Creators como agentes de mudança: usando a voz e Influência para ajudar o Rio Grande do Sul

Buscar

Creators como agentes de mudança: usando a voz e Influência para ajudar o Rio Grande do Sul

Buscar
Publicidade

Opinião

Creators como agentes de mudança: usando a voz e Influência para ajudar o Rio Grande do Sul

Durante a maior catástrofe climática no Rio Grande do Sul, criadores de conteúdo e influenciadores digitais aceleram a disseminação de informações corretas, organizando campanhas de ajuda e combatendo a desinformação.


10 de junho de 2024 - 8h00

Como gaúcho, acompanho com o coração apertado as tragédias que assolam o Rio Grande do Sul. Possivelmente a maior catástrofe climática que já atingiu nosso país devastou mais de 400 municípios e afetou a vida de mais de 2 milhões de pessoas.

Diante dessa tragédia, testemunhamos uma mobilização da sociedade como um todo — incluindo criadores de conteúdo e influenciadores digitais, que estão se posicionando como importantes agentes de mobilização e engajamento.

A força mobilizadora dos influenciadores tem sido extremamente relevante para a arrecadação de doações e a organização de campanhas de ajuda.

Além de organizar campanhas de ajuda e promover a união em prol da reconstrução, esses profissionais estão desempenhando um papel importante na disseminação de informações e na luta contra a desinformação. Nos últimos anos, vimos um aumento preocupante na disseminação de fake news, especialmente em momentos de crise. É nesse contexto que os influenciadores atuam como ativistas e tornam-se poderosos agentes de mudança, utilizando suas plataformas para combater a desinformação e promover a verdade.

Combate à Desinformação

O combate à desinformação não é apenas uma responsabilidade dos jornalistas e especialistas em comunicação; é um dever de todos nós, especialmente daqueles com uma grande audiência e influência. Em momentos de crise, a disseminação de informações corretas pode salvar vidas, direcionar recursos de forma adequada e evitar o pânico.


A creator Juvi, conhecida pela didática leve e descomplicada de suas listas bem-humoradas, listou as “top 12 fake news sobre o Rio Grande do Sul” para desmascarar boatos e mentiras que circulavam online. 

O post “o que não se deve fazer” sobre as tragédias no RS, da humorista, atriz e roteirista Luana Zucoloto, viralizou e a fez chegar a 1 milhão de seguidores. A repercussão foi tanta que ela produziu um segundo vídeo explicando o impacto de sua mensagem.

Esses dois exemplos usaram o humor para chamar a atenção para práticas inadequadas e informações erradas que estavam sendo disseminadas, educando o público de forma acessível e impactante.

Um exemplo que mostra o potencial da união de influenciadores é o SOS RS Ajuda. Para ampliar o alcance desta iniciativa, vários influenciadores de peso se uniram para promover o perfil, que organiza e direciona voluntários e doações para as áreas afetadas. Esse perfil se tornou um ponto central para aqueles que queriam ajudar, oferecendo informações claras e confiáveis sobre como e onde prestar assistência.

A Live SOS Rio Grande do Sul, idealizada por Lucas Silveira, vocalista da Fresno, em parceria com o podcast Podpah, arrecadou mais de R$ 2 milhões para as vítimas da tragédia climática no Rio Grande do Sul. Realizada em 7 de maio de 2024, a transmissão de 5 horas e meia contou com a participação de grandes nomes da música nacional e teve como objetivo alertar e mobilizar o público sobre a situação crítica no estado. Os fundos arrecadados serão rapidamente destinados a lideranças locais que auxiliam os mais afetados pelas enchentes, com prestação de contas via redes sociais.

Ao utilizar suas vozes para combater a desinformação, esses profissionais constroem um legado de responsabilidade social e cidadania digital.

Esse posicionamento que observo nos influenciadores demonstra o potencial desses profissionais como agentes de transformação social. Ao utilizar suas plataformas para amplificar vozes, mobilizar recursos, promover a empatia e unir forças para a reconstrução, os creators nos lembram do poder que cada um de nós tem de fazer a diferença e contribuir para o bem comum, especialmente em momentos de urgência e necessidade.

Neste momento de crise no Rio Grande do Sul, mais do que nunca, precisamos lembrar que, além de criar conteúdo, é essencial agir! Precisamos de informação precisa e combate à desinformação para auxiliar as vítimas, organizar a ajuda humanitária e evitar a propagação de boatos que só agravam a situação. Que possamos seguir promovendo a verdade e a solidariedade em um mundo cada vez mais conectado.

Influência regional = ajuda local e imediata.

Influenciadores de destaque em todo o Brasil têm realizado ações significativas para auxiliar nas consequências dessa catástrofe, muitas vezes em colaboração com órgãos públicos. No entanto, é notável a atuação de influenciadores regionais, incluindo alguns cujas residências foram afetadas pelas inundações. Eles têm sido fundamentais na organização de doações, na disseminação de informações vitais, na arrecadação de fundos, no voluntariado, nos esforços de resgate e no apoio a animais necessitados.

Confira alguns exemplos:

Adênia Chloe

A personagem-fantoche Adênia Chloe emprestou seu característico tom humorístico e sarcástico para esclarecer informações sobre a situação no RS.

Debora Lemos

Está criando iniciativas para vendas de produtos gaúchos, em uma visão de longo prazo no processo de reerguer o Estado.

Badin Colono

Badin Colono fez campanha uma campanha com seus seguidores e arrecadou R$ 15 milhões.

Claudia Bartelle

Transformou seu feed e 100% do conteúdo para ajudar o RS.

Vinícius Vaz

Colocou seu jetski nas águas e resgatou mais de 150 vidas. Arrecadou mais de R$ 20 mil em doações.

Lauren Pfeiff

Está realizando ajuda local e divulgando formas seguras de ajudar. Com doações conseguiu contratar um helicóptero por exemplo.

Nina Castanheira

Tem arrecadado doações e divulgado diariamente o é que urgente doar no dia e onde.

Manuela Medeiros

Tem reunido grupos de médicos para atender diretamente no RS e arrecadado medicamentos

View this post on Instagram

 

A post shared by Manoela Medeiros (@manozzita)

Camila Rech

Tem atuado na arrecadação de dinheiro para alimentos, ajuda animal. medicamentos e ajudas urgentes em abrigos. 

João Finamor
João é professor da ESPM e tem atuado como voluntário arrecadando e entregando doações em abrigos e, nas redes vem divulgado orientações e combate a fake news.

É importante destacar que o papel dos influenciadores digitais como agentes de mudança social se estende para além do caso das enchentes no Rio Grande do Sul. Diversos criadores de conteúdo utilizam suas plataformas para abordar questões socioambientais, promover a educação, defender os direitos humanos e mobilizar a sociedade em torno de causas relevantes.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • A estratégia por trás dos naming rights no Brasil

    O mercado brasileiro de naming rights ainda está em estágio inicial, mas com grande potencial de crescimento

  • Branding e influência: valores e conexão

    Os consumidores, informados como nunca, colocam grande importância na autenticidade e na integridade das marcas que escolhem apoiar ou consumir