A ascensão global do Fut7 que conquistou a GenZ

Buscar
Publicidade

Opinião

A ascensão global do Fut7 que conquistou a GenZ

A modalidade tem tudo para seguir conquistando seu espaço e se consolidar como uma das principais do Brasil


1 de julho de 2024 - 8h50

(Crédito: Reprodução)

Ao longo das últimas décadas, o Fut7, modalidade de futebol com equipes compostas por sete jogadores em cada lado, incluindo o goleiro, e utilizando uma bola de futebol tradicional, tem conquistado um número cada vez maior de praticantes e admiradores. Com características que mesclam a paixão pelo futebol de campo com a praticidade e dinamismo de uma partida em espaço reduzido, o esporte nasceu em 1960 e ganha destaque em campos espalhados por todo o país com disputas recheadas de habilidade, estratégia e rapidez, em um formato dinâmico e emocionante.

A evolução do esporte no Brasil pode ser observada por meio de diversos aspectos. Inicialmente, as partidas eram praticadas de maneira informal, em campos improvisados em espaços públicos. Com o passar do tempo, surgiram quadras e campos específicos para a prática do esporte, proporcionando estruturas adequadas e seguras para os jogadores. 

As ligas profissionais surgem na década de 1990 e, em 1996, é criada a Confederação Brasileira de Futebol 7 Society. Hoje o Brasil conta com 7 campeonatos nacionais e, segundo a confederação, são 12,5 milhões de praticantes. 

A profissionalização tem atraído atletas de alto nível, que buscam uma oportunidade para demonstrar seu talento e habilidade em campo. A presença de ex-jogadores de futebol profissional tradicional e celebridades do esporte também contribui para aumentar o prestígio e visibilidade da modalidade.

Com o passar dos anos, a modalidade expandiu-se para a Europa e toda a América Latina, desenvolvendo ligas e competições locais. Hoje, o Fut7 tornou-se importante no cenário esportivo brasileiro e mundial, com a adaptação do esporte para atrair especialmente a geração Z. Inclusive, é importante dizer que 80% do público que assiste a modalidade tem entre 18 e 34 anos.

Para a Geração Z, futebol não é mais apenas um jogo. É entretenimento. As dinâmicas gamificadas criadas para torneios como a Kings World Cup, do Gerard Piqué, fazem toda a diferença para cumprir esse papel. Principalmente se pararmos para pensar que 56% deles assistem futebol, 54% afirmam nunca ter ido a um estádio e apenas 43% se dizem apaixonados por futebol. 

Além da gamificação, jogos de luzes, shows, dinâmicas como jogar dados para estabelecer quantos jogadores teremos na partida são exemplos do que rolou na Kings World Cup. Esses elementos tornaram as disputas eletrizantes para a audiência presente e conectada mundialmente. 

Outro ponto interessante da modalidade e da conexão da mesma com o entretenimento permite ver seus creators favoritos jogando junto aos seus jogadores preferidos, como aconteceu na Kings World Cup e no The Soccer Tournament (TST), na Carolina do Norte, Estados Unidos. Isso faz com que haja uma conexão imediata entre criadores, fãs e as marcas que estão presentes no mesmo ambiente. 

Os próximos passos da modalidade no Brasil incluem a expansão da infraestrutura esportiva, com a construção de mais campos e quadras adequadas para a prática do esporte. Mas não é só isso: a criação de programas de formação e desenvolvimento de jovens talentos é fundamental para garantir o crescimento e a competitividade da modalidade no cenário esportivo nacional.

Além disso, as mulheres também estão competindo no Fut7 e sendo reconhecidas. Em tempos que premiações masculinas e femininas ainda são diferentes em praticamente todos os esportes e campeonatos de futebol tradicionais, o TST teve ambas categorias com a mesma premiação de 1 milhão de dólares, com final transmitida pelo Desimpedidos e Camisa 21. A visibilidade da modalidade é um importante fator para amplificar a popularização, trazer reconhecimento e também ter a oportunidade de igualar homens e mulheres nesse esporte. 

Com o aumento do interesse e da participação de atletas, torcedores e investidores, o Fut7 tem tudo para seguir conquistando seu espaço e se consolidar como uma das principais modalidades esportivas do Brasil, estimulando a prática esportiva, promovendo a saúde e o bem-estar dos praticantes, gerando conexão com a GenZ e fortalecendo os laços de amizade e camaradagem que o esporte é capaz de proporcionar.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Quais as propostas do W20 para enfrentar a violência de gênero?

    Quais as propostas do W20 para enfrentar a violência de gênero?

    A líder do tema, Janaína Gama, destaca os assuntos e recomendações que serão levados ao G20 para o combate da violência contra as mulheres 

  • Coca-Cola abre 7 mil vagas para capacitação de empreendedoras

    Coca-Cola abre 7 mil vagas para capacitação de empreendedoras

    Nova fase do programa "Coca-Cola dá um gás: mulheres" oferece treinamento gratuito para mulheres que atuam no setor varejista de alimentos