O que é SEO e quais vantagens essa estratégia pode trazer para as marcas

Buscar
Publicidade

Notícias

O que é SEO e quais vantagens essa estratégia pode trazer para as marcas

Search Engine Optimization é o conjunto de estratégias para aumentar a visibilidade online, atrair clientes e construir o reconhecimento da marca

Preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem:


15 de dezembro de 2022 - 8h00

O que é SEO

Imagem: Shutterstock

As estratégias de SEO podem ajudar a melhorar a visibilidade de um site nos mecanismos de buscas, como o Google. Mas por que é importante ter um bom posicionamento na internet?

De acordo com análise da BackLinko, os resultados que aparecem na primeira página do Google atraem quase 100% dos usuários. Apenas 0,63% dos internautas chegam a clicar em algum link da segunda página.

Já o primeiro colocado atrai 27% dos usuários e o segundo 15%. Abaixo do sétimo, apenas 4% ou menos dos sites recebem cliques.

O que é SEO?

SEO é o conjunto de práticas para melhorar o posicionamento orgânico de um site nos resultados dos mecanismos de buscas, como Google, Yahoo e Bing.

O objetivo é ajudar os motores de busca a entender sobre do que se trata determinada página para aumentar as chances dela ser encontrada nas pesquisas.

As páginas, ao serem facilmente encontradas pelos usuários, podem obter maiores níveis de tráfego a partir da busca orgânica. Ou seja, de forma gratuita, diferentemente da mídia paga.

Por exemplo, ao buscar pelo termo “últimas notícias de comunicação” no Google, o primeiro resultado que aparece é a página do Meio & Mensagem que apresenta as matérias mais recentes:

Exemplo de pesquisa no Google

Imagem: Google

O que significa SEO?

A sigla SEO significa Search Engine Optimization, em tradução para o português, “otimização para motores de busca”.

Basicamente, consiste em otimizar um site para que ele apareça nos primeiros resultados da SERP (Search Engine Results Page). A SERP, por sua vez, é a sigla utilizada para nomear a página de resultados.

A história da otimização para motores de busca

Com o surgimento do World Wide Web (WWW), em 1990, milhares de páginas foram agregadas à internet.

À medida que mais sites eram criados, surgiu a necessidade de organizar essas páginas para possibilitar que os usuários encontrassem o que buscavam.

Neste cenário surgiram os motores de busca, que a princípio organizavam as páginas em ordem alfabética ou por assunto. 

1998: Primeiros passos do SEO e criação do PageRank

Em 1998, foi criado o PageRank, primeiro algoritmo para classificar os sites e mostrar os melhores resultados nos primeiros lugares.

O mecanismo rastreava os links a partir de palavras-chave no código e no conteúdo da página, além de considerar a presença de backlinks. Isto é, quando outros sites fazem referência e linkagens para o conteúdo.

Para ranquear, os webmasters repetiam excessivamente as palavras-chave (keyword stuffing) e aplicavam outras técnicas de black hat, que foram projetadas para manipular os resultados dos mecanismos de busca.

Essas ações eram frequentemente bem sucedidas em curto prazo, mas podiam resultar em penalidades ou até mesmo proibições nos mecanismos de busca.

À medida que os mecanismos de busca se tornaram mais sofisticados, essas práticas manipuladoras foram reprimidas.

2011: Atualizações do Google

A partir de 2011, o Google lançou diversas atualizações, chamadas de Core Updates, com o objetivo de melhorar o mecanismo.

Em 2012, por exemplo, a atualização Penguin passou a identificar e reconhecer sites de qualidade e que eram relevantes para o usuário. 

No ano seguinte, a versão Hummingbird foi lançada para aprimorar as experiências do usuário. O foco era a intenção de busca e não o termo exato que era digitado no buscador.

Já em 2015, o Google passou privilegiar os sites mobile friends, ou seja, otimizados para dispositivos móveis, por meio da atualização Mobilegeddon.

Atualidade

Hoje, os motores de busca usam centenas de fatores diferentes para determinar rankings. Além disso, os algoritmos são constantemente atualizados para garantir que os usuários tenham sempre a melhor experiência possível.

