Semana de trabalho de 4 dias promove maior equidade entre homens e mulheres

Buscar
Publicidade

Women to Watch

Semana de trabalho de 4 dias promove maior equidade entre homens e mulheres

Estudo "The UK’s four-day week pilot" aponta que, com a redução dos dias de trabalho, o tempo gasto com a educação dos filhos dobrou entre homens


28 de fevereiro de 2023 - 12h59

Semana de 4 dias equidade

(Crédito: Andrey_Popov/Shutterstock)

O relatório “The UK’s four-day week pilot” evidenciou que a redução de um dia de trabalho durante a semana, além de melhorar a saúde e a satisfação dos trabalhadores, também promove maior equilíbrio na divisão dos cuidados com os filhos entre homens e mulheres.

A iniciativa 4 Day Week Global testou os impactos da adoção de uma semana de trabalho de 4 dias entre 61 empresas e 2900 funcionários no Reino Unido. O estudo foi feito durante um período de seis meses entre julho e dezembro de 2022.

Em suma, as conclusões do estudo foram muito positivas tanto para as empresas quanto para os trabalhadores envolvidos. Das 61 companhias participantes, 56 afirmaram que continuariam com a semana de 4 dias após o experimento, algumas adotando a prática de maneira efetiva. Em relação à performance e produtividade, a grande maioria das empresas relataram resultados positivos ao final do teste.

Já os participantes relataram melhora da saúde física e mental, destacando menos estresse, ansiedade, burnout e sentimentos negativos. Dessa forma, os benefícios da prática vão além do aumento da satisfação no trabalho, e impactam também nas dinâmicas domésticas e divisão de tarefas entre homens e mulheres.

Equidade de gênero

Com a redução da carga horária de trabalho, o tempo que os homens gastam cuidando dos filhos dobrou em relação às mulheres. Por outro lado, 68% dos entrevistados relataram nenhuma mudança em relação à divisão de tarefas domésticas entre os gêneros.

De modo geral, 60% dos participantes relataram que o equilíbrio das responsabilidades de cuidado ficou mais fácil. Como resultado, os funcionários afirmaram se sentir menos cansados para realizar os afazeres domésticos e sentiam maior equilíbrio entre o tempo gasto no trabalho e fora dele.

Outro relatório do Women’s Budget Group de 2022 afirma que uma semana de trabalho mais curta resulta numa maior distribuição do trabalho doméstico e das responsabilidades de cuidado. Analisando dados do período pandêmico, os pesquisadores concluíram que os homens aumentaram o tempo gasto em cuidados não remunerados durante a primeira fase da pandemia. Isso se deve principalmente à diminuição das horas dedicadas ao trabalho e ao aumento das necessidades de cuidados.

Embora as mulheres continuem a realizar a maior parte do trabalho de cuidado, a participação dos homens aumentou para 40% (de 34% em 2015). Entretanto, essa tendência se inverteu na segunda fase da pandemia, quando os homens recuperaram suas horas pagas.

Vantagens da semana de 4 dias

Uma prática ESG

Além de proporcionar uma melhor divisão das tarefas de cuidados e domésticas, diminuindo a sobrecarga sobre as mulheres, uma semana de 4 dias de trabalho também impacta positivamente o meio ambiente, podendo fazer parte de um plano de transição verde. Segundo o estudo da WBG, evidências indicam que os países com semanas de trabalho mais curtas têm emissões de gases de efeito estufa mais baixas por pessoa.

Maior satisfação no trabalho e na vida

Já em relação aos impactos individuais, o experimento revelou que houve um aumento da satisfação geral das pessoas. Numa escala de 0 a 10, sendo zero ‘nada satisfeito’ e dez ‘completamente satisfeito’, o índice de satisfação aumentou de 6,69, no início do teste, para 7,56 ao final.

Os níveis de satisfação no trabalho também aumentaram, em que 48% dos entrevistados disseram estar mais satisfeitos profissionalmente após o teste. Além disso, os trabalhadores também relataram maior satisfação em outras áreas da vida, como finanças e relacionamentos.

Menos estresse e mais saúde

O experimento também demonstrou uma diminuição nos índices de estresse relacionados ao trabalho, em que 39% dos entrevistados disseram estar menos estressados. Consequentemente, os índices de burnout também reduziram: 71% reportaram menor nível de burnout após o teste. Desse mesmo modo, 43% dos participantes alegam uma melhora da saúde mental, com redução da ansiedade e de sentimentos negativos.

Os trabalhadores também descreveram uma melhora na saúde física (37%), principalmente em relação à fadiga e a problemas de sono. 46% dos participantes relataram uma redução do cansaço e 40% viram uma redução nas dificuldades de sono. Desse modo, o estudo sugere que uma semana de trabalho de quatro dias poderia reduzir os custos associados aos cuidados de saúde.

O experimento piloto no Reino Unido foi o maior teste de adoção da semana de 4 dias realizado até agora. A ONG 4 Day Week Global, responsável pelo experimento, já executou o programa em outros países, como EUA e Irlanda, e obteve resultados semelhantes. Portugal se prepara para testar a prática no segundo semestre deste ano, com 90 empresas já confirmadas, no que será o maior teste do mundo deste tipo.

Publicidade

Compartilhe

Veja também