A Terra não parou, Raul

Buscar

Opinião

Publicidade

A Terra não parou, Raul

Lançados ao futuro de maneira brusca pela Covid-19, a sensação é a de que somos obrigados a nos movimentar mais rapidamente do que nunca


4 de maio de 2020 - 13h51

(Crédito: Markus von Luecken)

Nos primeiros dias de confinamento, uma das referências mais comuns à situação inédita remetia a um clássico de Raul Seixas, O Dia em que a Terra Parou. Semanas depois, ao menos no ambiente de negócios, a sensação é a de que somos obrigados a nos movimentar mais rapidamente do que nunca, lançados ao futuro de maneira brusca pela Covid-19.

Em meio a condições desafiadoras, a produção de conteúdo dos jornalistas de Meio & Mensagem manteve os padrões de relevância e qualidade de seus 42 anos de história. Mais do que isso, colocamos a serviço do mercado novas iniciativas, em linha com o propósito original do jornal de difundir conhecimento indispensável para que empresários, executivos e profissionais da comunicação estejam sempre capacitados para tomar as melhores decisões, em todos os tipos de cenários, inclusive os mais adversos.

Neste período, tornamos gratuito o acesso à edição semanal, no aplicativo para tablets e no recém-lançado Acervo digital, onde está disponível para o público geral a consulta a todas as edições já publicadas por Meio & Mensagem, a
mais completa obra sobre marketing e publicidade em língua portuguesa — são, aproximadamente, duas mil edições, entre os números regulares e as publicações especiais produzidas desde 1978.

Na semana passada, foi prorrogado para o final do mês de maio o acesso livre ao Acervo e às edições semanais, cujas reportagens acompanham a evolução do cenário, desde o primeiro momento da crise, quando as marcas tentavam compreender como podiam ser úteis e não cair em tentações oportunistas. Na edição desta semana, a repórter Karina Balan Julio relata como Gabriela Pugliesi e sua festa privada arrasa-confinamento viraram manchete, literalmente, soando o alerta do brand safety para marcas cujos investimentos em influenciadores passaram a ser prioritários na comunicação.

Em outra frente, colocamos no ar o projeto Conectando o Mercado, entrevistas com lideranças da indústria, diariamente, às 15h. Já compartilharam insights e experiências vários dos principais executivos-chefes de marketing do País e presidentes das maiores agências. A agenda segue imperdível nesta semana, com as presenças dos CMOs Poliana Sousa (Coca-Cola) e João Branco (McDonald’s), e de Antonio Fadiga, Eduardo Lorenzi e Marcelo Reis, CEOs da Artplan, Publicis e Leo Burnett, respectivamente.

Além das entrevistas, ao vivo, que se consolidaram como o horário nobre do expediente de trabalho remoto, nossa cobertura online teve sua pauta direcionada para dar suporte aos profissionais do mercado, em suas novas prioridades e contingências — dos desafios para os diferentes segmentos de mídia e publicidade manterem suas receitas às novas dinâmicas de relacionamento a distância, impostas às duplas criativas e aos executivos de contas comerciais no contato com os clientes.

Também durante a quarentena, produzimos e lançamos novos episódios tanto de nossas séries de podcasts Next Now e Women to Watch, quanto de vídeo (“Comida: diversão, arte e futuro” e “Profissão: garoto-propaganda”, ambas com a qualidade de conteúdo e acabamento que marcam a atual fase das produções audiovisuais de Meio & Mensagem — se ainda não conhece, fica aqui o convite, garanto que você vai gostar).

Essa combinação entre a análise de ambientes de negócios e uma abordagem humana e voltada para soluções, sem deixar de informar notícias duras, mas relevantes para o mercado, foi reconhecida pelos nossos fiéis leitores e os novos também: a audiência do site de Meio & Mensagem bateu recordes históricos em todos os seus indicadores nesse mês e meio de distanciamento social.

Em nome de todos os colaboradores de Meio & Mensagem, agradeço a você, caro leitor, cuja confiança nos motiva a cumprir a missão de ser a principal fonte de notícias, debates e análises da indústria da comunicação. A informação correta é como uma bússola confiável para a navegação, quando mares revoltos forçam uma mudança de rumo. Sem conhecimento, todos os caminhos parecem levar a lugar algum. Obrigado, obrigado, obrigado.

*Crédito da foto no topo: iStock

Publicidade

Compartilhe