Web Summit de volta ao futuro

Buscar
Publicidade

Opinião

Web Summit de volta ao futuro

Após um período crítico de discussões em redes sociais, fuga de patrocínio e de alguns palestrantes, o evento inicia com força


13 de novembro de 2023 - 19h50

Estou aqui novamente, em um ano repleto de debates, desistências e até mesmo a demissão do CEO Paddy Cosgrave, principal acionista da empresa e à frente do evento há oito anos, após suas declarações no X que ofendeu parte de sua audiência, gerando boicote e desistência de alguns palestrantes e importantes patrocinadores. Em seu lugar assumiu Katherine Maher, uma mulher que, coincidências à parte, tem uma longa experiência de Oriente Médio. A norte-americana, já viveu no Egito, Líbano e na Síria.

Eu já a havia visto no palco central do Web Summit em 2019, quando era CEO da Wikimedia Foundation. Hoje, na abertura, lá estava Maher em um discurso de 15 transparentes minutos, nos quais não poupou palavras, sem constrangimento algum: “Gostaria de falar sobre o que aconteceu, devemos isso à nossa comunidade. O Web Summit deve ser um espaço para conversas ao contrário de se tornar o centro delas. Sem nos esquecermos daqueles que decidiram não vir, cuja ausência reforça a importância do Web Summit para eles, uma vez que aquilo que dizemos os atinge de maneira contundente. Trata-se de uma relação forte e longa, exatamente por isso já conheciam Paddy Cosgrave como o ‘língua-solta’ que é”, para lembrar que o ex-CEO errou outras vezes em suas falas, sobre diferentes temas.

“Em 2019, eu estive neste palco e tive dimensão do impacto que o Web Summit é capaz de causar. Foi quando fui inspirada pela missão que o evento abraça”. Maher fez a lição de casa ao afirmar que “todos têm o direito de opinar sobre o que ocorre no mundo”, e puxou aplausos ao concluir, “mas é preciso considerar o peso das palavras”.

Dá para notar que a mulher não está ali por acaso, “Sem a riqueza dos debates e a liberdade de expressão, nossos palcos estariam vazios de ideias, sem desafios, sem gerar mudanças.”

A sorte do dia é que pelo que pude notar, todos os presentes estão dispostos a compartilhar “ideias, desafios e transformações através da IA na educação, medicina e mesmo na ajuda humanitária” com o propósito de gerar um futuro próspero e sustentável”. Sorte porque é isso que tenho encontrado ao longo desses anos com minha presença no evento, onde busco inspiração para novas conexões e partilho a experiência com nossos clientes e parceiros, as novidades e desafios que serão a base de nossos trabalhos.

Katherine ainda afirmou que o evento de tecnologia continuará sendo um dos principais palcos para unir e conectar pessoas. Tivemos, como sempre, a presença de autoridades políticas com destaque para o presidente da república e seu ministro da economia, além do prefeito de Lisboa.

Começou o show, de agora em diante, palcos, ideias, energia e muita sinergia vão acontecer de maneira rápida e intensa contando com a presença de 70 mil pessoas, 2600 startups e em torno de 900 investidores já inscritos, segundo a administração. A importância de estar conectado a esse universo é vital para sobreviver às transformações que estão mais rápidas a cada dia.

Como nos anos anteriores que estive presente, compartilhei o que pude assistir com os leitores do Meio & Mensagem e farei isso novamente ao final desta jornada destacando aquilo que pude ver e acredito ser importante compartilhar com quem não pode estar aqui.

Um dos primeiros palestrantes foi Jimmy Wales, fundador da Wikipédia, que defendeu sua ferramenta com consistência ao afirmar que embora a IA tenha um potencial gigantesco, sempre será preciso a existência de uma enciclopédia gerada com intervenção humana que ofereça informação com fonte validada. “Os modelos que alimentam a IA generativa está longe de ser uma fonte confiável, por isso quando perguntamos ao ChatGPT com quem a sua própria esposa foi casada, receberemos uma pessoa diferente todos os dias, a maioria colegas de trabalho”.

Isso reforça o fato de que só se alcança resultados acima da média com a IA, se o seu input for de alta qualidade, o output será vencedor. Os dados inseridos no início processo, a base da informação, seja para uma resposta genérica do ChatGPT, seja para uma pesquisa com informações da Wikipedia ou até mesmo para alavancar o desempenho de uma campanha publicitária digital, dependem da qualidade depurada desses dados.

Como é bom estar de volta.

Publicidade

Compartilhe

Veja também