Conselheira 101 lança programa de lideranças femininas negras e indígenas

Buscar
Publicidade

Women to Watch

Conselheira 101 lança programa de lideranças femininas negras e indígenas

Projeto busca ampliar o número de mulheres negras e indígenas em posições de conselhos e comitês nas organizações


16 de abril de 2024 - 16h32

(Crédito: Unsplash)

O Conselheira 101 acaba de abrir as inscrições para a quinta turma do programa de incentivo à diversidade de gênero e étnico-racial nos comitês e conselhos consultivos e de administração das empresas brasileiras. A iniciativa acontecerá por meio de encontros online e eventos presenciais, com o objetivo de ampliar o conhecimento de lideranças femininas negras e indígenas sobre o papel dos conselhos e comitês. A ideia é também promover o networking das participantes com a comunidade de governança corporativa. 

Para participar, é preciso se autodeclarar negra ou indígena, ter quinze anos de experiência profissional, dos quais no mínimo cinco em posição de liderança, e ter ao menos pós-graduação ou MBA. O processo de inscrição acontece até o dia 21 de abril e será realizado em duas etapas, sendo a primeira de avaliação de currículos, e a segunda de entrevistas virtuais.

Com início no dia 21 de maio, o programa terá dezessete encontros com executivos e conselheiros de grandes empresas, que compartilharão experiências e responsabilidades inerentes ao papel de conselheiro, formação e skills buscados, desafios e boas práticas de governança corporativa, entre outros.

“Chegar na quinta turma deste projeto, que teve início na pandemia, só mostra que estamos no caminho certo e que ainda temos muito a avançar. Já são mais de 105 mulheres impactadas, e nosso objetivo é levar essas executivas aos conselhos, comitês, posições de altíssima liderança”, diz Jandaraci Araujo, cofundadora do Conselheira 101.  

O programa, sem fins lucrativos, foi idealizado por um coletivo de mulheres formado por Ana Beatriz Trejos, Ana Paula Pessoa, Elisangela Almeida, Graciema Bertoletti, Jandaraci Araujo, Leila Loria, Lisiane Lemos, Marienne Coutinho, Mayra Stachuk e Patrícia Molino. A iniciativa tem apoio da KPMG, WCD (Women Corporate Directors Foundation), Happy Eagle Consultoria de Executive Search, do BGC e da Oliver Press.

As inscrições para o programa podem ser feitas até o dia 21 de abril por meio de formulário.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Instituto Liberta lança campanha contra violência sexual infantil

    Instituto Liberta lança campanha contra violência sexual infantil

    Fátima Bernardes e Denise Fraga estrelam vídeos que alertam sobre dificuldade de identificação do crime

  • Algoritmos novos, vieses antigos: como a IA reforça estereótipos

    Algoritmos novos, vieses antigos: como a IA reforça estereótipos

    Especialistas refletem sobre a urgência de uma abordagem crítica e transparente na implementação de tecnologias de inteligência artificial