Opinião: Por que o Brasil não levou nada nas categorias mais desejadas de Cannes?

Buscar
Publicidade

Opinião

Opinião: Por que o Brasil não levou nada nas categorias mais desejadas de Cannes?

CCO da WMcCann analisa mau desempenho brasileiro em Titanium e Innovation; categorias não têm representantes nacionais nos shortlists


10 de junho de 2022 - 6h00

As categorias Titanium e Innovation premiam muito além das campanhas publicitárias. Titanium foi criada especialmente para cases que não se encaixavam nas categorias pré-existentes, mas que marcam uma nova direção para indústria.

Innovation talvez seja a mais difícil de ganhar, pois não basta ter só a ideia, os finalistas precisam provar que a ideia é viável, tem vida longa e faz parte dos planos de negócio da empresa. Pode ser uma nova tecnologia, um modelo de negócio, e até propaganda.

O Google, por exemplo, criou o Google Pixel 6 com Real Tone, uma câmera inclusiva que vê e destaca todas as pessoas e as nuances dos tons de pele de forma bonita e autêntica. Acho que eles vão levar muitos prêmios. A Decathlon criou um time de ciclismo digital em uma prisão. A Dot apresentou o primeiro display gráfico tátil inteligente para pessoas com deficiência visual. Essa ideia levou sete anos para ser concluída.

Aqui no Brasil, vejo que estamos cada vez mais distantes de projetos de longo prazo, principalmente durante a pandemia. As empresas e agências estavam tentando entender e resolver os problemas de negócios do dia seguinte. Não tivemos espaço para algo de médio a longo prazo com a complexidade que essas categorias exigem.

Além disso, o País está enfrentando uma polaridade imensa. Quando o Brasil ganhou seu primeiro Leão de Innovation, em 2014, estávamos em um ano de pujança econômica, mas agora estamos falando de metaverso e NFT quando 33 milhões de pessoas passam fome. Quando vivemos crises econômicas, políticas e sociais, as marcas estão mais preocupadas em resultados de curto prazo e ações de inovação acabam adiadas, na melhor das hipóteses. No cenário que estamos vivendo será um grande desafio mudar esse jogo.

Publicidade

Compartilhe

Veja também