XP Educação cria graduação em tecnologia sem custo

Buscar
Publicidade

Marketing

XP Educação cria graduação em tecnologia sem custo

Faculdade XP, baseada no conceito de employer university, pretende suprir a demanda do mercado por profissionais da área

Giovana Oréfice
27 de junho de 2022 - 9h52

Empresa espera formar 400 alunos inicialmente (Crédito: fizkes-shutterstock)

Estimativa da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OECD) aponta que mais de um bilhão de postos de trabalho deverão mudar radicalmente em decorrência da evolução tecnológica no mundo. Com isso, a demanda por profissionais da área deverá aumentar e, mirando a tendência, a XP Educação apresenta nesta segunda-feira, 27, a Faculdade XP. Com foco na graduação com mensalidades a custo zero, a iniciativa deverá formar, de início, 400 alunos em disciplinas ligadas à tecnologia.

Paulo de Tarso, CEO da XP Educação, diz que essa é a oficialização de uma ideia que teve início há 20 anos. “Esse elemento de educação está no DNA da XP. Lá atrás, o Guilherme (Benchimol, fundador da companhia) entendeu que esse é o jeito mais efetivo de mostrar para as pessoas sobre produtos de investimento, construção de patrimônio”, detalha. O projeto teve investimento de mais de R$ 100 milhões e amplia a atuação da XP Educação dando um passo adiante rumo à formação profissional em cinco cursos: sistemas de informação, ciência de dados, análise de desenvolvimento de sistemas, banco de dados e defesa cibernética.

De acordo com o executivo, a motivação que levou à consolidação da iniciativa foi a demanda por mão-de-obra qualificada neste segmento. Além disso, destaca o despreparo dos recém-formados para entrar no mercado de trabalho. “A grande diferença está em uma conexão muito forte com o ecossistema da XP. A Faculdade XP está bebendo de um movimento que nos Estados Unidos é chamado de employer university, que é quando uma marca empregadora, que normalmente não é de educação, entra nos negócios e começa a formar os seus próprios talentos futuros”, explica Tarso.

Com uma metodologia baseada em projetos reais e um corpo docente composto por executivos e funcionários, que atuarão como professores, tutores e mentores, por exemplo, a iniciativa também dá aos alunos a oportunidade de fazer estágio na companhia e, no futuro, ocupar cadeiras mais altas e até mesmo partam para o empreendedorismo.

Paulo de Tarso, CEO da XP Educação (Crédito: Divulgação)

A oferta de graduação sem custos assegurada pela XP espera atrair um público entre 17 e 24 anos que tenha finalizado o ensino médio recentemente. Ampliando a possibilidade de encontrar talentos que expandam o centro financeiro de São Paulo, os cursos serão à distância, inspirados no modelo de trabalho anywhere, já adotado pela XP. “Até entendemos que pode ser que tenha quem não goste do modelo, mas queremos quem se adapte a ele”, declara o CEO. “O Brasil é muito grande e queremos chegar onde esse talento está”, acrescenta.

Entre as novidades apresentadas pela companhia, há também a ampliação do portfólio de MBAs e o lançamento de uma plataforma que conta com bootcamps em 44 modalidades relacionadas à tecnologia e inovação. O acesso é mediante uma assinatura mensal de R$ 65, que também proporciona 35 cursos livres em finanças e dá acesso ao chamado Radar de Oportunidades, que conecta o usuário a vagas de emprego de grandes empresas de tecnologia. A XP estuda, para o futuro, o modelo de parcerias para aumentar a empregabilidade.

Processo seletivo
A Faculdade XP busca alunos com características de liderança, perfis técnicos e espírito empreendedor, por exemplo. A primeira etapa do processo, de quatro eliminatórios, consiste em quatro perguntas abertas em que o candidato deve descrever situações de superação e lições aprendidas com isso.

Na sequência, será feito um bootcamp com duração de duas semanas, em que os jovens serão expostos a desafios relacionados à tecnologia, mais precisamente em data science e arquitetura de sistemas – nas quais não há a demanda de conhecimento prévio. É nesta fase que será avaliada a aderência à metodologia anywhere e capacidade de aprendizagem. A terceira parte envolve um teste de perfil calibrado por empresas parceiras da XP para profissionais de tecnologia. Já a última etapa é composta por uma prova de conhecimentos gerais, nas quais os participantes poderão aplicar notas prévias do Enem caso queiram.

Seguindo também a demanda da diversidade, as 400 vagas serão divididas em partes iguais entre vagas de ampla concorrência e afirmativas. Já em relação à diversidade do corpo docente, o CEO da XP Educação pontua que a seleção se beneficia das iniciativas de diversidade da XP enquanto empresa.

Planos de marketing e comunicação
No final do ano passado, a XP fez a aquisição da faculdade Instituto de Gestão em Tecnologia da Informação (IGTI), reforçando o background da marca em educação. Daniel Narcizo Pereira, head of sales growth da XP Educação, afirma que o momento de evolução da vertente, aliada ao ecossistema da companhia, nutriu a necessidade de manter o nome da XP Educação – com a abreviação XPE – vinculado à faculdade. O trabalho de posicionamento, logotipo e brand design foi feito em parceria com a agência Keenwork. Os esforços de divulgação e apresentação do projeto deverão ter uma estratégia baseada em marketing digital, com foco em redes sociais.

 

XP cria faculdade a custo zero (Crédito: Divulgação)

Publicidade

Compartilhe

Veja também