Marcas e meio ambiente: uma relação cada vez mais próxima

Buscar

Marketing

Publicidade

Marcas e meio ambiente: uma relação cada vez mais próxima

No mês do Meio Ambiente, marcas como Unilever, McDonald's, Puma, Skol e Corona apresentam avanços e metas em relação ao desenvolvimento sustentável

Amanda Schnaider
11 de junho de 2021 - 9h52

Comemorado em 5 de junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente tem como meta promover uma postura crítica e ativa por parte da população, dos governantes e das empresas em relação aos problemas ambientais. Logo, neste período do ano, marcas têm o costume de apresentar seus avanços e metas em relação ao desenvolvimento sustentável. Neste ano, marcas como Unilever, McDonald’s, Puma, Skol e Corona já anunciaram suas iniciativas e revelaram seus objetivos para tornar o mundo melhor.

Unilever

A Unilever está utilizando uma tecnologia, desenvolvida em parceria com o consórcio Pulpex, que reúne outras empresas como Diageo e Pilot Lite, para lançar a primeira embalagem de sabão em pó feita a base de papel. O protótipo foi criado, primeiramente, para a marca de lavanderia OMO (também conhecida como Persil, Skip & Breeze), porém, a marca também está testando a tecnologia para criar frascos a base de papel para cuidados com o cabelo.

 

Protótipo da nova embalagem feita a base de papel (crédito: divulgação/Unilever)

Os frascos são borrifados internamente com um revestimento patenteado que repele a água, permitindo que o material de embalagem à base de papel retenha produtos líquidos como sabão em pó, xampu e condicionadores, que contêm surfactantes, fragrâncias e outros ingredientes ativos. A nova embalagem tem previsão de lançamento no Brasil no início de 2022, mas, posteriomente, a companhia pretende levá-la para a Europa e outros países.

Segundo Richard Slater, Diretor de P&D da Unilever, inovar com materiais alternativos é uma parte fundamental de da estratégia de embalagem sustentável da companhia e terá um papel importante em seu compromisso de reduzir pela metade o uso de materiais plásticos virgens até 2025. Até este período, a Unilever também se compromete a ajudar a coletar e processar mais embalagens de plástico do que vende; certificar-se de que 100% de sua embalagem plástica seja totalmente reutilizável, reciclável ou compostável; e aumentar o uso de material plástico reciclado pós-consumo em suas embalagens para pelo menos 25%.

McDonald’s

Outra marca que também está se mostrando preocupada com o seu impacto no meio ambiente é o McDonald’s. Segundo Relatório de Impacto Social e Desenvolvimento Sustentável 2020 da Arcos Dorados, franquia da rede que cuida da operação dos restaurantes da marca na América Latina e no Caribe, lançado nesta quinta-feira, 10, o McDonald’s reduziu 40% do plástico de suas lojas em apenas três anos, o que representa 1.400 toneladas de plástico fora de circulação.

A companhia afirma que o resultado deste número foi fruto da implementação do programa “Receita do Futuro”, que reuniu diversas iniciativas, como a realização de uma campanha “canudos sob pedido”, que recomentou que restaurantes parassem de oferecer os canudos para bebidas proativamente, a eliminação das tampas das bebidas e a substituição dos copos de plástico, das saladeiras de plástico e recipientes de café da manhã por outros similares feitos com papelão 100% biodegradável.

“O uso consciente do plástico é um dos maiores desafios da humanidade. Somos uma companhia totalmente comprometida com o meio ambiente e em buscar soluções inovadoras para reduzir o impacto de nossas operações e melhorar o mundo em nossa volta”, comenta Paulo Camargo, Presidente da divisão Brasil da Arcos Dorados, em nota.

No Brasil, a Arcos Dorados também fechou uma parceria com a UBQ, startup israelense desenvolveu um processo que transforma resíduos domiciliares em um termoplástico sustentável. O primeiro resultado da parceria foi a substituição das bandejas usadas para servir os pedidos aos clientes nos salões do McDonald’s. Já foram frabricadas 18 mil unidades do item.

Globalmente, a rede tem a meta de reduzir em 31% as emissões de gases de efeito estufa de toda sua cadeia de valor até 2030, em colaboração com seus parceiros e fornecedores. Logo, a companhia se compromete em passar a divulgar em seu Relatório a medição das emissões de tCO2e (tonelada de CO2 equivalentes) diretas e indiretas.

Puma

No ano passado, 100% dos principais materiais utilizados nos vestuário e acessórios da Puma, como penugem, viscose e algodão, foram de origem sustentável. Acima de 97% dos outros materiais como couro, poliéster e papelão também foram provenientes de fontes certificadas. Com isso, em 2020, cinco em cada dez produtos da marca foram feitos de materiais sustentáveis. Porém, segundo a companhia, até 2025, esse número passará para nove de dez.

