Análise mais assertiva movimenta marketing de influência

Buscar

Opinião

Publicidade

Análise mais assertiva movimenta marketing de influência

Metodologia de análise de sobreposição de audiência aumenta resultados para campanhas com influenciadores


17 de setembro de 2020 - 12h18

(Crédito: BRO Vector/ iStock)

O marketing de influência é um grande mercado no Brasil e está há cada dia obtendo melhores resultados. Um recente estudo realizado pela Influencity afirma que mais de nove milhões de influenciadores geram negócios diariamente para muitas empresas, somente aqui no Brasil. Fato é que a maioria é composta por nano influenciadores, um total de 7.007.017, que têm entre mil e dez mil seguidores, e esses são, em sua maioria, mulheres  (62%). Aliás, elas dominam em todas as categorias de influenciadores.

Apesar de ser extremamente importante, quem trabalha com marketing de influência sabe que usar somente o número de inscritos como métrica de resultados nas campanhas pode ser bastante frustrante. Já é bastante comum que as marcas considerem não apenas o número de seguidores dos criadores, mas também a quantidade de likes e comentários para entender quem realmente é impactado nas ações. E para aprimorar resultados e conseguir melhores retornos sobre investimentos, é importante saber se a audiência dos influenciadores escolhidos para uma ação não é a mesma; isso é o que faz a sobreposição de audiência.

A sobreposição de audiência é o comparativo entre o público de dois ou mais perfis para identificar a intersecção de seguidores. Assim, é possível direcionar de forma mais assertiva as campanhas a fim de obter resultados muito mais alinhados ao objetivo final de cada projeto. A métrica de intersecção de engajamento absoluto é considerada mais real e viva.

Na prática, quando falamos de inscritos ou seguidores, o dado pode não significar muito, uma vez que o algoritmo do Instagram deixa de mostrar o feed por uma série de razões, e os seguidores daquele criador de conteúdo podem não ser impactados pelo tema. Por esse motivo, para cada tipo diferente de campanha é importante trabalhar junto aos clientes qual porcentagem de sobreposição será determinada.

Ou seja, para aqueles que desejam maior número de pessoas impactadas, o ideal é buscar a maior taxa de porcentagem de sobreposição, diferente dos demais criadores envolvidos na campanha. Já para ações que buscam exposição mais frequente – mesmas pessoas vendo várias vezes o mesmo conteúdo -, consideramos perfis com menores taxas de sobreposição.

Um dos pilares do marketing de influência é, ou deveria ser, conseguir alinhar resultados para ambos os lados: marcas e criadores de conteúdo. Não podemos enxergá-los apenas como números de inscritos ou seguidores, likes e comentários. É importante que as listas de creators com quem as marcas trabalham contenham apuração detalhada da relevância do conteúdo, por profissionais qualificados.

A metodologia de análise de sobreposição de audiência traz como benefícios resultados mais precisos para as ações, permitindo que as marcas falem com seus públicos de interesse de forma única e assertiva, sendo eles um grande grupo de pessoas ou um grupo menor. As entregas ficam mais efetivas, pois as marcas conseguem entender a importância de uma boa lista de influenciadores aliada a uma ideia criativa de campanha. Além disso, traz um dado palatável ao resultado, e não apenas impressões das ações.

A tendência é que marcas considerem mais e mais esse tipo de metodologia. Hoje, vemos que as verbas estão migrando para ações com influenciadores e, sem dúvida, em um mundo que passa a ser analisado por dados, e técnicas com melhores resultados serão cada dia mais imprescindíveis.

*Crédito da foto no topo: iStock

Publicidade

Compartilhe