Causas urgentes, mudanças constantes

Buscar
Publicidade

Opinião

Causas urgentes, mudanças constantes

Ao serem espaços que dão voz a pessoas, marcas, celebridades e governos, plataformas também têm de assumir responsabilidade de gestão


24 de maio de 2022 - 19h10

(Créditos: Savvas Stavrinos/Pexels)

Sou formada em história da arte e caí no mundo da comunicação aos 20 e poucos anos quase que por acaso, mas nem tanto. Arte e comunicação têm em comum o fato de serem disciplinas que devem refletir o comportamento e os anseios da sociedade, o zeitgeist; de influenciar e incentivar formas de expressão, que conectam as pessoas ao seu tempo.

Com a chegada da internet, o tempo e a distância entre pessoas foram definitivamente modificados pela velocidade das mudanças e pela pluralidade de vozes que ganharam espaço. As histórias são contadas pela sociedade e também pelas marcas, dando protagonismo às pessoas que interagem com elas. Nesse contexto, as plataformas são hoje o principal canal dessa pluralidade: marcas, pessoas, celebridades, governos, todos têm voz. Artistas que não teriam espaço nos palcos do mundo, se lançam na internet; redes de solidariedade se formam e ajudam a transformar realidades; todas as conexões se ressignificaram. Mas esse novo fluxo também gera muitos desafios, que vão muito além da comunicação, sobre o que uma marca diz. Vem a necessidade de uma mudança atitudinal e coerência entre fala e ação.

As empresas precisam se comprometer com uma sociedade e um mundo sustentáveis para manter os seus negócios vivos. Então essa não pode ser apenas uma narrativa de marketing, mas sim um modelo de gestão corporativa. Compartilhar esse compromisso pode ser relevante para as estratégias de marketing, mas precisa ser verdadeiro e responsável.

No YouTube, reforçamos a todo momento o propósito da plataforma: dar voz a todos e mostrar o mundo a eles. Temos esse direcional em tudo o que fazemos, e sabemos que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades; daí a necessidade de se criar políticas que regulem essa comunidade. Além de seguir as leis do País, a plataforma tem diretrizes próprias globais e locais orientadas pelos 4Rs – Remover, Reduzir, Recomendar, Recompensar. A atualização de políticas e a aplicação desses 4Rs são ações constantes, que envolvem centenas de pessoas, entidades e tecnologia – uma operação complexa e delicada, tendo em vista que a moderação de conteúdo não pode ferir a liberdade de expressão, que é um direito garantido do cidadão. A responsabilidade em mediar, regular e incentivar narrativas é a nossa tarefa diária.

Semana passada, tive a oportunidade de participar do encontro “Café com Causas”, um bate-papo promovido pela Cause para debater as demandas sociais mais relevantes e urgentes do nosso tempo, inclusive sobre a responsabilidade que abarca múltiplos setores da sociedade: organizações, marcas/empresas e poder público. O relatório “Causas para Observar, produzido anualmente pela Cause, traz diretrizes assertivas, que somadas à troca de experiências desse encontro, me trouxeram insights valiosos para aprofundar reflexões sobre nossos desafios neste e nos próximos anos e como podemos atuar em diversas esferas, como no impacto da pandemia na saúde mental e na educação, nos compromissos socioambientais, bem como no antirracismo e no acolhimento PcD dentro do ecossistema empresarial.

Se por um lado é impossível não se impactar com tantas urgências, por outro, sentir que não estamos sós e que o movimento coletivo e plural para evoluirmos nessa agenda tem ganhado corpo e voz, é potência motriz.

Publicidade

Compartilhe

Veja também