WhatsApp Pay no Brasil: de volta para o futuro e a oportunidade

Buscar

Opinião

Publicidade

WhatsApp Pay no Brasil: de volta para o futuro e a oportunidade

Prepare-se porque a revolução está nas palmas das mãos dos consumidores e seu negócio precisa embarcar nesta viagem


20 de agosto de 2020 - 8h47

(crédito: reprodução)

Um breve retorno a 2019: o WhatsApp Pay foi testado na Índia e o plano era lançá-lo no país no fim do mesmo ano, onde a plataforma contava com 400 milhões de usuários em sua base. Já existia o Interface de Pagamento Unificado (UPI) do governo, que permite transações financeiras instantâneas e é utilizado por outros aplicativos, aos quais ele se integraria. Mas, chegamos em 2020 e o WhatsApp ainda está em busca de aprovação do governo indiano, que argumenta que o WhatsApp Pay não está cumprindo normas de integração com o UPI e localização de dados.

Diante dessa dificuldade, fazia muito sentido que o Facebook, dono do WhatsApp, iniciasse as operações do Pay em outro país. Já viu esse filme, certo? O Brasil apresenta-se como ótimo território para tal iniciativa: hoje, 98% dos celulares brasileiros têm WhatsApp instalado. Então, o WhatsApp Pay foi lançado aqui em parceria com Nubank, Banco do Brasil e Sicredi, as bandeiras Mastercard e Visa, processamento do pagamento feito pela Cielo e usando a tecnologia do Facebook Pay. Assim como seus concorrentes PicPay, Mercado Pago, entre outros, o WhatsApp Pay permite transferência de dinheiro entre pessoas e para empresas. Para evitar fraudes, as transações somente são aprovadas por meio de PIN ou biometria. Desta forma, mesmo que um usuário perca o celular, não será possível efetuar uma transação.

E, em tempos de pandemia, como bem apontou Matt Idema, diretor de operações do WhatsApp, “o pagamento digital torna as vendas mais fáceis e convenientes, especialmente agora, com o isolamento social”. Ou seja, o conceito contactless, ter a possibilidade de fazer compras sem precisar entrar contato com nenhum tipo de máquina a não ser seu próprio celular, soma-se à experiência do usuário.

Além disso, como uma base de usuário desta magnitude, é certo que os consumidores passarão a utilizar o WhatsApp Pay para fazer seus pagamentos e compras. Vaquinhas para churrasco, pagamentos de happy hour e compras de pequenos deliveries, hoje feitas por PicPay, iFood e Mercado Pago, tendem a ser cada vez mais adotados. Aqui, mais força para o WhatsApp que, de tão presente na vida do brasileiro, está à frente, enquanto seus concorrentes em pagamentos ainda precisam conquistar o download de seus aplicativos.

Mas o que isso muda na sua vida, ou melhor, no seu negócio?

Diferentemente das plataformas de delivery atual, no WhatsApp Business e, consequentemente, no WhatsApp Pay, há o contato direto com o consumidor, ampliando ainda mais a oportunidades de personalização da experiência de consumo. As empresas terão contato (mais) direto e automático com seus clientes assim que o primeiro pagamento for efetuado. O que agora exige algum tipo de cadastro, este novo modelo traz a possibilidade de empresas criarem programas de recompensas personalizadas, publicidade extremamente direcionada, sistemas de compras coletivas e, além disso, de conversar com um atendente, fazer uma compra e acompanhar a entrega, tudo na mesma plataforma, que já está instalada no celular do consumidor.

Mas o cenário ideal que o WhatsApp Pay mirou sofreu revés, e a possibilidade de (mais uma) revolução de consumo e, concomitantemente, do mercado financeiro, não passou facilmente pelo Banco Central, e o WhatsApp Pay já teve suas atividades suspensas pelo Bacen, além de se deparar com entraves do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Assim, com a suspensão da plataforma pelo Bacen, continuamos no mesmo estágio da Índia.

O impasse para autorizar o funcionamento do WhatsApp Pay pode ser considerado um atraso no progresso do relacionamento das empresas com seus clientes, mas, ao mesmo tempo, uma oportunidade para o seu negócio tomar as decisões de como se adaptar a esta realidade que em breve se concretizará. Aproveite este tempo para compreender como o WhatsApp pode beneficiar seu negócio, desde ter um perfil do WhatsApp Business, estabelecer o contato com seus consumidores para identificar perfis e desenhar programas de fidelidade, aprimorar serviços e produtos, abrir conta em uma das instituições parceiras para que, quando o aplicativo for liberado, você já esteja preparado para receber o primeiro pagamento. São exemplos de como planejar a sua estratégia de vendas e marketing usando o WhatsApp Pay. Prepare-se para a volta desse futuro, porque a revolução está nas palmas das mãos dos consumidores e seu negócio precisa embarcar nesta viagem.

**Crédito da imagem no topo: reprodução

Publicidade

Compartilhe