Itaú quer democratizar investimentos com novo app

Buscar

Comunicação

Publicidade

Itaú quer democratizar investimentos com novo app

Campanha que estreia nesta sexta, 03, é a primeira criada pela Galeria para o cliente e apresenta plataforma baseada no open banking

Giovana Oréfice
3 de setembro de 2021 - 15h50

*Atualizada às 16:03

Com a ascensão da pauta de investimentos no Brasil, players tradicionais do mercado buscam reforçar posicionamento neste nicho. É com este objetivo que o Itaú passa a veicular nesta sexta-feira, 3, uma ação voltada para o íon, plataforma de investimento que está sendo desenvolvida desde 2017 e já disponível para download na Apple Store e no Google Play. Com estreia na televisão, o filme de 60 segundos é o primeiro trabalho criado pela Galeria, agência recém-lançada por ex-lideranças da DPZ&T, para o cliente desde a mudança da conta de uma agência para a outra. Focada em mídia digital ao lado de influenciadores de diversos nichos, a comunicação também será divulgada em TV aberta e fechada, além de OOH.

 

Campanha estreia com filme de 60 segundos na televisão aberta e fechada (Crédito: Divulgação/Itaú)

Ao som de “Revolution”, canção do grupo britânico The Beatles, o Itaú apresenta o íon aos clientes do banco trazendo questões comportamentais que ilustram a proposta de valor do aplicativo. “Estamos trazendo um filme que realmente quebra um pouco dos códigos da categoria. Tem um ar inusitado, porque traz uma trilha muito forte e o filme coloca o íon como uma revolução na experiência de investir, justamente para quebrar um pouco dos códigos desse segmento”, declara o diretor de marketing do Itaú, Guilhermo Bressane. O executivo ressalta ainda que a marca tem como grande objetivo posicionar o Itaú cada vez mais no universo de investimentos, colocando-a à altura de demais players do segmento. 

A proposta criativa da campanha é convidar os clientes a escolher investimentos da mesma maneira que escolhem séries e a ver notícias do mercado como veem Stories do Instagram. A plataforma tem como premissa simular a experiência do investidor em redes sociais. “Toda a experiência e usabilidade do íon foi totalmente inspirada nos melhores aplicativos de redes sociais. Então, se você vai escolher investimentos, você faz como se tivesse escolhendo uma série da Netflix, tem até aquela parte de recomendação”, exemplifica o diretor. Segundo ele, o intuito é mostrar que a experiência dentro do app é fluida e diferenciada. “Íon é uma experiência completamente nova de investir e acompanhar seus investimentos. Mais fácil, simples e intuitiva. E a campanha vem com essa nova atitude, diferente na forma e no discurso das tradicionais campanhas do segmento”, explica Rafael Urenha, CCO e sócio fundador da GALERIA, em nota. O executivo ocupava o posto de CCO na DPZ&T. 

Conforme indica Bressane, o plano de comunicação do íon deverá se estender até o final do ano. Neste primeiro momento, para a apresentação do serviço, os investimentos se voltarão, em grande parte, para canais de comunicação em massa. Além disso, a divulgação nas redes sociais contará com um time de influenciadores digitais, ainda não divulgados pelo Itaú, que se posicionarão como “ionizados”. O executivo ressalta que os membros do squad foram selecionados para representar a diversidade de investidores que o íon pretende alcançar e que a estratégia vai de encontro com o foco do banco em ser uma marca que engaja a partir da produção de conteúdo. “Essa é uma campanha também muito focada em digital, naturalmente, porque trata de um aplicativo. Estamos trabalhando bastante com a questão de funil integrado, com audiências avançadas e base de clientes, então tem um trabalho bem técnico de marketing sendo feito aqui para garantir, em última análise, o download e uso do aplicativo”, completa.

Ainda como ponto de destaque, o íon surge sob o conceito de open banking — mecanismo tecnológico do Banco Central que propõe o compartilhamento de dados entre instituições financeiras. O agregador, como é chamada a ferramenta, permite a visualização de investimentos em oito entidades diferentes dentro de uma única plataforma a fim de facilitar a gestão de patrimônio financeiro global dos usuários. Banco do Brasil, Nubank, Santander, XP, Bradesco, Banco Inter, Caixa e Modamais são nomes que estão entre as instituições disponíveis no íon. 

Construído sob o conceito de mínimo produto viável — da sigla MVP, em inglês –, o aplicativo nasceu no final do ano passado para se posicionar como uma plataforma em constante evolução, baseando-se inclusive em depoimentos dos usuários em relação à experiência dentro do íon e fazendo jus ao posicionamento do Itaú “Feito com você’”. Como planos futuros, o Itaú deverá inserir features como biometria facial e curadoria de notícias de acordo com a carteira do investidor, além de expandir quadro de especialistas ligados ao aplicativo para até 2.500 colaboradores em todo o Brasil no ano que vem. Atualmente, o projeto conta com mais de 230 profissionais.

**Crédito da imagem no topo: Mubaz Basheer/Pexels

Publicidade

Compartilhe