CMO da Mastercard analisa o propósito dos novos hábitos

Buscar

Marketing

Publicidade

CMO da Mastercard analisa o propósito dos novos hábitos

Sarah Buchwitz, CMO da Mastercard para Brasil e Cone Sul, destaca ação com chef Alex Atala na reinvenção do slogan "Não Tem Preço"

Salvador Strano
9 de abril de 2020 - 14h00

Crédito: divulgação

O mote Não Tem Preço, da Mastercard, é tradicionalmente relacionado a experiências como viagens, restaurantes e esportes. Esse tipo de atividade coletiva e fora de casa deixa de fazer sentido em tempos de distanciamento social causado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Pensando nisso, a marca realizou uma parceria com o chef Alex Atala, na qual ele é o protagonista de uma websérie que estimula pessoas a criar novos hábitos. Nela, o chef aborda assuntos sobre gastronomia consciente, sustentabilidade, bem-estar e entretenimento.

Confira o primeiro filme da campanha, no video abaixo, e na sequência, entrevista com Sarah Buchwitz, vice-presidente de Marketing e Comunicação Mastercard Brasil e Cone Sul, na qual a executiva explica o desafio de adequar o conceito “priceless” a este momento.

 

Meio & Mensagem – A campanha com o chef Atala fala sobre gastronomia consciente, sustentabilidade e bem-estar. Como esses princípios se relacionam com a marca Mastercard nesse momento de mobilização para combate à Covid?

Buchwitz – A campanha “Crie novos hábitos, comece que não tem preço” com o Atala incentiva nosso consumidor a incluir novos hábitos em sua rotina, seja de gastronomia consciente, bem-estar, entretenimento ou sustentabilidade. É mais um convite da Mastercard para que ele comece o que não tem preço neste momento em que a recomendação das autoridades é seguir o distanciamento social.

M&M – O slogan “não tem preço” conversa muito com experiências novas. Como trabalhar esse aspecto quando boa parte da população está sob distanciamento social e, a outra, só está saindo porque trabalha em serviços essenciais?

Buchwitz – A ideia de uma websérie em parceria com o Alex Atala surgiu exatamente para trabalhar esse aspecto. Por conta do distanciamento social, não podemos estar fisicamente juntos aos amigos e familiares para viver novas experiências, mas desenvolvemos um conteúdo de qualidade e com mensagens positivas para os brasileiros neste momento. Nosso objetivo é estimular nossos consumidores a criarem novos hábitos. Todo o conteúdo deste projeto será de livre acesso via redes sociais da Mastercard, incentiva que as pessoas incluam novos hábitos em sua rotina e comecem o que não tem preço dentro de suas casas. Mais do que nunca, acreditamos em permanecer sem contato, mas unidos.

M&M – Qual o papel que a publicidade da Mastercard pretende assumir em meio à pandemia?

Buchwitz – Como marca, temos o dever de ajudar os consumidores a passar por este período de distanciamento social com segurança, sempre conectados e oferecendo as melhores maneiras de lidar com a vida cotidiana e suas compras, além de tornar o tempo em casa significativo, com propósito. Atentos a esta fase que todos nós vivemos, buscamos o propósito de desenvolver maneiras novas e criativas de usar nossa infraestrutura global e nossa força de marca para manter a economia em funcionamento e impactar positivamente a sociedade.

M&M – E como fazer isso de forma responsável, sem sofrer críticas por ser oportunista em um momento de grande desafio para as sociedades em que atua?

Buchwitz – Como citado anteriormente, temos o propósito de impactar nossa sociedade de maneira positiva. Por isso, toda a nossa jornada de marca é baseada em sólidas ações para a comunidade. Recentemente, firmamos parcerias com a Fundação Bill & Melinda Gates e a Wellcome Trust para somarmos esforços e contribuirmos para o mapeamento e estudo do novo vírus e teste de possíveis medicamentos que sejam eficazes no tratamento.  Juntos, alocamos até US$ 125 milhões em recursos para acelerar a identificação, avaliação, desenvolvimento e dimensionamento de tratamentos através de esforços conjuntos que estão sendo viabilizados através do Covid-19 Therapeutics Accelerator Fund. Também anunciamos que estamos liderando esforços regionais, na América Latina e Caribe, para ampliar os limites de pagamento por aproximação na região. Isso permitiria que os portadores de cartões utilizassem a tecnologia em compras de valor mais alto ao invés de serem limitados a um valor predefinido baixo. Globalmente, estamos comprometidos em oferecer, pelos próximos cinco anos, suporte a pequenas empresas para garantir sua manutenção diante dos efeitos impostos pelo coronavírus à economia.

M&M – O que a comunicação da Mastercard já aprendeu com a experiência da pandemia em outros mercados em que atua – principalmente os que estão em estágios avançados da doença?

Buchwitz – Estamos passando por um momento que requer um grande viés de flexibilidade para sermos capazes de nos adaptarmos às especificidades do cenário que vivemos. Hoje contamos com o suporte de nossa equipe, que vem sendo resiliente, mantendo uma abordagem criativa a todos os tipos de desafios. Essa postura não só nos fará passar a este período, como também nos ajudará a definir novas maneiras de ajudar o mundo. Continuamos explorando nossas ideias e capacidades para fornecermos respostas em tempo real e adaptabilidade ao setor. Entendemos que precisamos gerir nossos negócios de maneira a apoiar nossos parceiros e sermos ainda mais fortes para eles quando todos tivermos sobrevivido a este período.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Alex Atala

  • Sarah Buchwitz

  • mastercard

  • WMcCann

  • Endemol Shine Group

  • Sustentabilidade

  • gastronomia

  • Culinária

  • coronavírus

  • covid-19

  • confinamento social