IBM assume renovação tecnológica do Corinthians

Buscar

Marketing

Publicidade

IBM assume renovação tecnológica do Corinthians

Projeto inclui melhorias no programa Fiel Torcedor, revitalização das catracas do estádio e implementação de faces publicitárias

Salvador Strano
21 de dezembro de 2018 - 14h40

Empresa será responsável pela renovação tecnológica do clube (Crédito: Alfribeiro/iStock)

A IBM e o Corinthians anunciaram uma parceria para os próximos dez anos nesta sexta-feira, 21. O objetivo da união é modernizar tecnologicamente a Arena Corinthians, o que permitiria avanços tanto na experiência do torcedor quanto no trabalho da equipe técnica do clube e, ainda, a possibilidade de monetização publicitária com faces eletrônicas.

Com o acordo, a IBM passa a ser a responsável pelo programa de fidelidade do clube. Assim, o Fiel Torcedor deixa de ser atendido pela Omni e, com a empresa estadunidense, passará por reformas, tornando a carteirinha um plástico de pagamentos, como são os cartões de banco, por exemplo.

Outra novidade da parceria é a modernização das catracas do estádio, que serão capacitadas a liberar o acesso por QR codes e, na área VIP, por biometria. No futuro, a IBM também deve aprimorar o acesso à internet dentro da arena e implementar telas nos dez andares do estádio para veiculação publicitária. Luis Paulo Rosenberg, diretor de marketing do clube, espera que “a receita dessa tecnologia ultrapasse as fontes tradicionais de renda”. Entre elas, direitos de transmissão.

Essa é a primeira vez que um estádio da América Latina se une a IBM para uma renovação tecnológica. Nos Estados Unidos, entretanto, a experiência já foi realizada no estádio Mercedez-Bens, em Atlanta, onde são disputados jogos dos Falcons, da NFL (liga de futebol americano), e do Atlanta United, da MLB (liga de beisebol).

Com a equipe técnica do clube, por outro lado, a melhora tecnológica deve render uma base de dados rica a Fabio Carille. Agora, será possível acompanhar o desempenho físico de todos os jogadores do clube durante treinos e jogos dentro do estádio. Isso, por si, não é novo. O modo de fazer, sim. O que antes era feito por GPS, será realizado por uma tecnologia similar ao pagamento eletrônico de pedágios, combinado à uma série de câmeras. Isso tudo será processado pelo Watson, da IBM, e será entregue à comissão técnica do clube.

As mudanças serão realizadas de forma gradativa, sem prazo definido. Apesar disso, a expectativa do clube colocar a primeira parte do projeto de pé ainda em 2019. Rosenberg afirma, também, que as melhorias devem ser um fator determinante na busca de uma empresa que queira comprar os naming rights do estádio.

Outra novidade tecnológica do clube é o chatbot Loko da Fiel, disponível no WhatsApp. Desenvolvido pela Omotor, a aplicação é capaz de conversar com torcedores do clube sobre os próximos jogos e outros assuntos, como venda de ingressos, por exemplo.

O chatbot está disponível desde novembro. Com mais de 20 mil usuários atendimento, a expectativa é que, após a primeira fase da Copinha, quando o clube começará a divulgar a ferramenta, esse número chegue a 300 mil.

“Além de receptivo, o bot é também ativo, mandando informações para o torcedor ao entender seu perfil”, explica Marcio Rodrigues, CEO da Omotor. Dessa forma, ele pode enviar mais mensagens para os números com maior interação “ou apenas avisar o dia de jogo, para os usuários mais tímidos”, finaliza Rodrigues.

 

*Crédito da imagem no topo: Ale Frata/Código19/Folhapress

Publicidade

Compartilhe