Fórmula E terá exibição ao vivo no YouTube e televisão

Buscar

Fórmula E terá exibição ao vivo no YouTube e televisão

Buscar
Publicidade

Marketing

Fórmula E terá exibição ao vivo no YouTube e televisão

Fórmula E corre nas ruas da capital paulista neste final semana com dois pilotos brasileiros disputando o título no Brasil


15 de março de 2024 - 6h38

A quarta corrida do ano acontece no Sambódromo do Anhembi em São Paulo em 16 de março (Crédito: Divulgação)

Nesse fim de semana, a Fórmula E irá percorrer as ruas da capital paulista, na quarta etapa da modalidade de veículos elétricos da E-Prix. Nesta sexta-feira, 15, acontece o primeiro treino livre da temporada, em que os pilotos poderão conhecer as curvas do Sambódromo do Anhembi e checar os freios dos carros. Já no sábado, 16, a corrida acontece às 14h, no horário de Brasília, após os treinos e as rodadas qualificatórias.

Aqueles que não puderem comparecer ao evento poderão acompanhar a transmissão ao vivo feita pela LiveSports. Essa é uma parceria da media tech com canal Grande Prêmio (GP). Além disso, a Fórmula E começou as gravações para série documental semelhante à Drive to Survive (Netflix) com estréia para 2025. A série documental será focada nos pilotos, chefes de equipe e sustentabilidade.

Com uma equipe de quase 20 profissionais acompanhando a cobertura, a programação começa a ser exibida na sexta-feira, 15. Além disso, a LiveSports tem exclusividade da transmissão da temporada 2024 desta modalidade para o YouTube. Entretanto, a BandSports irá fazer a transmissão para a TV fechada e site.

Marcas levam experiências ao e-Prix

Contudo, aqueles que forem ao Sambódromo acompanhar a rodada brasileira do e-Prix estarão acompanhados pelas ativações da Octagon e da Allianz. A primeira é a agência de marketing esportivo do ex-jogador Ronaldo Fenômeno, que faz parte da ODDZ Network, e foi escolhida para idealizar o projeto da Fan Village da ABB FIA Fórmula E. Na semana de preparação, a MRV levou para Pirituba um simulador de corrida, para que os fãs pudessem concorrer à ingressos para o evento.

Além disso, outra empresa que estará presente na Fórmula E é a seguradora Allianz, que será a parceira oficial do campeonato pela segunda vez. Além de patrocinadora global do evento, a Allianz também dá nome à Fórmula E Allianz Fan Village, por meio de um acordo de naming rights.

Presente em todos os circuitos da Fórmula E, o espaço conta com uma variedade de atividades destinadas aos visitantes, incluindo apresentações musicais e artísticas, comidas, bebidas e telões para visualização das corridas. Na sexta-feira, a empresa vai levar 120 jovens meninas para o FIA Girls on Track, ação global da FIA que promove o empoderamento feminino nas pistas.

Além disso, a Netza Martech Agency fará a produção produção das ativações e organização do camarote Emotion Club. Como parte da experiência, os convidados visitarão os boxes das equipes que correm a mais de 300 km/h. O espaço também contará com rodas de capoeira, música e um estande com árvores da Amazônia.

Quais são os brasileiros na Fórmula E?

Na décima temporada da competição, dois pilotos brasileiros se encontram no grid de largada. O paulista Lucas di Grassi foi campeão mundial, além de reunir dois vice-campeonatos e dois terceiros lugares, além de ser o recordista com 32 pódios. Em 2024, Di Grassi retornou para a equipe ABT-CUPRA, parceira da Audi que proporcionou o de campeão ao brasileiro no ano competitivo de 2016/2017.

Outro representante nacional é o mineiro Sérgio Sette Câmara, que compete pela equipe ERT e foi membro do time de jovens talentos da Red Bull. Até o ano passado, a equipe chinesa era conhecida como NIO 333 após o fim da parceria com a Lisheng Sports com a fabricante de automóveis NIO.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Coca-Cola e Marvel: collab apresenta embalagens dedicada aos fãs

    Coca-Cola e Marvel: collab apresenta embalagens dedicada aos fãs

    Com 36 ilustrações diferentes de personagens nas latas de refrigerante, os consumidores poderão ter a experiência de realidade aumentada

  • Menos da metade da geração Z consome bebidas alcoólicas

    Menos da metade da geração Z consome bebidas alcoólicas

    Estudo da MindMiners revelou que a tendência de mudança de comportamento está relacionada a fatores como falta de interesse e sabor das bebidas