Alerta vermelho: a saúde física e mental da mulher e a lição da SVCR

Buscar
Publicidade

Opinião

Alerta vermelho: a saúde física e mental da mulher e a lição da SVCR

Como você está redefinindo suas prioridades para garantir não apenas sua produtividade, mas também sua paz de espírito e saúde?


4 de abril de 2024 - 10h41

Imagine a cena: a pressão é alta, o cronograma apertado, e então, sem mais nem menos, seu corpo grita “basta!” Foi assim, entre uma dor de cabeça avassaladora e uma corrida ao hospital, que eu me deparei com um adversário inesperado: a Síndrome de Vasoconstrição Cerebral Reversível (SVCR). Uma condição sorrateira, majoritariamente feminina, que aperta as artérias do cérebro como se dissesse: “Pare. Respire. Repense.”

A prescrição? Repouso absoluto. Sim, em plena semana de agitação total no escritório. A ironia da vida mostrando que, apesar de nossas ilusões de controle, nosso corpo detém o poder supremo de nos parar. E foi nesse ponto morto obrigatório que eu me permiti refletir profundamente sobre a jornada insana que muitas vezes nos submetemos.

O mantra do autocuidado deve ser seu escudo. Não se trata de luxos extravagantes, mas de momentos simples de recarga pessoal. O seu bem-estar precisa ser uma constante, e não uma reflexão tardia.

A arte de delegar torna-se uma habilidade vital. Minha equipe provou ser mais que capaz, tomando as rédeas enquanto eu estava ausente. O medo de perder o controle é um fantasma que precisa ser enfrentado – e vencido.

Saúde antes de tudo. Planos, prazos, projetos – tudo se torna secundário diante de um risco à saúde. Aprendi da maneira mais dura que ignorar os sinais do corpo é jogar roleta russa com a vida. Descansar não é um sinal de fraqueza — é um ato de responsabilidade com sua própria existência.

E, por fim, aceitar nossas limitações pode ser libertador. A obsessão por fazer tudo e ser tudo só alimenta uma máquina de expectativas inalcançáveis. Reconhecer e aceitar nossas vulnerabilidades é o primeiro passo para uma vida mais equilibrada e autêntica.

Dois meses após esse episódio, estou de volta ao jogo, mas agora jogando de acordo com as novas regras. As duas “Renatas” – a mãe e a executiva – aprenderam a coexistir em harmonia. E você, como está redefinindo suas prioridades para garantir não apenas sua produtividade, mas também sua paz de espírito e saúde?

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Empreendorismo materno: conheça negócios de mães para mães

    Empreendorismo materno: conheça negócios de mães para mães

    InterPrêta, Maternidade nas Empresas, Poppins, B2Mamy e Filhos no Currículo são alguns exemplos de iniciativas por e para mães 

  • Mulheres, criação e desequilíbrios históricos

    Mulheres, criação e desequilíbrios históricos

    Apesar do crescimento da liderança feminina nas agências de publicidade, a área de criação é a última fronteira dominada pelos homens