Além disso, a Puma aumentará a quantidade de materiais reciclados em seus produtos de vestuário e acessórios e até 2025, 75% de todo o poliéster usado nos produtos da marca serão de fontes recicladas. Como parte desse comprometimento, a marca se juntou ao “Desafio do Poliéster Reciclado”, feito pela Textile Exchange, uma organização global sem fins lucrativos.

Depois de estabelecer sua primeira estratégia de sustentabilidade há mais de 20 anos, a Puma criou uma lista de metas, a 10FOR25, que busca tornar não só os produtos, mas a empresa sustentável como um todo. As metas incluem compromissos em temas como clima, direitos humanos, biodiversidade e circularidade.

Skol

Pensando tanto na questão econômica do brasileiro quanto na questão sustentável, a Skol passou a incentivar a versão retornável de sua cerveja, que permite ao consumidor trocar uma garrafa vazia de vidro por uma cheia, pagando apenas a bebida. Além de ser possível encontrar as garrafas retornáveis em estabelecimentos, as versões 300, 600 ml e 1 litro também podem ser adquiridas pelo app Zé Delivery.

“A Skol Retornável surge como a escolha econômica para manter a diversão mesmo em tempos de crise. A escolha compensa no bolso e o consumidor ainda contribui para um planeta mais sustentável. Agora, a diversão e a resenha vão ainda mais longe com a cerveja mais leve no paladar e no bolso também”, ressalta Oliver Klingelhoefer, gerente de marketing Skol. Para comunicar a novidade, a marca lançou uma campanha que entrou essa semana na TV e nas redes sociais, om criação da agência GUT. Veja o filme abaixo:

Corona

Outra marca de cerveja que também está tendo avanços no que diz respeito ao desenvolvimento sustentável é a Corona. Nesta semana, a cerveja da Ambev anunciou que se tornou neutra em resíduos plásticos em escala global, o que significa que recupera e recicla mais plástico do que coloca no mundo. O avanço faz parte do objetivo da cerveja em ser líder em sustentabilidade em produtos de consumo embalados e é o mais recente de seus esforços de longa data para ajudar a proteger os oceanos e as praias do mundo da poluição por plástico.

A conquista acontece depois de uma extensa avaliação das operações globais de Corona de acordo com as Diretrizes Corporativas de Gestão de Plásticos 3RI da South Pole, consultoria internacional líder em soluções de sustentabilidade, medindo desde o uso restante de plástico da marca em todos os seus produtos até a revisão de sua logística e distribuição. O processo também seguiu o Padrão de Redução de Resíduos Plásticos da Verra Plastic, líder global no enfrentamento a desafios ambientais e sociais, para calcular o impacto das atividades de mitigação de plástico de Corona, incluindo um grande investimento no México Recicla, projeto e instalação de reciclagem no México.

A cerveja ainda criou o Plastic Reality (Realidade do Plástico), uma experiência de realidade aumentada que permite que as pessoas vejam seu consumo anual de plástico dentro de suas próprias casas após responderem a algumas perguntas básicas sobre seus hábitos. “Visualizar nosso consumo de plástico de um ano inteiro na nossa própria sala é realmente revelador, então esperamos que isso possa inspirar as pessoas a reduzirem seu uso e reavaliarem seu impacto ao meio ambiente”, comenta Felipe Ambra, Vice-Presidente Global de Marketing da Corona.

Na jornada para eliminar inteiramente seu consumo de plástico, uma das iniciativas de Corona é o Desafio Livre de Plástico (Corona Plastic-Free Challenge), que busca empreendedores de todo o mundo para ajudar a encontrar novas ideias ou tecnologias para reduzir ou eliminar o plástico restante da cadeia de abastecimento. Lançado em 2019 no Brasil, o projeto teve sua segunda edição anunciada em maio deste ano.

Até agora, Corona conduziu globalmente mais de 1,4 mil ações de limpeza, engajando 68 mil voluntários e coletando plástico de mais de 44 milhões de m² de praias. No Brasil, já foram mais de 25 limpezas desde 2019, limpando 1,2 milhão de m² de praias e recolhendo mais de 5,4 toneladas de lixo descartados de forma irregular na natureza. Em parceria com a Green Mining e a Precious Plastic, a cerveja ainda abriu em fevereiro deste ano as estações Protect Paradise, com dois containers instalados em Fernando de Noronha (PE) e Trancoso (BA) para coleta, reciclagem e transformação de plástico, cada uma com capacidade para processar até 1,5 tonelada de plástico por mês. Em maio, se tornou um dos patrocinadores de Voz dos Oceanos, a nova expedição dos velejadores da Família Schurmann que, durante dois anos, vai atuar para dar visibilidade à causa da poluição marítima, especialmente em decorrência do plástico.

(crédito: divulgação/Corona)

**Crédito da imagem no topo: Ruslan Khismatov/iStock

Publicidade

Compartilhe