Papel & Caneta revela as 30 vozes potenciais de 2021

Buscar
Publicidade

Comunicação

Papel & Caneta revela as 30 vozes potenciais de 2021

O coletivo celebra personalidades que criaram iniciativas que geram transformações reais na indústria da comunicação


15 de dezembro de 2021 - 16h58

Lista é realizada anualmente (Créditos: Reprodução)

Na última terça-feira, 14, o Coletivo Papel & Caneta apresentou a lista anual de 30 personalidades da indústria da comunicação que promoveram transformações no meio. Os projetos destacados envolvem temas diversos, que vão desde representatividade, diversidade e inclusão até discussões acerca da maternidade e mercado de trabalho. Assim como ocorreu em 2020, a iniciativa — desenvolvida ao longo de seis meses — contou com o apoio da agência FlagCX, na realização de um encontro presencial entre os selecionados. 

 

Confira a lista completa dos profissionais de 2021:

Pedro Bonn, empreendedor da dupla YOÙN e fundador da AUR, um grupo de mídia que visa comunicar a cultura e experiências negras na música e no entretenimento. Além disso, lançou a segunda edição do projeto POSS (Proteja Os Seus Sonhos).

Yago Freitas e Stella Gafo, idealizadores do SOMA, programa gratuito da agência AKQA de aprendizado e mentoria para jovens periféricos.

 

Yago Freitas e Stella Gafo (Crédito: Reprodução)

 

Gabriela de Paula e Camila Tuon, dupla de artistas visuais, diretoras independentes e fundadoras do selo CeGê.

Leo Ribeiro e Yudi Nakaoka, planejadores e fundadores do Crias do Plan, programa de apadrinhamento profissional que oferece suporte técnico e emocional gratuito para que jovens negros, periféricos e LGBTQIA+ que almejam trabalhar em departamentos de planejamento e estratégia.

Paula Sousa, redatora responsável por dar vida ao Mãellennials, iniciativa que debate a parentalidade e maternidade no mercado de trabalho.

Priscila Tapajowara e Lívia Kumaruaura. Criaram o Nató, um coletivo e produtora audiovisual na região do Baixo Tapajós que forma jovens indígenas.

 

Priscila Tapajowara e Lívia Kumaruaura (Crédito: Reprodução)

 

Zé Celso Oliveira e Victor Emeka, redator e diretor criativo, respectivamente. Juntos, lançaram a The Hiretone Palette, uma paleta de cores que representa os tons de pele de profissionais contratados pelo mercado publicitário.

Juliana Petermann, professora da Universidade Federal de Santa Maria no Rio Grande do Sul e idealizadora do 50/50, programa que reúne professoras e alunas de graduação e pós-graduação para fomentar sobre equidade de gênero na publicidade.

Renan Damascena e Thamara Pinheiro, líderes do hub criativo AUÊ. O projeto visa gerar impacto de inteligência cultural para marcas e agências.

Alan Costa, fundador do AfroBapho, coletivo que dá visibilidade a jovens negros da comunidade LGBTIA+ que atuam como produtores culturais, atores, dançarines, cantores e drag performers.

Julio Beltrão, responsável pela iniciativa ‘Wakanda is Here’,  núcleo que impulsiona a negritude na publicidade, dentro da Mynd, agência de marketing de influência.

Nay Mendl, Rosa Caldeira e Well Amorim, fundadores da Maloka Filmes, produtora audiovisual, que também realiza curadoria e coordenação de festivais.

Flora de Carvalho e Dominique Kronemberger, sócias do estúdio Passeio.

Felipe Silva, fundador e CEO da Gana, agência formada por profissionais negros.

 

Felipe Silva (Crédito: Reprodução)

 

Luana Protazio, Mariana Moraes e Pryscila Galvão, líderes do RPretas, coletivo que realiza o mapeamento e conexões com profissionais negros do segmento de relações públicas.

Felipe Simi, Edu Zanelato, Ariel Nobre e Bárbara Lima, idealizadores da entidade setorial sem fins lucrativos Observatório da Diversidade na Propaganda.

Mais detalhes sobre os destaques e iniciativas podem ser acessados na lista oficial do Papel & Caneta.

 

*Crédito da imagem do topo: Kundra-shutterstock

Publicidade

Compartilhe

Veja também