A tentativa do Twitter de comprar o Clubhouse

Buscar

Mídia

Publicidade

A tentativa do Twitter de comprar o Clubhouse

Negócio chegou a ver avaliado em US$ 4 bilhões mas discussões não avançaram, segundo a Bloomberg


9 de abril de 2021 - 6h00

(Crédito: William Krause/Unsplash)

O Twitter Inc. manteve conversas nos últimos meses para adquirir o Clubhouse, a rede social de áudio que fez barulho no mercado nos últimos meses, de acordo com pessoas próximas ao assunto.

As companhias discutiram uma avaliação potencial de US$ 4 bilhões de dólares pelo Clubhouse, dizem algumas pessoas, que pediram para não serem identificadas. As discussões, no entanto, não avançaram e não ficou claro o porquê.

Um porta-voz do Twitter não quis comentar o assunto ao Advertising Age e um representante do Clubhouse não havia respondido imediatamente à solicitação de um posicionamento.

A Bloomberg News reportou nesta semana que o Clubhouse está desenvolvendo conversas para aumentar os fundos junto aos investidores para manter a avaliação de US$ 4 bilhões da empresa. Depois da conversa com o Twitter falhar, a startup começou a explorar se faria sentido aumentar o financiamento. O aplicativo permite que seus usuários criem seus próprios programas de rádio online. Ouvintes podem se conectar para ouvirem entrevistas ou painéis de discussão, além de pedirem para participar em chats ao vivo.

O Clubhouse mal completou um ano de idade e já atraiu a presença dos maiores nomes nos negócios e em Hollywood. Empresas de redes sociais já consolidadas correram para trabalhar em suas próprias versões do Clubhouse, incluindo o Twitter. O Facebook Inc. está explorando o formato também e o LinkedIn e a Slack Technologies Inc. já admitiram estar trabalhando em recursos semelhantes para suas networks.

As ações do Twitter subiram cerca de 3% na quarta-feira, 7, dando à empresa de São Francisco um valor de mercado de US$ 55.1 bilhões.

O competidor do Clubhouse criado pelo Twitter, chamado de Spaces, foi lançado no final de 2020, porém ainda está versão beta e nem todos os usuários podem criar ou sediar discussões públicas.

O CEO do Twitter, Jack Dorsey, está otimista no potencial para o áudio como uma nova forma das pessoas interagirem no Twitter e a companhia tem apostado, há tempos, em conteúdos ao vivo através de parcerias e aquisições. Em um evento para a imprensa na quarta-feira, 7, o chefe de produto de receita do Twitter, Bruce Falck, disse que a empresa está considerando formas de monetizar o Spaces, mas essas discussões ainda estão em seus estágios iniciais.

Com informações do Advertising Age

Publicidade

Compartilhe