Portanto, para ranquear no Google, o foco deve ser nas pessoas que estão buscando por determinado termo e não no algoritmo. 

Quais são os fatores de rankeamento de SEO no Google?

Para classificar as páginas, o Google leva diversos fatores em consideração. Um dos mais importantes é a experiência do usuário. Ou seja, se o site atende às necessidades dos internautas, se é relevante, confiável e fácil de navegar.

Dentre os métodos de classificação, um dos principais é o Expertise, Authoritativeness e Trustworthiness (E-A-T).

Trata-se de um conjunto de diretrizes, introduzido pelo Google em 2019, com o objetivo de determinar qual página entregará o melhor resultado para cada busca e, assim, ajudar o usuário a resolver suas dúvidas e dores.

A sigla significa Expertise (especialização), Authoritativeness (autoridade) e Trustworthiness (confiabilidade). São três fatores utilizados para avaliar a qualidade de um website. 

Caso o conteúdo atenda a esses três princípios, maior a probabilidade de ter uma boa classificação nos resultados de pesquisa. 

Expertise (especialização ou propriedade técnica)

O intuito é analisar se o site terá a expertise necessária para auxiliar o usuário. Para isso, o Google avalia o conhecimento especializado de um website a partir, por exemplo, das qualificações do autor e se ele tem alguma experiência relevante.

Uma clínica odontológica tem a expertise necessária para explicar sobre saúde bucal e uso de aparelhos ortodônticos, ainda mais se o conteúdo for assinado por um dentista. Logo, pode receber uma boa classificação na SERP ao abordar esses temas.

Por outro lado, ao criar conteúdos sobre fundos imobiliários ou sobre o Twitter, dificilmente a página irá conquistar um bom posicionamento, já que o Google pode entender que foge da expertise da empresa.

Fatores de rankeamento de SEO

Authoritativeness (autoridade)

Neste caso, o valor e a reputação da marca são levados em consideração para o ranqueamento. 

A autoridade é julgada com base em fatores como a quantidade de outros sites que apontam para uma determinada página.

Ao conquistar backlinks de qualidade, o Google entende que se trata de um site com autoridade e relevância, o que contribui para um melhor posicionamento no ranking.

Trustworthiness (confiabilidade)

A confiabilidade é determinada pela análise de fatores como tempo de existência e se há envolvimento com alguma atividade maliciosa, por exemplo, o uso de black hat.

Além disso, para um site ser considerado confiável, o Google também analisa os componentes presentes na página, como links, anúncios, imagens e textos, que são elementos que despertam mais confiança para o usuário.

Tipos de SEO

Basicamente, as estratégias de SEO podem ser divididas em duas principais categorias: On Page e Off Page:

On Page

SEO On Page é o processo de otimização de páginas da web dentro do próprio site com o intuito de melhorar o posicionamento na SERP.  Isto pode ser feito por meio de diferentes técnicas como:

– otimização do conteúdo e das imagens;

– inserção de palavras-chave estratégicas;

– velocidade de carregamento da página;

– otimização do título, da meta descrição e da URL da página;

– usabilidade do site, considerando a experiência do usuário (UX);

– criação de um sitemap (mapa do site);

– divisão dos conteúdos em headings (títulos e subtítulos);

– linkagens internas para outras páginas e artigos de blog;

– entre outros.

Off Page

Já no caso do Off Page, as ações são feitas no ambiente externo do site. O objetivo é gerar backlinks, aumentar a exposição, a autoridade e a relevância.

Há várias maneiras de adotar essa estratégia. A primeira é a criação de conteúdo útil e informativo — blogposts, infográficos, white papers, etc — para que outros sites possam citar e criar links.

Outro método comum de link building é a criação de guest post (posts como convidado), que consiste em escrever um conteúdo para ser publicado no site de uma empresa parceira. Este texto deve ter links direcionando para o site.

Quais as vantagens de investir nessa estratégia?

