A verdadeira orquestra dos profissionais de marketing

Buscar
Publicidade

Opinião

A verdadeira orquestra dos profissionais de marketing

Nos últimos dois anos, tivemos que nos adaptar e readaptar constantemente


21 de junho de 2022 - 15h24

(Crédito: Blue Planet Studio – shutterstock)

Cada vez fica mais claro que para ser um profissional de marketing completo não basta apenas acompanhar as tendências externas, como também olhar internamente, alterar nossas funções e adequar estratégias. Nos últimos dois anos, tivemos que nos adaptar e readaptar constantemente. A aceleração do digital, a amplitude das conversas nas redes sociais, o crescimento do e-commerce, a utilização de novas e diversas plataformas são alguns exemplos que demandam conhecimentos e práticas que vão além do marketing que estamos acostumados.

Em mais de 14 anos na P&G, brinco que já estive em diversos empregos na mesma empresa. Comecei com as marcas de cuidados com as roupas, fui para as marcas de beleza, estive presente nas áreas de inovação de longo prazo e execução de curto prazo, em estruturas tanto regional quanto nacional. Hoje lidero, também, a parte de operações das marcas que contempla as estratégias de mídia, ponto de vendas e dados, além do e-commerce. Por isso, o termo Chief “Maestro” Officer, painel na qual participei no evento ProXXIma, nunca fez tanto sentido para mim.

Para equilibrar todos esses pratos, principalmente em uma indústria como a P&G – que não é apenas uma fabricante de produtos, mas sim uma empresa que constrói marcas, mais precisamente, mais de 20 delas aqui no Brasil -, o nosso time precisa orquestrar diversas áreas.
Começo pelos mais clichês: a comunicação e a influência. Nós, profissionais do marketing, estamos posicionados de forma única para trazer a voz do cliente para a organização e garantir que o propósito seja incorporado em cada ponto de contato com os consumidores. Por isso, precisamos construir comunicações que façam com que as pessoas se identifiquem com as marcas e não apenas com o produto – não é o xampu e sim Pantene; não é o amaciante e sim o Downy.

O que nos leva para outras três áreas importantes, mas com um objetivo único: conhecer e atender os consumidores com superioridade. Na P&G, falamos que eles – ou melhor, vocês -, são os chefes. Nós vivemos para entregar o que vocês precisam, seja com produtos, campanhas, comunicações ou inovações, sempre oferecendo propostas superiores para atender suas necessidades e resolver seus problemas.

Isso não é tão simples como parece. Temos que saber um pouco de Antropologia para entender exatamente o que os consumidores precisam e a forma como precisam. Além disso, contamos com o total apoio do time de Analytics & Insights que contribuem para que a equipe conheça cada vez mais o consumidor e as tendências do mercado. Para que, no fim, consigamos identificar como disponibilizar e (re) organizar nossos produtos para chegar aos consumidores, atraí-los e atender suas verdadeiras necessidades – isso é Desenvolvimento de Categoria.

E não é apenas dos consumidores e clientes que se vive o marketing. Interagimos diariamente com todas as outras funções da empresa. Por exemplo, Finanças, Vendas, Logística, Jurídico, Teconologia… são todas áreas que precisamos conhecer, liderar, influenciar para irmos em uma mesma direção: servir melhor o consumidor. Business Use

Precisamos olhar também para o time interno. Desenvolver, engajar e liderar nossas pessoas para o mesmo propósito é uma competência que tem que vir do CMO.

Publicidade

Compartilhe

Veja também