Primeira marca nacional vendida na Sephora quer ganhar o mundo

Buscar

Marketing

Publicidade

Primeira marca nacional vendida na Sephora quer ganhar o mundo

A paranaense Feito Brasil hoje explora dtc, outros marketplaces e prepara ida para o mercado internacional

Roseani Rocha
26 de fevereiro de 2020 - 6h00

Produtos da marca entraram no e-commerce da Sephora em 2013 e, no ano seguinte, ganharam as lojas (Crédito: Divulgação)

Quando começou a operar no mercado brasileiro, após o Grupo LVMH, ao qual pertence, adquirir em 2010 o e-commerce Sack’s, especializado em perfumes, maquiagem e cosméticos, a Sephora comercializava somente produtos importados. Mas três anos depois uma marca brasileira chamou atenção da rede internacional de varejo, a Feito Brasil.

A influência do mundo dos cosméticos sobre a fundadora da marca, Lena Peron, não era recente. O primeiro impacto foi aos seis anos de idade, quando ela visitou a fábrica de cosméticos de um tio, na Grande Porto Alegre. Cresceu com o gosto pela coisa, mas também um olhar crítico em relação ao que via nas gôndolas, achando sempre que havia espaço para produtos mais ousados e criativos.

Lena Peron: olhar crítico sobre o que via no mercado (Crédito: Divulgação)

Anos depois, colocou as ideias acumuladas em prática ao fundar, em 2004, numa chácara em Mandaguaçu, no interior do Paraná, a Casa Feito Brasil. Por ser imbuído desde a origem de uma visão de futuro e sustentabilidade, o negócio de Lena foi dedicado aos filhos, Filipe e Giulio, que se tornou CEO da empresa no início deste ano.

A despeito do caráter artesanal, o cuidado com o profissionalismo e o resultado da qualidade da produção levou a Feito Brasil – focada em produtos para banho e corpo – a estrear no e-commerce da Sephora em 2013 e no ano seguinte já estava em todas as lojas físicas, de onde não saíram mais. Em 2016, a Casa Feito Brasil lançou outra marca, a Quintal, de dermocosméticos. Este ano, a empresa recebeu o selo de Empresa B, concedido pelo B Lab a organizações com fins lucrativos que usam o poder dos negócios para incentivar uma economia mais inclusiva e sustentável e também foi premiada pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), como Empresa na categoria Sustentabilidade.

“Fomos a primeira marca na Sephora por todos os diferenciais da Casa Feito Brasil. Uma marca cuja sede é uma chácara, rodeada de verde, com árvores frutíferas, 92% de mulheres fazendo produtos muito irreverentes e ousados, que sempre representaram a arte e a cultura brasileiras em suas ilustrações e atua de maneira sustentável”, responde Lena ao ser questionada sobre os fatores que levaram a Feito Brasil ser eleita primeira marca nacional a compor o portfólio da varejista francesa.

Giulio Peron, que assumiu como CEO recentemente, foi o criados da Quintal, de dermocosméticos (Crédito: Divulgação)

Hoje, além da Sephora, os produtos da Feito Brasil e da Quintal são distribuídos de forma direct to consumer, no e-commerce, mas também estão em e-commerces como o Época Cosméticos (do Grupo Magazine Luiza) e Beleza na Web (do Grupo Boticário). Nos próximos meses, também entrará no e-commerce de outra marca do Grupo Boticário, a The Beauty Box. A meta de crescimento das vendas via e-commerce para este ano, a propósito, é entre 22% e 25%. As linhas também estão presentes na loja BemGlô (da atriz Glória Pires), em São Paulo, e no Duty Free do Aeroporto Internacional de Salvador.

Suas linhas de produtos, ressaltam Lena e Giulio, prestam homenagem à natureza do País em suas diferentes regiões. Em breve, virá, por exemplo, uma coleção inspirada na Mata dos Cocais, região que fica entre a Floresta Amazônica, o Cerrado e a Caatinga.

E com tanto apelo de brasilidade, as marcas não podem ser exploradas também no mercado internacional? “Com certeza. Estamos fazendo um primeiro contato com o México, mas temos estudos para mercado americano e europeu. De parcerias com grandes redes de lá e a própria Sephora”, revela o CEO Giulio Peron.

Foi dele também a ideia de criar a marca Quintal, de dermocosméticos, que atende a padrões globais de eficácia e segurança e prepara novidades na categoria labial. “É complexo mesmo. Estou nessa indústria desde 1999 e sei que é difícil ter uma formulação com eficácia comprovada e, ao mesmo tempo, manter o seu teor natural e orgânico. Mas é justamente isso o que fazemos com maestria”, pontua Lena.

Comunicação das marcas é calcada em influenciadores, digital e muita mídia espontânea (Crédito: Divulgação)

A um custo geralmente mais elevado, já que as matérias-primas são bem mais caras do que a de produtos sem esse tipo de preocupação. Por outro lado, permite que as marcas sejam posicionadas no segmento premium.

Isso também é reforçado em sua comunicação, que lança mão de iniciativas com influenciadores, mídias digitais, como Google, Facebook e Instagram, mas também é movida por muita mídia espontânea.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • lena peron

  • filipi peron

  • giulio peron

  • Grupo Boticário

  • Magazine Luiza

  • Sephora

  • Beleza na Web

  • casa feito brasil

  • época cosméticos

  • bemglô

  • feito brasil

  • quintal

  • Sustentabilidade

  • Beleza

  • cosmético natural

  • dermocosméticos

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”