A estratégia pode ser bastante benéfica para as empresas, já que pode ajudá-las a alavancar a visibilidade da marca e reduzir a necessidade de investimentos em mídia. A seguir, confira as vantagens de fazer SEO:

Visibilidade online

A otimização para os motores de busca melhora o posicionamento das páginas do site nos resultados de pesquisas.

Com isso, permite que clientes encontrem mais facilmente o site de uma empresa ao procurar produtos ou serviços online. Logo, é uma técnica que pode aumentar a visibilidade da marca e atrair mais visitantes online. 

Reconhecimento da marca

O SEO também pode contribuir para o reconhecimento da marca e posicionamento do negócio como uma autoridade no segmento, especialmente quando complementado com estratégias de marketing de conteúdo.

Ao otimizar o site e produzir conteúdos de qualidade, a empresa pode ser vista por mais potenciais clientes. Além disso, aparecer nos primeiros resultados de busca ajuda a demonstrar popularidade.

Aumento do tráfego orgânico

Investir em SEO é um esforço que pode levar ao aumento do tráfego orgânico. Isso ocorre porque a otimização ajuda os mecanismos a rastrear e indexar um site para aparecer nas pesquisas, além de melhorar a classificação na SERP.

Estudos, como o mencionado no início do texto, indicam que quanto melhor o posicionamento, mais usuários são atraídos para a página, o que gera o aumento do tráfego orgânico.

Redução de custos com mídia paga

Aparecer nos resultados de buscas orgânicas é totalmente gratuito. Não é preciso pagar por cada clique ou impressão, diferentemente do que ocorre com a mídia paga e programática.

Isso não quer dizer que é melhor investir em SEO do que em anúncios. Na verdade, as duas estratégias são complementares.

No entanto, é uma alternativa para reduzir os custos com publicidade . Em longo prazo, investir tempo e recursos em SEO pode não apenas aumentar a visibilidade orgânica, como também resultar na economia de dinheiro.

Aumento das vendas

O aumento do alcance e do fortalecimento da marca podem impulsionar as vendas. Afinal, quanto mais pessoas descobrem e acessam o site da empresa, maiores as chances de conversão.

Contudo, a otimização das páginas, por si só, pode não ser suficiente para converter. Também é necessário construir um bom site, que seja fácil de navegar e tenha conteúdos interessantes que respondam às dores dos clientes.

Em lojas virtuais, por exemplo, preencher os campos de descrições de produtos é uma forma de melhorar a página, além de tirar dúvidas dos clientes e ajudar a convencê-los a efetuar a compra.

Vale a pena investir em SEO?

SEO (Search Engine Optimization), ou otimização para os mecanismos de busca, é um conjunto de estratégias para melhorar a visibilidade e o posicionamento de um site nos resultados de pesquisa orgânica.

A estratégia pode ser dividida em dois tipos principais: SEO On Page, que consiste em otimizar o conteúdo e os aspectos técnicos dentro do próprio site, e o SEO Off Page, que é realizado em ambiente externo.

O investimento nesta estratégia pode ajudar a reduzir os custos de publicidade paga, aumentar a visibilidade da marca, gerar mais tráfego para o site e até levar ao aumento das vendas. 

No entanto, vale ressaltar que SEO é uma estratégia de longo prazo e que oferece recompensas por um longo período também. Mas isso significa que pode levar meses para observar os primeiros resultados.

Além disso, para que a estratégia seja bem sucedida, é preciso criar conteúdos de qualidade e que correspondam a intenção de busca, selecionar corretamente as palavras-chave e aprimorar constantemente a experiência do usuário.

Leia também sobre como as empresas utilizam a estratégia de Mobile Marketing para atrair ainda mais audiência.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Equativ e Retargetly formam aliança estratégica

    Equativ e Retargetly formam aliança estratégica

    Anunciantes que usam a plataforma da Equativ terão acesso aos dados de mais de 380 milhões consumidores na AL

  • Singularity University apresenta 24 tendências de tecnologia

    Singularity University apresenta 24 tendências de tecnologia

    Levantamento foi realizado em parceria com o Learning Village, do Grupo HSM