Publicidade

Opinião

Sem medo de errar 

A falha é um componente essencial do aprendizado. Quando erramos e tomamos lições desses erros, isso tem um valor muito importante


22 de fevereiro de 2024 - 16h13

(Crédito: Adobe Stock)

Eu sou uma baiana agitada e isso não é segredo para ninguém que me conhece. Quando me chamaram para escrever uma coluna aqui no Women to Watch, pensei: que desafio retado! Mas o que vou contar para as pessoas, como inspirar mulheres a partir da minha vivência? Passei janeiro e o começo de fevereiro com essa missão nos meus lembretes. No inconsciente, o medo de não conseguir entregar o que gostaria.

Mas vocês sabem bem como é a rotina de ser mulher (em pleno carnaval), mãe (na função das atividades extras), executiva (entre orçamento e estratégia do ano), ser amiga e tantas outras facetas que incorporamos diariamente. Fato é que é preciso fazer sem ter medo de errar. Fazer o que for preciso tanto no pessoal, quanto no profissional. Eu aprendi isso na marra. 

Muitas vezes nós, mulheres, ainda temos medo de errar e sermos julgadas por isso. Mas é preciso tentar e seguir em frente. E é exatamente nesta direção que tento sempre avançar. Motivar meu time. Encorajá-los a trazer novas ideias e soluções. Botar a roda para girar. E faço isso muito com base no meu histórico pessoal, não só como executiva, mas também como mulher e como pessoa que pratica esporte.   

Como mulher, porque acredito firmemente que a diversidade de pessoas, ideias e opiniões leva a uma sociedade mais justa, em que haja lugar para a livre manifestação de pensamento. E vou lutar sempre por isso.  E como praticante de atividade física, por ter a certeza, absoluta, de que este caminho conduz a um futuro melhor e mais saudável, com uma mente mais tranquila e evoluída. 

Tento incutir isso diariamente no meu time na Vibra. Tem quase um ano que eu cheguei na empresa conhecendo muito pouco do segmento de combustíveis e lubrificantes. Eu pensava: que loucura que vai ser comandar uma área de negócios, marketing e produtos. Mas no fundo eu sabia que de uma coisa eu entendo muito bem: ser bold nas decisões, preparar muito bem meu time, ir em frente e me arriscar. 

E nós arriscamos bastante aqui. Pensando lá na frente, investimos em antecipar as tendências. Aprendemos a ouvir o consumidor. Ainda mais quando o que é novidade hoje já pode estar ultrapassado amanhã. Inteligência artificial e dados são ferramentas corriqueiras no dia a dia tanto das agências, como dos clientes. É fundamental testar as novas ideias, mesmo que não sejam perfeitas.  

E foi arriscando e desafiando o time que colocamos na rua duas ações que geraram níveis ótimos de engajamento: a dancinha da bomba e o comercial remetendo aos Mamonas Assassinas. Arriscamos e, dessa vez, não erramos! Acertamos! Contudo, a falha é um componente essencial do aprendizado. Quando erramos e tomamos lições desses erros, isso tem um valor muito importante. 

Posso afirmar, sem sombra de dúvida, que os últimos meses têm sido um turbilhão de emoções. Por saber da complexidade que é estar com a minha família em São Paulo e passar boa parte do tempo no Rio de Janeiro. Por ter praticamente me mudado para outra cidade. Mas tudo isso é superável, quando você quer fazer acontecer. Espero que minhas palavras possam inspirar outras mulheres a seguirem seus sonhos e desafios. 

Este é um espaço para compartilhar experiências, aprendizados e inspirações com outras mulheres que buscam seu lugar no mercado de trabalho e na sociedade. Espero que vocês gostem do que vou escrever aqui mensalmente e que se sintam motivadas a seguir seus próprios caminhos, com coragem, determinação e ousadia. Porque nós, mulheres, podemos muito mais do que imaginamos. E juntas, podemos transformar o mundo. 

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • W2W Summit 2024: Desafios da liderança e a arte de fazer escolhas

    W2W Summit 2024: Desafios da liderança e a arte de fazer escolhas

    Assista ao painel com Claudia Muchaluat, presidente da Intel Brasil, e Claudia Woods, CEO Latam da WeWork

  • Programa capacita mulheres negras para o mercado corporativo

    Programa capacita mulheres negras para o mercado corporativo

    Pacto Transforma conta com parceria da B3, Fundação Dom Cabral, Fundação Lenovo, Novonordisk, ADP Brasil e o apoio social da 99 Jobs e da consultoria Integrha