspecto notável foi a abordagem sobre redes sociais com propósito, feita pela startup Whyzzer, que busca redefinir o papel das redes sociais, promovendo um ambiente educativo e colaborativo, além de visar menos polarização e mais enriquecimento de conteúdo.

O Web Summit é mais do que um evento, é um catalisador de mudanças, um espaço de convergência e uma fonte inesgotável de inspiração para uma indústria em constante evolução. Que os aprendizados e insights absorvidos nestes dias movimentados em Lisboa possam guiar e inspirar novas abordagens, estratégias e colaborações para um futuro brilhante e inclusivo no universo do marketing e comunicação.

O palco está montado; é hora de escrevermos o próximo capítulo desta história emocionante e transformadora.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Sua marca é ciumenta?

    É importante conhecer bem o seu concorrente, mas isso não chega aos pés da importância de conhecer bem o seu cliente

  • Pilha no Brinquedo #21: Triple bottom line

    Não é novo, mas parece. Conseguir, genuinamente, implementar e medir uma ação é que parece novidade.