Comitê Paralímpico Brasileiro lança linha própria de uniformes

Buscar

Marketing

Publicidade

Comitê Paralímpico Brasileiro lança linha própria de uniformes

CPB também divulga campanha "Movimento Paraolímpico" para apresentar novo posicionamento e dá início ao licenciamento de produtos em parceria com a Reserva


13 de agosto de 2019 - 17h31

Com participação nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, que serão disputados de 23 de agosto a 1º de setembro, no Peru, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) anunciou três projetos com foco no mercado publicitário e empresarial do Brasil. O primeiro deles é o lançamento da linha própria de uniformes para serem usados pelos para atletas na competição, a exibição da nova campanha “Movimento Paralímpico” e o começo do programa de licenciamento de produtos em parceria com a marca brasileira de roupas, Reserva.

Paratletas Vinicius Rodrigues, Dayane Silva e Matheus Assis, em evento de lançamento da coleção e campanha de marketing (Crédito: Daniel Zappe/Exemplus/CPB)

Desenvolvida para os atletas paralímpicos, a coleção de uniformes da CPB conta com 127 peças que foram apresentadas para os patrocinadores do comitê, Loterias Caixa, Braskem e Ajinomoto, em desfile realizado nesta terça-feira, 13, em São Paulo. Segundo a idealizadora dos uniformes e responsável pelo time de designers da CPB, Amanda Rabelo, o desafio foi desenvolver produtos que conversassem com a identidade visual e que atendessem à alta performance.

“Pela primeira vez, nós deixaremos de ir a reboque. Me lembro das outras missões, em que o material era feito e nós tínhamos que nos adaptar a ele. Agora, fizemos diferente, sob medida, pensando em todas as especificidades de cada deficiência para ter o melhor uniforme possível”, comentou Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, no evento.

Além do lançamento da coleção, o CPB apresentou seu novo posicionamento institucional, por meio da campanha “Movimento Paralímpico”, que tem o objetivo de conscientizar as pessoas sobre o esporte para pessoa com deficiência. A ação terá três fases até o fim de 2020, sendo que a fase de abertura será veiculada nos canais SporTV e redes sociais do CPB de agosto a dezembro de 2019.

A campanha conta com a participação de Mateus Assis, halterofilista; Vinícius Rodrigues, velocista; e Dayane Silva, nadadora; em uma série de filmes na qual cada um estrelará três, de 15, 30 e 60 segundos, além de um de 60 segundos com a participação dos três. Durante o evento, o CPB também anunciou o início do seu programa de licenciamento de produtos da campanha, sendo que a marca de roupas Reserva comercializará as camisetas com o conceito da ação.

“Esta é uma campanha importante, que mostra a capacidade e o potencial do paratleta como atleta. Principalmente, deixa claro que a deficiência é só um detalhe, que o esforço, a dedicação, o sacrifício e a habilidade estão em primeiro lugar e, naturalmente, cada um tem uma característica que, às vezes, representa uma limitação que demanda ainda mais dedicação esforço e superação”, afirmou o presidente presidente do comitê.

A maior delegação brasileira da história, composta por 512 integrantes, sendo 337 paratletas de 17 modalidades, está realizando os últimos ajustes antes da principal competição da temporada e tem o objetivo de continuar na primeira colocação do quadro geral de medalhas, o que acontece desde o Rio 2007, sendo que na última edição em Toronto, o Brasil subiu ao pódio 257 vezes.

*Crédito da imagem no topo: Daniel Zappe/Exemplus/CPB

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Comitê Paralímpico Brasileiro

  • Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019

  • Campanha

  • licenciamento

  • competição

  • coleção

  • Uniformes

  • para atletas

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”