Desfiles das escolas de SP terão comprovante de vacina e máscaras

Buscar
Publicidade

Marketing

Desfiles das escolas de SP terão comprovante de vacina e máscaras

Prefeitura da cidade estabelece regras para a realização do evento no Anhembi


19 de janeiro de 2022 - 16h22

Depois de ter sido cancelado em 2021, desfile das escolas de samba voltará a acontecer em 2022 (Crédito: Celso Pupo/Shutterstock)

Exigência de comprovante de vacinação. Uso de máscaras por todos os componentes das escolas de samba e também para o público. Número menor de participantes em cada agremiação. Esse deve ser o cenário do Anhembi no Carnaval de São Paulo deste ano, de acordo com as regras divulgadas pela Prefeitura de São Paulo nesta quarta-feira, 19.

Depois de ter cancelado os desfiles dos blocos de ruas em virtude do aumento dos casos de Covid-19 e também de Influenza, a Prefeitura da cidade já havia sinalizado que manteria os desfiles das escolas de samba pelo fato de ser possível aplicar regras de controle de comprovante de vacina e de limites de público.

As determinações feitas pela Prefeitura foram propostas pela própria Liga das Escolas de Samba de São Paulo e estabelecem que o público presente nas arquibancadas e camarotes para assistir aos desfiles apresentem o comprovante de imunização. O mesmo vale para os componentes e membros das escolas de samba que estiverem no local. A Prefeitura também determina que todos os presentes no sambódromo, tanto público quanto componentes das escolas de samba, usem máscara. As escolas também terão de reduzir o número de seus componentes.

Apesar dos protocolos, a Prefeitura não descarta a possibilidade de adiar os desfiles caso as taxas de contaminação pela Covid-19 aumentem nos próximos dias. Por enquanto, os desfiles do Grupo Especial das Escolas de Samba de São Paulo estão marcados para sexta-feira, 25 e sábado, 26 de fevereiro.

O estabelecimento das regras sanitárias fez com um dos critérios de avaliação das escolas de samba fosse alterado. Pelo fato de os componentes terem de desfilar de máscaras, a Liga das Escolas de Samba irá excluir o critério Harmonia da avaliação das agremiações neste ano. O quesito avalia, principalmente, se os componentes cantam o samba-enredo da escola, o que não será possível de ser avaliado por conta do uso das máscaras. O uso correto da proteção, entretanto, pode contar pontos para o quesito Fantasia, caso os componentes não façam uso da máscara de forma adequada.

Em novembro deste ano, quando várias cidades brasileiras começaram a anunciar o cancelamento do Carnaval de rua em razão do aumento de casos de contaminação pelo coronavírus, a Liga das Escolas de Samba de São Paulo usou suas redes sociais para divulgar uma campanha chamada “Diga SIM ao Carnaval da Vida em 2022″. O manifesto defendia a realização dos desfiles, junto à medidas de proteção sanitárias. 

Carnaval dos cancelamentos
No dia 6 de janeiro, a Prefeitura de São Paulo anunciou o cancelamento dos desfiles dos blocos de rua pela cidade, assim como fizeram Rio de Janeiro, Salvador, Olinda e outras cidades brasileiras. O cancelamento se deu pela percepção de que, pela grande quantidade de pessoas que os desfiles envolvem, seria impossível tomar medidas sanitárias como fiscalizar os comprovantes de vacinação.

Na ocasião, a Secretaria de Saúde da cidade declarou que não estão proibidos os bailes e eventos fechados de Carnaval, desde que seja exigido o comprovante de vacinação de todos os participantes, independente da quantidade de pessoas reunidas em cada local.

Publicidade

Compartilhe

Veja também